É de senso comum que a Arlequina merecia um relacionamento melhor. Enquanto o Coringa ganha a fama de vilão, ela faz todo o trabalho pesado. Com isso em mente, Margot Robbie insistiu em um filme solo da personagem.

Embora o filme seja a origem das Aves de rapina, a estrela é mesmo é a Arlequina. Depois de terminar o relacionamento tóxico com o Palhaço Príncipe do Crime de Gotham, ou pior ele terminar com ela esperando que ela volte correndo com o rabinho entre as pernas, ela faz o que a maioria das mulheres faz quando leva um pé na bunda, chora. E chora com gosto e muito carboidrato.

Sem o Sr. C, Arlequina fica à mercê dos mercenários que irritou ao longo dos anos, principalmente de Roman Sionis (Ewan McGregor), a.k.a, Máscara negra para os inimigos, o que a deixa com um alvo nas costas e precisando comprar sua paz.

As outras personagens vão surgindo ao longo da história na vida de doutora Quinzel. Renee Montoya (Rosie Perez) investiga Roamy e cruzou com a doidinha durante as investigações, Dinah Lance (Jurnee Smollett-Bell) canta na boate do vilão do filme e acaba virando sua motorista com a ajudinha de Harley, a Caçadora (Mary Elizabeth Winstead) está atrás dos mercenários que mataram sua família e Cassandra Cain (Ella Jay Basco) roubou a única coisa que pode tirar os matadores da cola da Arlequina.

O filme não é linear, vai e volta na história porque afinal de contas quem narra a história é a Arlequina, e ela não bate muito bem das ideias. Apesar disso todas as personagens ganham um background e entendemos suas motivações para o desenrolar da história.

Com algumas pequenas ressalvas em relação a edição do filme (ir e voltar na história várias vezes), o filme ganhou muitos pontos positivos por ser divertido, colorido e ao mesmo tempo cheio de ação. Ele é tudo que o filme do Esquadrão Suicida tentou ser, e não foi.

Com referências das animações da personagem e com muito poder feminino, “Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa” é exatamente o que o nome sugere: fantabuloso.

Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa
Direção: Cathy Yan
Roteiro: Christina Hodson
Trilha Sonora: Daniel Pemberton
Direção de fotografia: Matthew Libatique
Direção de arte: Kasra Farahani, Julien Pougnier
Elenco: Margot Robbie, Mary Elizabeth Winstead, Rosie Perez, Ella Jay Basco, Jurnee Smollett-Bell, Ewan McGregor, Chris Messina, Ali Wong, Charlene Amoia, Dana Lee, Derek Wilson, François Chau, Matthew Willig, Steven Williams, William Guirola
Produção: Clubhouse Pictures, DC Entertainment, Kroll & Co. Entertainment, LuckyChap Entertainment
Distribuição nacional: Warner Bros.

Nós Assistimos: Aves de Rapinahttps://impulsohq.com/wp-content/uploads/2020/02/aves-de-rapina-1.jpghttps://impulsohq.com/wp-content/uploads/2020/02/aves-de-rapina-1-150x150.jpgLaís Tigrefilmes & sériesnotíciasFacebook Twitter Instagram Youtube É de senso comum que a Arlequina merecia um relacionamento melhor. Enquanto o Coringa ganha a fama de vilão, ela faz todo o trabalho pesado. Com isso em mente, Margot Robbie insistiu em um filme solo da personagem. Embora o filme seja a origem das Aves de rapina, a estrela...O Impulso HQ é um site e canal no YouTube dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!