Aprendi a amar o cinema em 1965 ou 66, quando assisti em pé, encostado na parede de um cinema de bairro, Branca de Neve e os Sete Anões. Depois virou…
Continue Reading