Pscircodelia apresenta uma trama intricada e psicodélica: Maraska é um palhaço que vive pedindo esmolas e contando histórias pelas ruas. Algumas dessas histórias são desenhadas por um indivíduo oculto cujo rosto só se revela para o leitor no final da HQ.

Aparentemente são historias despretensiosas, que narram acontecimentos banais num mundo paralelo e fantástico repleto de ogros, fadas, sacis etc. E nós, leitores, acompanhamos essas histórias sendo desenhadas pelo “indivíduo oculto” (que é tratado com esse termo ao longo da edição).

A princípio são contos independentes entre si cujo único fator em comum é envolver, de um jeito ou de outro, um velho circo decadente. E, assim, o leitor conhece um pouco da vida de uma solitária garota que trabalha num bar de beira de estrada; um conto de amor entre um ogro e uma fada; a história de um dono de circo que coleciona insetos etc. A HQ aborda também um pouco do dia a dia do desenhista anônimo.

De repente todas essas narrações convergem para uma trama maior, revelando-se uma empolgante aventura fantástica de perseguição, com muito humor e uma pitadinha de terror: Os vilões Necário e Karan Kirkus estão atrás da última Fadanegra da espécie para exterminá-la e controlarem o mundo de Ardep Luza.

A narrativa é tão intricada e fragmentada quanto a história: vai variando no tempo e focando diversos personagens ao longo da leitura (algumas passagens inclusive apresentam a mesma cena sob pontos de vista variados); também se utiliza, em determinadas passagens, de trechos de músicas.

Aliás, a música é uma referência muito forte neste trabalho e a edição trás como bônus um CD da banda Maraska (cujo vocalista é o roteirista da HQ). Ainda em relação à música vale a pena uma atenção maior a alguns personagens fortemente influenciados por famosos músicos e que ficaram muito engraçados.

A arte é um misto de graffiti, tatuagem e psicoledia com um colorido suavemente sombrio, uma diagramação variada a cada página, um ótimo trabalho de hachura e com um interessante uso da metalinguagem. Tudo isso, encaixando-se perfeitamente com a proposta da história.

O final acaba caindo num lugar comum, mesmo com a reviravolta das três últimas páginas, mas nada que tire o brilho da edição e o prazer da leitura, que vale, principalmente, pelo humor e pela competente condução de tramas intricadas.

Pscircodelia
Autores: M. Maraska (roteiro) & R. Sasaki (arte)
Editora Devir
88 páginas
Data: Setembro de 2010
R$ 41,50

Alexandre Manoelresenha hqbDevir,HQB,M. Maraska,Pscircodelia,R. Sasaki,resenhaPscircodelia apresenta uma trama intricada e psicodélica: Maraska é um palhaço que vive pedindo esmolas e contando histórias pelas ruas. Algumas dessas histórias são desenhadas por um indivíduo oculto cujo rosto só se revela para o leitor no final da HQ. Aparentemente são historias despretensiosas, que narram acontecimentos banais num...IMPULSO HQ é um site que se propõe a discutir histórias em quadrinhos e assuntos derivados como cinema, games e cultura pop em geral.