O primeiro quadrinho que comprei do Marcatti foi em 1979 na abertura do Salão de Humor de Piracicaba e é uma revista que eu guardo até hoje por motivos que explicarei no final do texto.

Lasca de Quirica é uma revista bimestral desenhada, escrita e impressa por esse que é um dos maiores nomes do quadrinho nacional. De impressora nova, Marcatti continua na ativa publicando suas revistas e álbuns de quadrinhos.

Em Lasca de Quirica #1 marca a primeira edição da série que traz o autor resgatando o seu lado mais transgressor, ou seja, a publicação apresenta Marcatti em grande forma. Com histórias curtas e inéditas, as narrativas “mergulham fundo no fosso da alma humana”, como diz a apresentação da revista.

Para quem acompanhou e acompanha o trabalho do Marcatti é uma satisfação incrível ler Lasca de Quirica e ver que os velhos e bons tempos não morreram e que o chato politicamente correto não afetou tudo e a todos. A leitura é fluida, e as histórias vão passando como conversas. Em bons tempos dois amigos conversam num boteco sobre “os bons velhos tempos”, depois a gente entra em um papo entre um casal, que acaba de transar, e Srktzc brinca com a moda goumert.

Marcatti vai além e também apresenta a história “Fada Madrinha” que traz uma avó do outro mundo, “Filosofia Barata” e a “História de Claunério” completam o gibi que de quebra ainda apresenta duas HQs de Pablo Carranza: “Rivalino e sua criação de minhocas” e “Playboy de Nazaré e seus milagres sacanas”.

Essa é uma curiosidade muito bacana a se falar de Lasca de Quirica. A cada edição do título, quadrinhistas independentes serão convidados para apresentar quatro páginas de histórias. Pablo Carranza é o convidado da edição # 1, seguido por Lobo Ramirez na # 2 e Luiz Berger na # 3. É o autor abrindo espaço para uma nova geração, afinal, sabemos que Marcatti é um dos autores de quadrinhos no Brasil mais importantes na ativa e apesar de sua abordagem nada ortodoxa do lado mais obscuro da alma humana, o quadrinhista nunca deixou de escrever, desenhar, editar e imprimir os seus próprios quadrinhos.

Contradizendo o conselho do Marcatti, Lasca de Quirica é uma revista nojenta, indecente e aconselhável a todas as idades, pelo menos para aqueles que têm senso de humor. Lembrando que o título pode ser encontrado nas prateleiras da Comix Book Shop, Cervejoteca Tatuapé, Comic Boom, Ugra Press, Mechanix CDs e demais lojas especializadas, além do site do autor ou diretamente com ele pelo e-mail [email protected].

Para encerrar, vou dizer o porquê gosto e guardo até hoje o primeiro quadrinho que eu comprei do Marcatti. Na quarta capa tem o desenho do amigo dele, Ricardo José da Silva, onde um personagem aponta um desenho rabiscado num murro e diz “pro-c”.

Essa sigla acabou virando o nome da editora independente do Marcatti e, em 1987, graças ao meu amigo de colégio, Asato, e ao meu irmão Fernando, saiu a revista Mofo, título que eu escrevi e que foi impresso pelo Marcatti. Todos os sábados, por alguns anos, a gente se encontrava nas reuniões da AQC no sindicato dos jornalistas e discutíamos quais seriam as próximas histórias “mofadas”. Bons velhos tempos.

Lasca de Quirica nº1

Autor: Marcatti
Edição: do autor
15,2 x 23 cm
24 páginas
Capa Colorida
Miolo P&B
Publicação impressa e produzida artesanalmente por Marcatti

http://impulsohq.com/wp-content/uploads/2017/04/lasca-de-quirica-marcatti-1.jpghttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2017/04/lasca-de-quirica-marcatti-1-150x150.jpgFloreal Andraderesenha hqbLasca de Quirica,Marcatti,Pablo CarranzaO primeiro quadrinho que comprei do Marcatti foi em 1979 na abertura do Salão de Humor de Piracicaba e é uma revista que eu guardo até hoje por motivos que explicarei no final do texto. Lasca de Quirica é uma revista bimestral desenhada, escrita e impressa por esse que é...IMPULSO HQ é um site que se propõe a discutir histórias em quadrinhos e assuntos derivados como cinema, games e cultura pop em geral.