Por Dennis Rodrigo

Há quem diga que o valor de um super-herói é calculado pelo “nível” de seus inimigos… Opinião à parte, é fato que os vilões são indispensáveis para a “formação” dos grandes heróis. Não obstante, Batman e Homem-Aranha, ícones máximos em suas respectivas editoras, “dispõem” das “galerias” mais interessantes e “clássicas” das histórias em quadrinhos – seus oponentes são variados, exóticos e, indubitavelmente, cruéis e mortais.

Ao pensar em tais heróis, nos vem à mente seus antagonistas quase que de imediato, pois os mesmo, muitas vezes, “roubam” a cena, literalmente, com planos mirabolantes e ameaçadores. Com os arquiinimigos dos super-heróis brasileiros, não é diferente.

Em meados da década de 1960, o lendário personagem do eterno mestre Gedeone Malagola, Raio Negro, enfrentava o Capitão Op-Art, gênio tirânico responsável pelo exército de andróides alados conhecidos como Homens-Voadores, monstros gigantes e outros superseres.

Sejam eles cientistas loucos (como o Doutor Diávolo, um arquétipo dos mais tradicionais, oponente da Mulher-Estupenda de JJ Marreiro), seres extradimensionais ou alienígenas, homens e mulheres poderosos e corrompidos, os vilões estão sempre “discursando” e sendo derrotados ou tendo seus planos tolhidos.

É justamente aí, nessa estrutura narrativa engraçada, que se encontra a diversão das HQs. Mas erra quem pensa que os vilões se limitam aos “supertipos”.

Atualmente, eles são políticos como o vil senador Joaquim Paiva Filho, da série Guerreiros da Tempestade de Anísio Serrazul, entidades sobrenaturais como o Diabo do Vilarinho, presente nas divertidas aventuras de Celton, de Lacarmélio Araújo e Funesto, inimigo “encapetado” do Redentor, herói místico criado por Marcos Francos, “empresas” fascistas como O Centro, que tantas dores de cabeça causa ao valoroso Cometa de Samicler Gonçalves, gêmeos malignos como Krok, irmão de Haran Shandor, o alienígena conhecido como Crânio, de Francinildo Sena e espiões ágeis e sagazes.

Inimigos que não hesitam em jogar os combatentes do crime em dimensões paralelas, máquinas de escrever gigantes ou em qualquer outro local perigoso, repleto de lâminas e veneno.

Cuidado, heróis!

Renato LebeauquadrinhosAnísio Serrazul,Capitão Op-Art,Celton,Cometa,Crânio,Diabo do Vilarinho,Doutor Diávolo,Francinildo Sena,Funesto,Gedeone Malagola,Guerreiros da Tempestade,JJ Marreiro,Krok,Lacarmélio Araújo,Marcos Francos,Mulher-Estupenda,Raio Negro,Redentor,Samicler Gonçalves,vilãoPor Dennis Rodrigo Há quem diga que o valor de um super-herói é calculado pelo “nível” de seus inimigos... Opinião à parte, é fato que os vilões são indispensáveis para a “formação” dos grandes heróis. Não obstante, Batman e Homem-Aranha, ícones máximos em suas respectivas editoras, “dispõem” das “galerias” mais...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe