Stan-lee-spider-man-wmb-3d-nick-saglimbeni-photographyTodas as editoras querem brigar pelo quinhão da diversidade e estão mudando seus personagens para adequá-los a este supostamente novo público. Mas será que os criadores dos personagens concordam com isso?

Que Brian Bendis parece mais inteligente de boca fechada todos sabemos. Em seu comentário infeliz mais recente, ele levantou que crianças brancas não permitem que seus coleguinhas de outras etnias encarnem personagens caucasianos durante as brincadeiras. Segundo ele, era justamente para evitar este tipo de racismo que o mercado estava readequando seus personagens a este público que já cresce segregado.

miles-morales-1-610x729A pérola surgiu durante o anúncio de que Miles Morales passaria a ser o Homem-Aranha principal do universo Marvel Comics. Filho de um negro com uma latina, o personagem é um grande exemplo do quanto os editores querem agradar este público emergente que até então havia sido varrido para debaixo do tapete.

Seria uma vitória? As minorias poderiam finalmente dormir sossegadas sabendo que estão sendo bem representadas num mundo que cada vez mais tenta se adequar a eles? Um garoto negro ou latino pode finalmente comprar sua fantasia de Homem-Aranha brincar com os amigos sem ser vítima de algum tipo de racismo?

Stan Lee, criador do Homem-Aranha e de praticamente todos os personagens da Marvel até os anos 1970, discorda. Segundo ele, os personagens foram criados de um jeito e qualquer mudança não só os descaracterizam quanto mudam seu propósito original.

totally-awesome-hulk-141310Peter Parker, quando foi criado, simbolizava o homem comum que vestia uma fantasia e se tornava um herói. Seguindo essa lógica, a simbologia está na fantasia, uma fantasia que é toda coberta. Poderia ser qualquer um por trás da máscara e o fato de Parker ser um americano médio branco não enfraquece o peso do símbolo que ele veste. Sendo assim qualquer criança vestindo a fantasia poderia ser o Aranha, seja ela branca ou não. A máscara é mais importante do que a pessoa por trás dela.

Segundo Lee, manter um personagem branco não é xenofobia, racismo ou homofobia. Ele simplesmente foi criado dessa forma e não precisa ser mudado para agradar ninguém. O autor ainda sugeriu que pensássemos o quanto seria ridículo se a etnia do Pantera Negra fosse mudada e depois de 50 anos como Africano o personagem virasse um Suíço, por exemplo.

1124562-temp1Contrariando todos os autores contemporâneos que tem feito todos os tipos de mudanças no cerne dos personagens, o velho criador não só afirmou que os personagens clássicos devem permanecer do jeito que foram criados como se ofereceu para criar personagens que satisfaçam o novo leitor que as editoras desesperadamente tentam alcançar.

E essa discussão ocorreu na mesma semana em que os rumores de que Amadeus Cho seria o Hulk da série Tottaly Awesome Hulk foram confirmados. O Homem-Aranha é negro, o Hulk é asiático… Será que ainda veremos o dia em que os personagens brancos e héteros dos quadrinhos serão uma minoria a ser preservada?

http://impulsohq.com/wp-content/uploads/2015/06/maxresdefault2.jpghttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2015/06/maxresdefault2-300x300.jpgAlexandre DassumpcaoquadrinhosBrian Bendis,Homem-Aranha,Stan LeeTodas as editoras querem brigar pelo quinhão da diversidade e estão mudando seus personagens para adequá-los a este supostamente novo público. Mas será que os criadores dos personagens concordam com isso? Que Brian Bendis parece mais inteligente de boca fechada todos sabemos. Em seu comentário infeliz mais recente, ele levantou...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe