Dia dos namorados é sempre uma data complicada para dar presentes, principalmente se você é fã de quadrinhos e procura algum exemplar romântico da nona arte para presentear a pessoa amada.

Pensando nisso, o Impulso HQ selecionou algumas boas – e românticas – opções para presentear a(o) namorada(o) nessa época e, de quebra, apresentar um pouco o universo dos quadrinhos para a(o) parceira(o):

Arlequina (Paul Dini, roteiro e Yvel Guichet, arte)
Pode parecer estranho indicar uma HQ do gênero de super-herói para o dia dos namorados, mas a personagem Arlequina representa exatamente tudo aquilo que eu acredito sobre o amor: intenso, inconsequente, incondicional, louco, que tudo suporta e tudo perdoa.

A história, primeira aparição da vilã, nos conta como a promissora psiquiatra Harleen Quinzel abandona a sanidade para viver um louco amor com o Coringa. Mas, depois de ser abandonada pelo palhaço do crime, Alerquina une forças com o cavaleiro das trevas para se vingar de seu grande amor. Quando ela finalmente consegue encurralar o Coringa e esta prestes a matá-lo, acontece algo simples, singelo e até banal, mas que faz muito sentido para as pessoas apaixonadas. A história foi publicada no Brasil na revista Super-Herói Premium Batman 4.

Valente (Vitor Cafaggi)
Através de tiras seriadas, a HQ Valente nos conta a história de um cãozinho antropomorfizado que vive atrás do amor de sua vida e que acredita que esse amor pode estar em qualquer lugar, como, por exemplo: sentada no banco de um parque ou dentro de um ônibus. Por isso ele nunca perde uma oportunidade para encontrá-lo. Por isso, também, se apaixona facilmente e acaba sofrendo com as dores do amor (tanto os que acabam como aqueles não correspondidos).

É um relato sensível de toda a tragicomédia das ações exageradas do amor. Impossível não se identificar com algumas delas…

Até agora a série tem três volumes publicados: Valente Por Opção e Valente Para Sempre, publicadas de maneira independente, e Valente Para Todas, publicada pela editora Panini.

Cinderalla (Junko Mizuno)
Essa livre e bizarra (muito bizarra) adaptação do conto da Cinderela narra a história de Cinderalla, uma garota que se apaixona por Príncipe, um zumbi cantor. Após ser transformada em zumbi por sua fada-madrinha, Cinderalla tem até a meia-noite para conquistá-lo durante um de seus shows. Quando o fim do dia chega, e antes de se tornar viva novamente, ela foge, não sem antes deixar cair um olho durante a fuga.

Príncipe, apaixonado pela garota e querendo a todo custo reencontrá-la, passa a vagar pelo mundo dos mortos procurando por alguém cuja cavidade ocular combine perfeitamente com o olho que ele achou. Toda a bizarrice da história é contrabalanceada com os singelos e sensuais traços da autora, criando um contraste muito interessante.

No Brasil, Cinderalla foi publicado em 2006 pela editora Conrad.

Macanudo (Liniers)
Macanudo é uma serie de tiras que abordam o cotidiano de forma bem poética e, por vezes, surreal. Não há personagens fixos nem principais, mas alguns acabam aparecendo mais que os outros como a garota Enriqueta e seu gato Fellini, um robô sensível, um mímico e o próprio autor (representado geralmente com orelhas de coelho); há espaço também para pinguins, duendes e mais o que der na cabeça deste desenhista argentino.

É incrível a capacidade que Liniers tem de condensar o conteúdo dos assuntos abordados: são tiras quase sempre com poucos textos, mas que dizem muita coisa. O traço simples, o silencio latente e o colorido a base de tons pasteis dão uma certa carga melancólica à obra.

No Brasil foram publicados até agora 5 volumes pela editora Zarabatana, mas você pode lê-los em qualquer ordem.

Espinafre de Yukiko (Frédéric Boilet)
Essa é mais voltada para pessoas que preferem conteúdos mais picantes. Narra a história do próprio autor, um francês que vive no Japão e que se apaixona por Yukiko. O problema é que ela já tem namorado – que veio ao Brasil numa viagem de negócios. Ele tem então 10 dias para conquistar o amor da garota – exatamente o tempo que falta para o namorado dela retornar. Nesse ínterim o casal vai vivenciar a parte mais intensa das relações.

A HQ, calcada em referências fotográficas, trata sobre desejo, paixão e como tudo isso pode ser avassalador e marcante, ainda que curto. Publicada pela Editora Conrad.

EntreQuadros: Circulo completo (Mário César)
Passeando pelas ruas de São Paulo ao lado da bela e compreensível Karina, Freuderico narra todas as peculiaridades, tristezas e a natureza forte e intensa de seu último relacionamento. Seria mais uma competente HQ poética se não fosse a, muito bem-vinda, inserção de uma passagem fantástica que surpreende o leitor e leva a trama à beira do espiritismo – mas sem ser religioso.

É uma história recheada de palavras de incentivos e pensamentos interessantes sobre como aproveitar ao máximo os momentos bons que nos são oferecidos, também fala sobre a vida, a morte e o amor que transpassa tudo.

A série foi inicialmente publicada de maneira independente pelo autor, mas agora é possível comprar EntreQuadros: Circulo completo e mais uma antologia, publicada pela Balão Editorial.

Sott Pilgrim contra o mundo (Bryan Lee O’Malley)
Scott Pilgrim é um cara meio vagabundo que divide a casa (e a única cama da moradia) com um amigo gay. É uma pessoa sem muita perspectiva de futuro que toca numa banda de rock – também sem muita perspectiva de futuro. Sua vida começa a fazer algum sentido quando ele se apaixona por Ramona. Mas para ficar com ela terá que enfrentar 7 ex-namorados da garota.

O problema é que esses rapazes têm poderes e, como num videogame onde a dificuldade vai aumentando a cada fase, cada ex que ele enfrenta é mais poderoso que o anterior. Publicada em três volumes, esta divertida HQ é repleta de referencias à cultura pop, sobretudo rock ’n’ roll, videogames e mangás.

Toda a saga foi publicada no Brasil em três volumes pela Quadrinhos na Cia.

Habibi (Craig Thompson)
Embora seja uma HQ tão profunda que nos permite diversos níveis de leitura (ecológico, cultural, religioso etc.), Habibi é essencialmente uma história de amor. Narra a trajetória de dois escravos que se amam e que, devido à natureza de suas condições, vão se encontrando e desencontrando ao longo da vida.

É um trabalho de fôlego (com 672 páginas) que narra sem nenhum alívio para o leitor todas as provações na vida desses personagens (abusos sexuais, abandonos, doenças e por ai vai).

Fortemente calcada na cultura islâmica, a obra apresenta algumas passagens do Alcorão e das Mil e Uma Noites, propiciando uma experiência de leitura muito interessante, com diversas histórias dentro de histórias, e nos permitindo uma relação um pouco mais próxima com a arte árabe.

Por fim, impossível falar de Habibi sem mencionar os desenhos de Thompson, também influenciados pelos grafismos, diagramações e padrões islâmicos. Uma obra encantadora, em todos os aspectos. Esse livro belíssimo é mais uma publicação do selo Quadrinhos na Cia.

12 razões para amá-la (Jamie S. Rich, roteiro e Joëlle Jones, arte)
Esqueça aquelas comédias românticas cujos personagens enfrentam verdadeiras epopeias e fazem grandes loucuras para conquistar o amor da pessoa amada. 12 razões para amá-la aborda de forma extremamente realista os amores mundanos com seus momentos de paixão, ciúmes, brigas, tesão, raiva, indiferença, carinho etc.

Dividia em 12 capítulos, a obra apresenta doze razões (uma para cada capítulo ) pelas quais Evan se mantém apaixonado por Gwen. Sem a preocupação da ordem cronológica, nos são apresentados alguns momentos do casal como o primeiro encontro, uma briga, alguma piada contada, a despretensiosa opinião da garota sobre as coisas, o rapaz tentando convencer a moça sobre seus gostos musicais e por ai vai.

No final das contas, você percebe que ama uma pessoa não por ela ser capaz de realizar grandes atos de vez em quando, mas sim pelas pequenas atitudes que ela tem todos os dias.

12 razões para amá-la foi publicado em 2007 no Brasil pela Devir Livraria.

Azul é a cor mais quente (Julie Maroth)
A HQ narra a história de Clémentine, uma garota de 15 anos que se percebe apaixonada por Emma, uma garota um pouco mais velha e de cabelos azuis. Aos poucos, Clémentine vai reconhecendo e aceitando o que de fato sente por Emma, mas não sem antes enfrentar alguns obstáculos; a começar por ela mesma que, num primeiro momento repudia a ideia de estar apaixonada por alguém do mesmo sexo. Depois, ela tem que enfrentar o preconceito da sociedade, dos amigos e da própria família.

Azul é a cor mais quente, um verdadeiro tratado sobre o amor, conta a história de alguém que teve a sorte de encontrar o amor de sua vida e a coragem de lutar por ele.

O títulos ganhou grande repercussão depois de sua adaptação cinematográfica, e aqui em terras tupiniquins, a HQ foi publicada em 2013 pela editora Martins Fontes.

Alexandre Manoelquadrinhos12 razões para amá-la,Arlequina,Azul é a Cor Mais Quente,Bryan Lee O'Malley,Cinderalla,Craig Thompson,Entrequadros,Espinafre de Yukiko,Frédéric Boilet,Habibi,Jamie S. Rich,Joëlle Jones,Julie Maroth,Junko Mizuno,Liniers,Macanudo,Mário César,Paul Dini,Sott Pilgrim,Valente,Vitor Cafaggi,Yvel GuichetDia dos namorados é sempre uma data complicada para dar presentes, principalmente se você é fã de quadrinhos e procura algum exemplar romântico da nona arte para presentear a pessoa amada. Pensando nisso, o Impulso HQ selecionou algumas boas – e românticas – opções para presentear a(o) namorada(o) nessa época...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe