Ediouro aposta nas HQs clássicas e lança os três títulos na 22ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo

Após a retomada de publicações de quadrinhos clássicos, a Ediouro apresenta um pacote de lançamentos que deve acelerar o coração dos mais ávidos por HQs. Gasparzinho (O fantasminha camarada) e Riquinho (O pobre menino Rico) são os primeiros a quebrar um jejum de mais de 20 anos longe das bancas brasileiras e chegam por meio de histórias completas em edições mensais.

O público adulto, por sua vez, ganha finalmente a revista do Popeye. O marinheiro mais famoso dos quadrinhos surge agora em edição com suas melhores histórias e desventuras. As revistas estão disponíveis nas principais bancas. O lançamento oficial acontece na 22ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Riquinho é uma criação do estúdio Harvey Comics, cuja primeira aparição data de 1953. No Brasil, popularizou-se, sobretudo, na forma de desenhos animados. Riquinho, como o próprio nome sugere, um endinheirado garoto que traz a personificação do bom menino. “Como os novos leitores verão e os antigos leitores terão a chance de recordar, as histórias são inocentes e sempre terminam com alguma intervenção criativa e generosa do pequeno e milionário herói”, pontua o editor Daniel Stycer no texto de abertura da primeira edição da revista. Em 1995, Riquinho adquire carne e osso, em filme homônimo, sob a interpreção de Macauly Culkin.

Criado em 1939, pelos americanos Joe Oriolo e Seymor Reit, Gasparzinho ganhou definitivamente o Brasil nos anos de 1980 por meio de animações. Contudo, o fantasminha camarada já estava presente em HQs brasileiros, pelo menos, 20 anos antes. Em seu incansável desejo de fazer novos amigos, as histórias de Gasparzinho abrem espaço para seus três tios arruaceiros (o Trio Assombro) e sua amiga Luísa (uma bruxa boazinha), além de Lelo (um fantasminha travesso) e Luarino (um cavalo fantasma). “Ele é a antítese do que se espera de um fantasma. Gasparzinho e Luísa são bonzinhos num mundo de adultos maus. Este é, com certeza, um dos muitos motivos que fará com que tenham um lugar cativo nos corações das novas gerações”.

As revistas Riquinho e Gasparzinho contêm 52 páginas coloridas, em formato é 13,5 cm x 19 cm. As edições chegam em periodicidade mensal ao valor de R$ 3,10.

Popeye e Seus Amigos foi relançado no Brasil, no último mês de maio (então, como parte integrante da publicação Recruta Zero e Outros Clássicos), o marinheiro Popeye conquista sua tão sonhada revista. Sob o nome Popeye e seus Amigos, a publicação desponta em 64 páginas coloridas compostas por história corridas e completas. O personagem título divide espaço com outros personagens clássicos, caso de Krazy Kat, Belinda e Adalberto, Piadas do Pinduca e os consagrados Hagar, Arca dos Bichos e Recruta Zero. A revista será disponibilizada nas principais bancas de jornal custando R$ 4,50.

Popeye foi criado em 1929 pelo cartunista americano Elzie Crisler Segar. Quatro anos depois, o as aventuras do marinheiro surgem em versos animadas sob as mãos de Dave e Max Fleischer. Segar morre em 1938. Dez anos mais tarde, o cartunista Bud Sagendorf assume a elaboração de histórias com a personagem. Posto que mantém por 14 anos. No Brasil, as produções animadas do personagem, desenvolvidas pela King Features Sindicate TV e Hanna-Barbera, nos anos 60 e 80, respectivamente, popularizaram ainda mais suas histórias.

Renato LebeauquadrinhosEdiouro,Gasparzinho,Popeye,RiquinhoEdiouro aposta nas HQs clássicas e lança os três títulos na 22ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo Após a retomada de publicações de quadrinhos clássicos, a Ediouro apresenta um pacote de lançamentos que deve acelerar o coração dos mais ávidos por HQs. Gasparzinho (O fantasminha camarada) e Riquinho...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe