Encontros entre super-heróis definitivamente não são uma novidade, nem mesmo nos quadrinhos brasileiros. Quando isso é realizado numa trama que, além de ação, garante o desenvolvimento dos personagens envolvidos, a satisfação com a leitura é muito maior e a HQ se torna mais relevante.

Tais encontros, os “crossover”, via de regra obedecem a uma estrutura que vai do desentendimento inicial que leva ao confronto entre os protagonistas da HQ até aliança que os conduz ao triunfo contra seus inimigos. Em Vulto & Tormenta – DSF A Super Ameaça, gibi lançado recentemente pela Júpiter II, a história não difere, mas há um diferencial indiscutível: o desenvolvimento dos personagens.

Durante uma investigação em Belo Horizonte, Vulto descobre que o rastro deixado por um cartel criminoso que vem investindo na criação de uma droga capaz de imbuir o usuário de força sobre-humana se estende até a capital paulista. Com a ajuda de seu amigo Anderson, um delegado da corregedoria, o vigilante deixa sua base de operações, a capital de Minas Gerais, rumo a cidade do Tormenta. Pronto. Está armado o cenário que colocará o Caçador de criminosos frente a frente com a Lenda urbana.

Wellington Santos conduz a trama com momentos de humor e ação bem distribuídos, mas seu maior mérito reside em não deixar de desenvolver e expandir o universo dos personagens diante da estrutura do crossover. Ficamos sabendo mais sobre os protagonistas, características até então inexploradas e importantes de ambos os personagens, suas razões, métodos e motivações, que dizem muito de suas atitudes – tornando o encontro relevante e significativo para a cronologia tanto do personagem de Wellington, o Vulto, quanto para o Tormenta, de Edu Manzano.

Desenhos e cenários caprichados embalam a narrativa ao longo de quase 40 páginas de uma edição com extras significativos, que vão da ficha técnica dos personagens a um texto sobre o histórico da proposta de unir Vulto e Tormenta, além de ilustrações temáticas. Heróis, vilões, mafiosos, delegados, policiais infiltrados e muitas curiosidades aguardam os leitores.

Em V&T, Wellington Santos divide os desenhos com seu amigo Raimundo Gomes (Vulto, Destemido) e o resultado é bastante caprichado, com excelente emprego de luz e sombras – característica que deve ser levada a sério em edições em P&B.

Certamente uma edição merece ser apreciada por vários aspectos.

Vulto & Tormenta – DSF A Super Ameaça

Editora Júpiter II
Roteiro: Wellington Santos
Arte e edição: Wellington Santos e Raimundo Gomes
44 páginas
R$ 5,00
Contatos: [email protected] | [email protected]

Dennis Rodrigoresenha hqbEdu Manzano,HQB,Júpiter II,Raimundo Gomes,resenha,Tormenta,Vulto,Wellington SantosEncontros entre super-heróis definitivamente não são uma novidade, nem mesmo nos quadrinhos brasileiros. Quando isso é realizado numa trama que, além de ação, garante o desenvolvimento dos personagens envolvidos, a satisfação com a leitura é muito maior e a HQ se torna mais relevante. Tais encontros, os “crossover”, via de...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe