Vó, de Jean Galvão, reúne uma série de tiras publicadas originalmente na revista Zongo Comiquês.

Como o nome sugere, as tiras giram em torno dessa emblemática figura e situações que lhe são características, como a religiosidade, os excessos de remédios, excessos de dores e a solidão. Há ainda a presença de elementos fantásticos como a personificação da morte e o retrato do falecido marido da Vó, Tonico, que fala, anda e age como fosse uma reencarnação do defunto.

Em todas essas situações Galvão consegue extrair o riso de seu leitor, mas é curioso que as tiras abordando a solidão também consigam essa façanha, principalmente porque toca em questões bem pesadas. É o típico caso em que a gente pensa: “Essa tira seria (muito) trágica se não fosse (muito) cômica”, e ai, damos risadas sem peso na consciência.

Vale destacar a diagramação das tiras, que variam muito: algumas são compostas por 3 quadros na vertical, outras são 4 quadros formando um quadrado (dois encima e dois embaixo) e, por fim, dois quadros encima e o terceiro solto sem bordas na metade inferior da página. Bem bacana!

Finalizando a resenha, vale uma atenção também ao formato da edição, 12 x 16 cm, que a deixa com um ar frágil (assim como qualquer figura de avós) e nos faz manuseá-la com extremo cuidado e atenção.


Autor: Jean Galvão
Leya/Barba Negra
128 páginas
Data: Agosto de 2010
R$ 12,90

Alexandre Manoelresenha hqbBarba Negra,HQB,Jean Galvão,Leya,resenha,VóVó, de Jean Galvão, reúne uma série de tiras publicadas originalmente na revista Zongo Comiquês. Como o nome sugere, as tiras giram em torno dessa emblemática figura e situações que lhe são características, como a religiosidade, os excessos de remédios, excessos de dores e a solidão. Há ainda a presença...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe