Vigor Mortis é uma companhia de teatro criada em 1997. Em suas peças, o grupo sempre explorou o tema horror, aliado a outros elementos como o humor negro e a cultura pop, para tratar de questões atuais. Mas a relação da Cia. com a cultura pop vai além de simples influências, em 2009 o próprio grupo resolveu transformar uma de suas peças, Morgue Story, num filme.

Outro flerte bacana é o lançamento deste Vigor Mortis Comics, um álbum composto de HQs curtas que exploram o universo de alguns personagens criados pela Cia. para suas peças. Para isso, Paulo Biscaia, diretor da Vigor Mortis, contou com a colaboração dos quadrinistas José Aguiar e DW Ribatski, que já trabalharam na concepção visual de algumas peças do grupo.

O resultado são 8 histórias repletas de sangue, sexo, seres fantásticos, uma boa dose de humor negro e mais sangue. Histórias fechadas e independentes que não exigem do leitor conhecimento prévio das peças do grupo para apreciar este material.

A HQ de abertura, “Oswald apaixonado”, narra a trajetória de Oswald, o único zumbi do mundo, e seu dia a dia solitário até o momento em que ele finalmente encontra uma surpreendente garota adepta das mais diversas modalidades do sexo e que o aceita como é.

“Corra cataléptico, corra” narra a história de Tom, um vendedor de seguros cataléptico que acorda num necrotério, de novo, e tem que atravessar a cidade inteira e chegar na penitenciaria antes que o governo execute um inocente acusado de tê-lo matado.

“Freddy in Wonderland”, nos conta como Fred, advogado, irritou a família de mafiosos que controla a sua cidade e foi parar num lugar realmente estranho, um misto de prostíbulo e circo de aberrações.

“Ursula unchained” é a história de uma atriz pornô que é mantida refém em seu próprio apartamento por um fã impotente. A narrativa dessa história merece um destaque a parte por ser feita com quadros simétricos e extremamente pequenos que vão mantendo o suspense até a última página da HQ.

“O morto e a sombra” retrata a incômoda relação entre a famosa quadrinista Ana Argento (personagem fictícia criada pela Cia.) e um estranho aluno de suas oficinas de HQ.

“Wanda encontra o homem do saco” nos apresenta o emocionante encontro de uma detetive vampira com uma das mais clássicas lendas urbanas, o homem do saco que rapta criancinhas.

“A sombria morte do Homem Sombra”, expõe as torturas do processo criativo de um quadrinhista ao mesmo tempo em que apresenta, de maneira metalingüística, sua produção. Mesmo tema e forma tratados na HQ que encerra o álbum “A revanche do morto”.

As histórias vão alternando de desenhista, cada um deles explorando suas particularidades, como o detalhismo de Aguiar ou as quase abstrações de DW. Os dois se utilizam as cores preto, branco e vermelho para dar um clima ainda mais interessante às histórias.

O resultado disso tudo é um álbum de terror como a muito não se via no país que revelou muitos talentos nesse gênero. Trabalho altamente recomendado para fãs de filmes de terror trash, de histórias de zumbis, death metal e outras manifestações do gênero.

Desde já um dos melhores lançamentos do ano!

Vigor Mortis Comics
Autores: Paulo Biscaia, José Aguiar & DW Ribatski
Zarabatana Books
112 páginas
Data: Abril de 2011
R$ 30,00

Alexandre Manoelresenha hqbDW Ribatski,HQB,José Aguiar,Morgue Story,Paulo Biscaia,resenha,Vigor Mortis Comics,Zarabatana BooksVigor Mortis é uma companhia de teatro criada em 1997. Em suas peças, o grupo sempre explorou o tema horror, aliado a outros elementos como o humor negro e a cultura pop, para tratar de questões atuais. Mas a relação da Cia. com a cultura pop vai além de...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe