Há muito mais dentro de nós do que demonstramos. O nosso verdadeiro eu, ou o que nos define não está estampado em nossa face. “Vermelho, Vivo”, de Cristina Judar e Bruno Auriema, trata dessa e de outras questões.

Publicado pela Devir Livraria no fim de 2011, a dupla repete a parceria já realizada no álbum Lina, e mais uma vez consegue nos apresentar uma história que prende a atenção do leitor, seja pelos belos desenhos de Bruno, ou pelo roteiro que nos apresenta uma personagem interessante e complexa: Clara Martins.

Durante o álbum o leitor é apresentado a uma mulher que aparentemente tem uma vida norma: casa, emprego, e é claro, um trauma de infância. E o que seria de muitas personalidades sem essa peculiaridade?

Acompanhar Clara em um dia em que tudo muda, ou se revela, é visualizar o cotidiano de uma grande metrópole, onde pessoas se tornam banais, os lugares perdem as cores e onde a rotina é o único mecanismo de continuar indo em frente. Mas lembre-se, essa é uma história de quem somos por dentro, e os personagens tomam atitudes opostas do que eles poderiam representar.

A arte de Bruno, além de bonita, é bem executada e trabalha a serviço da narrativa. O quadrinhista soube explorar os close ups para enfatizar a importância de alguns objetos em cena, ou também para mostrar ao leitor expressões e olhares carregados de drama, dúvida e medo.

Por falar em narrativa, o roteiro de “Vermelho, vivo” nasceu de um conto homônimo de Cristina Judar. Tal fato é refletido na história justamente na cadência da narração, chegando a gerar a questão: é um conto em HQ ou uma HQ em conto? Se você gosta desse tipo de estrutura, “Vermelho, Vivo” terá algo a mais para te agradar.

Um exercício interessante para todos aqueles que gostam de analisar como a HQ foi narrada graficamente pode ser feito com “Vermelho, vivo”, isso porque no final do álbum, na parte dedicada aos extras, os autores colocaram uma das primeiras versões do conto, o que nos permite ver como uma história em quadrinho é uma linguagem visual própria e como os autores, adaptaram o conto à narrativa gráfica.

Outro extra é a exibição de duas páginas de estudo do desenho de Bruno. Uma pena o tamanho diminuto e o pouco espaço, mas com certeza vale a pena dar uma olhada.

Um dos destaques é o tratamento com as cores, e o seu uso também a favor da narrativa. Crédito de Bruno em parceria com Rodrigo Perrote. A dupla soube utilizar a cor vermelha e suas nuances, e trabalharam muito bem as cores opostas para os cenários para gerar um harmonioso contraste nas páginas.

A única coisa que o leitor pode ficar esperando da obra é uma exploração maior sobre quem é Clara Martins. Cristina Judar criou uma personagem muito interessante e a colocou em um universo que pode explorar os mais diversos assuntos como o verdadeiro eu de cada um, a pressão de uma metrópole, o machismo e abusos que muitas mulheres sofrem, prostituição, ou seja, elementos para ótimas narrativas, que como já comprovado, Cristina tem total habilidade para desenvolvê-las. Clara Martins é o típico personagem que deveria ganhar mais histórias publicadas.

Para finalizar, a parceria Bruno Auriema e Cristina Judar com certeza rende bons trabalhos, e a prova disso é que “Vermelho Vivo” foi uma das publicações contempladas pelo PROAC 2010. Esse mesmo feito a dupla já conseguiram anteriormente em Lina, primeira HQ em conjunto da dupla. Logo, agora é esperar e torcer para mais uma excelente história dos dois.

Vermelho, Vivo

Devir Livraria
História: Cristina Judar
Arte: Bruno Auriema
20,5 × 27,5 cm
Colorido
48 páginas
R$ 18,50

Renato Lebeauresenha hqbBruno Auriema,Cristina Judar,Devir,HQB,PROAC,resenha,Rodrigo Perrote,Vermelho VivoHá muito mais dentro de nós do que demonstramos. O nosso verdadeiro eu, ou o que nos define não está estampado em nossa face. “Vermelho, Vivo”, de Cristina Judar e Bruno Auriema, trata dessa e de outras questões. Publicado pela Devir Livraria no fim de 2011, a dupla repete a...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe