Uma-lhama-no-cinema-Lorena-Kaz-ConradAprendi a amar o cinema em 1965 ou 66, quando assisti em pé, encostado na parede de um cinema de bairro, Branca de Neve e os Sete Anões. Depois virou paixão. Quando ganhava algum dinheiro era para o cinema (matinê aos domingos) ou um gibi. Nos anos 70 chegava a ver o mesmo filme duas vezes na mesma semana, e ia 3 ou 4 vezes no cine Lapenna, pertinho de casa.

Foi lá que vi Guerra nas Estrelas, de chinelo e se recuperando de uma gripe bem forte. Outros filmes foram Dona Flor e seus Dois Maridos, Mary Poppins, Os Trapalhões no Planalto dos Macacos, Caça-fantasmas 1 e 2, Romeu e Julieta (a versão de 1968), Indiana Jones e muito mais. Quando passou Tubarão, fui mais para ver “Fase IV Destruição” de Saul Bass (artista gráfico que inovou os títulos dos filmes) e muitas reprises. Quando o videocassete se popularizou, acabaram com as reprises nos cinemas.

Uma-lhama-no-cinema-Lorena-Kaz-Conrad-2Quando o cinema fechou no meio dos anos 80, eu já o havia trocado há algum tempo pelas salas do centro de São Paulo, além dos muitos cines clubes e salas de alguns museus, como o Lasar Segall. Nessas salas vi Laranja Mecânica no dia da estreia, e algum tempo depois com uma amiga, mas agora com umas bolinhas pretas, impostas pela censura. Zé do Caixão me provocou pesadelos quando era menino e quando revi os filmes na Cinemateca Brasileira, as sessões estavam lotadas de crianças que adoravam o personagem.

Todas essas figuras e tantas outras que fizeram muitos sonhar no cinema ou na poltrona de casa assistindo Sessão da Tarde estão no livro de Lorena Kaz, Uma Lhama no Cinema, publicada pela Conrad Editora, onde uma lhama apaixonada pelo escurinho do cinema encarna os personagens de vários filmes.

Exato, o álbum não é uma história em quadrinhos (apesar de estar sendo resenhado aqui nessa coluna), mas sim de um livro ilustrado que reúne os desenhos que foram publicados na página do Facebook “Uma lhama por dia!”, que tem até agora 21 mil curtidores. Os temas e as situações são variados, pois a Lhama é apaixonada por filmes, cosplay e anos 80. Em sua estreia no universo impresso, o assunto escolhido foi cinema, portanto o livro reúne 70 imagens da Lhama encarnando os mais diversos ícones da sétima arte.

Festival-Guia-dos-Quadrinhos-2016-3Conheci a Lorena na HQMIX Livraria no lançamento da revista Subversos e na internet com seu personagem Lokaz. Dona de um traço singular, Lorena sem uma palavra diverte e brinca com os apaixonados pela sétima arte.

Legal é ler esse livro bacana a dois e descobrir os filmes que a Lhama mais ama (ops! enrolei a língua).

Uma Lhama no Cinema
Conrad Editora
Autora: Lorena Kaz
Acabamento: Brochura
Preto e Branco
144 páginas
15 x 15 cm
R$ 19,90

cine-sao-miguel-lapennaPs.: para matar as saudades dos cinemas de rua, abaixo os dois do bairro onde nasci: Cine São Miguel e Cine Lapenna.

http://impulsohq.com/wp-content/uploads/2016/04/Uma-lhama-no-cinema-Lorena-Kaz-Conrad-1.jpghttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2016/04/Uma-lhama-no-cinema-Lorena-Kaz-Conrad-1-300x287.jpgFloreal Andraderesenha hqbconrad,Lorena Kaz,Uma Lhama no CinemaAprendi a amar o cinema em 1965 ou 66, quando assisti em pé, encostado na parede de um cinema de bairro, Branca de Neve e os Sete Anões. Depois virou paixão. Quando ganhava algum dinheiro era para o cinema (matinê aos domingos) ou um gibi. Nos anos 70 chegava...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe