capa-SL-72Acho que a primeira vez que vi essa mistura de tecnologia com elementos de Western foi assistindo o seriado James West nos anos 60. Uma mistura de James Bond, humor e bang bang. Foram poucas vezes que pude ver, só décadas depois consegui rever nas gravações feitas pelo meu irmão no Canal Retrô e agora com alguns DVDs lançados com a dublagem antiga. Divertido até hoje.

Não sei quem foi o criador em quadrinhos desse estilo, mas nas ilustrações, quem sempre me impressionou foi o artista brasileiro Henrique Alvim Corrêa, que aos 29 anos ilustrou uma edição belga de 500 exemplares do livro de H.G. Wells “A Guerra dos Mundos”*, e agora quem impressiona nas HQs, pelo menos no mais recente álbum da editora Draco, Steampunk Ladies: Vingança a Vapor, são os artistas Di Amorim e Wilton Santos.

Mas calma. Antes de falar da arte, vou mencionar a história que conta com o roteiro de Zé Wellington (Quem Matou João Ninguém) e que nos traz uma história cheia de ação e aventura, sem cair nos estereótipos dos super-heróis. Um belo exemplo de que “clichês” podem ser usados sim, desde que, com inteligência.

SL-miolo33-48-4A nossa história começa com um assalto a banco. Um caçador de recompensas tenta prender os irmãos Bolton, mas para sua surpresa eles são uma mistura de homens e máquinas. A quadrilha volta a atacar, e agora o alvo é uma diligência e seus ocupantes. Tudo termina com duas mortes, então duas belas vão se unir em busca de vingança.

Pronto. Tudo bem arquitetado, praticamente o começo de qualquer filme de Velho Oeste americano, aonde a motivação será a vingança. Mas Wellington soube subverter algumas regras e logo de cara nos mostrar que o nosso “mocinho” seria o caçador de recompensas e sim, Sue e Rabiosa, mulheres que têm em comum destinos trágicos.

Aliás, apesar de se passar em um tempo de violência e machista, as mulheres aqui são os grandes motores a vapor dessa narrativa, o que levantam muita a questão do papel da mulher na sociedade seja nos tempos anteriores ou até mesmo no de agora. Ponto para o roteirista que abordou isso muito bem.

SL-miolo01-16-9A terceira figura feminina da história é a vilã Lady Delillah que é a causadora das tragédias nas vidas das nossas protagonistas. Um confronto inevitável que traz durante toda a aventura muitos tiros, mutilações e sangue que explodem nas páginas dessa que parece ser o início de uma grande saga.

Como já consta no próprio nome, o steampunk (subgênero da ficção científica no qual os paradigmas tecnológicos modernos ocorreram mais cedo do que na história real) está presente em cada quadro com os personagens que usam aparatos mecânicos para subjugar os seus inimigos. Uma mistura interessante é que gerou ótimos resultados gráficos.

Agora sim, falando na arte. Se em um primeiro momento você pode torcer o nariz pelo tamanho do álbum (17 x 24 cm) e por ser capa cartonada, relativamente fino comparado com os álbuns das editoras concorrentes, toda a sua desconfiança cai por terra ao folhear a obra. Essa aventura em quadrinhos, que chegou ao Impulso HQ graças aos nossos parceiros da Comix Book Shop, é muito bem desenhada, com ângulos, enquadramentos e diagramação bem trabalhados para valorizar ainda mais a ação.

steamladesbydi-amorim-page1213Di Amorim e Wilton Santos nos entregam uma história em quadrinho com tanto requinte que fez eu pensar porque nunca tinha visto algo deles antes? Aliás, falando em requinte, as cores também estão em pleno alcance com a arte Ellis Carlos. Apesar da paleta leve e a ausência de tons escuros, a história não perde o tom sério.

Mulheres perigosas e deslumbrantes, máquinas bizarras e um punhado de perigosos bandidos, ação (muita ação) do primeiro até o último quadrinho. Tudo isso você irá encontrar em Steampunk Ladies: Vingança a Vapor.

Super-recomendado.

Steampunk Ladies: Vingança a Vapor
Editora Draco
Rotei: Zé Wellington
Arte: Di Amorim e Wilton Santos
Cores: Ellis Carlos
Letras e grafismos: Deyvison Manes
17 x 24 cm
72 páginas
R$ 34,90

Steampunk

* No clássico livro de H.G. Wells “A Guerra dos Mundos”, em 1905, as gigantescas armas de guerra dos marcianos com vários tentáculos de metal e dois assustadores olhos eletrônicos são de uma beleza extraordinária. Tenho uma luxuosa edição brasileira impressa em 1981. Deixo aqui para vocês conhecerem uma ilustração de Henrique Alvim Corrêa que ilustrou o livro.

http://impulsohq.com/wp-content/uploads/2015/07/ladies.jpghttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2015/07/ladies-300x300.jpgFloreal Andraderesenha hqbDeyvison Manes,Di Amorim,Draco,Ellis Carlos,Steampunk Ladies,Vingança a Vapor,Wilton Santos,Zé WellingtonAcho que a primeira vez que vi essa mistura de tecnologia com elementos de Western foi assistindo o seriado James West nos anos 60. Uma mistura de James Bond, humor e bang bang. Foram poucas vezes que pude ver, só décadas depois consegui rever nas gravações feitas pelo meu...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe