sapios_mutunas_resenha

A edição tem uma capa que a coloca naquele grupo de publicações que dificilmente se destacariam numa prateleira. O desenho, a composição, as cores e a impressão estão ruins e devem ser repensados para as próximas edições.

Por se tratar de uma versão encadernada de uma série que saiu nas 3 primeiras edições da extinta revista Talentos Nacionais, mereceria um tratamento mais adequado.

O argumento é interessante: uma organização terrorista mutante desfere um atentado contra uma escola, matando mais de 800 pessoas – crianças, em sua maioria. Vendo a ineficácia do governo, um grupo de parentes das vítimas (alguns deles, mutantes), decide se unir para vingar a morte de seus entes queridos.

O problema é que a HQ escorrega na editoração, na narrativa e nos desenhos.

Embora impressione pelas suas cento e tantas páginas, o preço conseqüente disso afasta os leitores, ainda mais por se tratar de uma publicação nova e com uma capa ruim. Há o também o problema de ter algumas páginas em branco, caso das 2ª e 3ª capas. O espaço poderia ser melhor utilizado.

A apresentação dos personagens que integram o grupo (que não recebe nome nesta edição) é fraca, com exceção de Vada Aesmith. Eles aparecem brevemente na cena do atentado; na cena seguinte já fazem parte do grupo. A própria formação do grupo é rápida e confusa demais.

O nome dos personagens é outra coisa complicada. Ao que parece são sete integrantes, uma, inclusive, aparece do meio para o fim da história e se comporta como se já fosse integrante da equipe desde o início – e pela trama confusa, talvez seja mesmo.

No decorrer da história, os mesmos personagens são chamados por outros nomes como Roger, Snipper, Empty, Cistrans e não aparece nenhuma referência a estes nomes antes ou depois dessas citações. O desenho também não ajuda muito, a caracterização dos personagens é ruim. São todos muito parecidos uns com os outros, em traços e vestimentas (exceção feita ao personagem Dorian Saez, visivelmente inspirado em Wolverine). Isso acaba deixando as cenas de ação confusas.

Nunca sabemos quem está lutando contra quem. Os cenários seguem a mesma tendência: são pobres de detalhes, reduzidos à poucas linhas, sem presença de luz e sombra e predomínio de prédios sem nenhuma referência real. Falando nisso, é triste notar que o referencial de muitos aspirantes a desenhistas não sejam os cenários brasileiros.

Frank Delmindo, o autor da obra, vive em Manaus e sua história poderia ficar muito mais interessante se ocorresse por lá, com seus prédios, becos, ruas e escolas. Mas, infelizmente, ele prefere utilizar a Costa Leste estadunidense, a SWAT, o FBI… O que destaco de positivo é a força de vontade de Delmindo para desenhar as cento e tantas páginas e reuni-las nesta edição encadernada.

Os poderes dos personagens também é algo interessante para se ver em ação (o que quase não ocorre nesta edição, aliás), principalmente porque são relativamente fracos, nada extraordinários; e o fato de interromper as poucas cenas de ação com flashbacks ajuda a criar um suspense maior na cena, mas o uso deve ser moderado para não cansar o leitor.

Sugiro que Delmindo use essa força de vontade para se aperfeiçoar mais na escrita e no desenho, observar mais as pessoas ao seu redor para notar suas particularidades e colocar um pouco de lado aquelas apostilas que ensinam “a técnica dos grandes mestres dos quadrinhos”.

Ser quadrinista requer muito mais referências do que a Marvel oferece.

Sápios & Mutunas nº1
Autor: Frank Delmindo
Revista Independente
Nº de páginas: 104
Data: Janeiro de 2009
Preço: R$ 8,00
Contato: [email protected]

Alexandre Manoelresenha hqbFrank Delmindo,HQB,resenha,Sápios & Mutunas,Talentos NacionaisA edição tem uma capa que a coloca naquele grupo de publicações que dificilmente se destacariam numa prateleira. O desenho, a composição, as cores e a impressão estão ruins e devem ser repensados para as próximas edições. Por se tratar de uma versão encadernada de uma série que saiu nas...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe