resenha_hqb_power_trio

Quando um trabalho é muito bem planejado, estruturado e executado, transborda qualidades logo numa primeira vista: capa original, chamativa e muito boa impressão e tipo de papel.

A parte interna não deixa por menos. Na segunda página vemos recortes de jornal, canhotos de ingressos e partes de objetos que criam na mente do leitor o embrião da história que se desenrolará.

A trama (primeira parte da trilogia Sexo, Drogas e Rock’n’Roll) pode não parecer muito original à primeira vista: um músico que vende sua alma para o diabo em troca de sucesso. A diferença é que, aqui, ele faz isso no momento em que adquire uma guitarra amaldiçoada, sem saber de nada (nem da maldição do instrumento, nem do preço a pagar por ele).

A partir daí inicia-se o primeiro capítulo e a história muda de foco narrativo e vem até o tempo presente para nos mostrar o personagem Guto prestes a comprar ingressos para o show da banda DE-MO (do guitarrista amaldiçoado) e ouvi-los pela primeira vez. O que acontece em seguida é algo muito… interessante, para dizer o mínimo.

Como é uma HQ capaz de surpreender o leitor várias vezes ao longo de suas páginas (e terá continuação), eu prefiro omitir os acontecimentos para não estragar as surpresas.

Basta que saibam que a revista esta dividida em 3 capítulos, cada um iniciado com um trecho de letra de alguma banda de rock – que dialoga com o conteúdo do capítulo. E que a história muda de foco narrativo várias vezes, acompanhando acontecimentos de alguns personagens e viajando do presente ao passado e voltando a um passado recente etc. Tudo isso para tornar a história cada vez mais interessante ao leitor.

A boa estrutura da HQ pode ser notada também nos desenhos e suas distribuições ao longo da revista. Cada autor desenhou o capítulo no qual as características de seus traços combinam perfeitamente com os acontecimentos.

A apresentação dos personagens também é um aspecto que eu faço questão de mencionar porque, em apenas alguns quadros, o leitor já consegue captar a personalidade de cada um deles. Algo muito raro numa história curta e com todos os personagens até então desconhecidos.
O acabamento gráfico é um show a parte, a HQ é toda em tons de roxo e usa e abusa das saudosas retículas!

Só senti falta de um expediente para nos informar mais detalhadamente os responsáveis pelo tratamento de imagens, a data de lançamento da revista e um contato direto com a mesma. Talvez quebrasse um pouco a boa diagramação da edição, mas poderia ser feito no mesmo molde dos endereços de sites de cada autor, colocados de maneira coerente ao final da edição.

Mas isso não tira o brilho da revista que deve ser divulgada entre o público de quadrinhos e fãs de rock – independentemente de estilos, e alcançar o sucesso inevitável. Aliás, não mencionar o estilo da banda foi uma opção muito feliz para não afastar os fãs mais radicais de todas as vertentes do rock.

Leitura imperdível!

Power Trio
Autores: Eduardo Medeiros, Mateus Santolouco e Rafael Albuquerque (roteiros e desenhos).
Revista independente
Nº de páginas: 32
Data: não consta na edição
R$ 5,00
Contato: www.mondourbano.com

Alexandre Manoelresenha hqbEduardo Medeiros,Mateus Santolouco,Powertrio,Rafael Albuquerque,resenhaQuando um trabalho é muito bem planejado, estruturado e executado, transborda qualidades logo numa primeira vista: capa original, chamativa e muito boa impressão e tipo de papel. A parte interna não deixa por menos. Na segunda página vemos recortes de jornal, canhotos de ingressos e partes de objetos que criam...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe