pieces

Tudo o que vive é sagrado. Levando em consideração essa frase, escrita por William Blake no extraordinário “Matrimônio do céu e do inferno”, podemos supor que todas as atitudes de quem vive são sagradas. Indo mais além, poderíamos dizer que todo o tempo de quem vive também é sagrado.

Sagrado no sentido de ser um presente divino e, como tal, merece ser vivido e apreciado com mais atenção e paixão.

É mais ou menos esta a linha de pensamento que segue Mario Cau, o autor desta edição. Suas HQs destacam os pequenos momentos da vida, aqueles minutos de nossos dias para os quais quase nunca damos a devida atenção.

As 8 HQs e 2 ilustrações reunidas aqui, realizadas ao longo dos 4 últimos anos, revelam, com sensibilidade, a poética do dia-a-dia. Como, por exemplo, o tempo em que passamos dentro de um ônibus sem, sequer, olharmos para quem está ao nosso lado; aquela conversa descontraída com os amigos num boteco; o silêncio enquanto tomamos café-da-manhã (que engole muitas palavras, mas diz muitas coisas); os diversos encontros e desencontros que a vida nos presenteia; todas as coisas que um “simples” abraço nos faz pensar etc.

Além dessa visão do cotidiano, destaco como ponto positivo a diagramação. Praticamente em todas as HQs, Cau se utiliza de composições que fogem do lugar comum, nos apresentando belas páginas que deixam a leitura mais saborosa.

Claro que nem tudo na edição é perfeito, como esses momentos também não são, diga-se de passagem. Como a maioria das estórias foca os relacionamentos entre homens e mulheres, editorialmente falando, a presença da HQ “Meio cheio, meio vazio” destoa um pouco, por se tratar de um papo entre dois amigos (o que também não deixa de ser um relacionamento).

Ler a palavra Pieces em quase todos os títulos das HQs é algo cansativo e há uma estória sem título, por isso, não dá para perceber quando ela começa. Os desenhos são competentes, hora mais limpos, hora mais carregados de hachuras, mas precisam de referências em uma ou duas cenas de abraços.
Importante citar que os roteiros aqui não têm aquela estrutura clássica de: começo – meio – fim – personagem – objetivo – grandes obstáculos – pontos de virada – mudança de valores que o personagem sofre no final da história etc.

Aqui, os personagens são bem comuns – como eu e você – tão comuns que nem nome recebem, cujos obstáculos são impostos por eles mesmos, pelos seus medos e suas inseguranças.

As estórias não têm começo nem fim, exatamente como aqueles problemas e soluções que aparecem de repente em nossas vidas – e vão embora com a mesma imprevisibilidade. Por isso são mais verossímeis e de fácil identificação.

Se você sabe apreciar cada segundo de sua vida, certamente se deliciará com o material.

Se você acha que nunca acontece nada de interessante nos seus dias, talvez esta edição lhe ajude a ver as coisas sob outro ponto de vista. Um ponto de vista no qual tudo o que vive seja sagrado.

Pieces
Autor: Mario Cau
Revista Independente
Nº de páginas: 36
Data: Janeiro de 2009
R$ 6,00
Contato: www.mariocau.com

Alexandre Manoelresenha hqbHQB,HQs,Mário Cau,Pieces,resenha,Revista Independente,William BlakeTudo o que vive é sagrado. Levando em consideração essa frase, escrita por William Blake no extraordinário “Matrimônio do céu e do inferno”, podemos supor que todas as atitudes de quem vive são sagradas. Indo mais além, poderíamos dizer que todo o tempo de quem vive também é sagrado. Sagrado...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe