resenha_hqb_overdose

O segundo número da trilogia sobre sexo, drogas e rock’n’roll (roteiro e arte de Eduardo Medeiros, Mateus Santolouco e Rafael Albuquerque), mantém as mesmas qualidades da edição anterior (intitulada Power Trio).

Todos os elementos que fizeram do primeiro número um dos grandes lançamentos de 2008 estão aqui: a boa impressão e qualidade do papel, os objetos e recortes de jornais nas 2ª e 3ª capas, os trechos de letras musicais inicializando os capítulos, a distribuição de cada desenhista no capítulo onde seu traço se encaixa melhor e, principalmente, as variações de tempo e foco narrativos.

O tratamento gráfico também continua belíssimo. A diferença é que, nesta edição, a cor verde é o tom predominante.

A apresentação dos personagens, como na edição anterior, dá uma aula de roteiro: poucos quadros bastam para termos idéia do perfil de cada um deles, suas atitudes e o universo que os cercam.

A diferença é que, nesta edição, são novos personagens, que vivem seus próprios dramas – todos ocorrendo mais ou menos na mesma época do show da banda DE-MO e resultam numa visão mais ampla dos acontecimentos daquela região, durante aquele período.

Sidnei Costa é um jovem com fobia de ônibus e se encontra numa situação complicada: precisa viajar, mas perdeu a receita médica e o farmacêutico se recusa a vender-lhe o remédio que controla sua fobia. Para acalmar seu nervosismo, já no início da viagem, a jovem sentada ao seu lado lhe passa uma droga, a Fuckdrina, que lhe causa alucinações e resulta num acidente com o ônibus.

Esta jovem é uma groupie de Van Hudson (o cara da guitarra amaldiçoada da edição anterior) que, mesmo fazendo tudo o que seu ídolo manda, é muito maltratada por ele.

Falando em Hudson, que aparece um pouco mais nesta edição, podemos perceber que o homem não é lá muito gente fina. Expulsou um cara do seu show só porque ele não conseguiu lhe arranjar um pouco de Fuckdrina.

Esse cara, chamado Edu, também não é lá muito amigável. Na verdade, é um traficante e que tem um grande problema pela frente: se livrar do corpo de um famoso cineasta que morreu de overdose em seu apartamento.

Todas essas histórias se encontram em algum momento no decorrer da edição (não necessariamente no final) graças à narrativa que vai e vem no tempo e que torna tudo muito mais interessante.

Apesar do clima aparentemente pesado, este número apresenta muito mais humor que o anterior. Mas ainda sinto falta de um expediente (com data, revisão, tratamento de imagens e todos os outros créditos que um expediente tradicionalmente apresenta) e os recortes de jornais poderiam trazer referência ao número da página, na revista, em que ocorre o fato mencionado.

Mas, nada que tire o brilho desta edição. Desde já, um dos grandes lançamentos do ano.

Overdose
Autores: Eduardo Medeiros, Mateus Santolouco e Rafael Albuquerque (roteiros de desenhos).
Revista independente
Nº de páginas: 32
Data: Janeiro de 2009
Preço: R$ 5,00
Contato: www.mondourbano.com

Alexandre Manoelresenha hqbEduardo Medeiros,HQB,Mateus Santolouco,Overdose,Power Trio,Rafael Albuquerque,resenhaO segundo número da trilogia sobre sexo, drogas e rock’n’roll (roteiro e arte de Eduardo Medeiros, Mateus Santolouco e Rafael Albuquerque), mantém as mesmas qualidades da edição anterior (intitulada Power Trio). Todos os elementos que fizeram do primeiro número um dos grandes lançamentos de 2008 estão aqui: a boa impressão...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe