A experimentação é um processo fundamental para a evolução de qualquer linguagem. É por meio dela que os autores desenvolvem e adicionam novos elementos a seu repertório, permitindo que o meio em que atuam mantenha-se constantemente em sintonia com seu tempo.

A presença da experimentação indica que os criadores já dominam os elementos básicos do ramo e partem agora em busca de um algo mais.
Por isso é extremamente bem-vindo o lançamento da JAM, uma revista experimental desde o nome, em alusão à improvisação feita por músicos – geralmente de jazz – no palco.

As histórias aqui reunidas foram criadas a partir do formato da revista, 17 x 20 cm, e de sua temática, Reflexos e Reflexões, que foi interpretada de diversas maneiras pelos autores.

Há desde HQs mais tradicionais, que abordam questões sobre a vida e a morte como a HQ “Viagem sem volta” de Daniel Esteves & Will, até trabalhos que exploram os reflexos e suas propriedades narrativas, como é o caso da HQ de Jozz (que eu fiquei em dúvida quanto ao título), os quadrinhos mais próximos que eu já vi do trabalho de Michel Gondry (famoso pelo filme “Brilho eterno de uma mente sem lembranças”, por alguns clipes da banda “The White Stripes” e pelos melhores comerciais da Smirnoff). Grande trabalho (me refiro ao de Jozz, mas o de Gondry também é fascinante)!

A revista passa também pelo erotismo, na HQ “beb ada” de Gil Tokio, pela crítica social, “O Povo da perna de pau” de Marlon Tenório (outro grande momento da revista, retrata um povo que prefere andar de muletas para não ferir suas pernas – confesso que torço para o autor desenvolver mais esse universo interessante e a partir dele criar uma história longa) e pela “Identidade em crise”, título autoexplicativo da HQ de Edu Mendes.

O experimentalismo se estende, felizmente, também nos créditos e na diagramação – a HQ de Edu Mendes, por exemplo, é um encarte colorido no centro da edição, estilo aqueles pôster dobrados que a gente encontra em uma porção de revistas.

Curioso notar que é nesta publicação experimental que vamos encontrar um dos raros casos na atual cena nacional de quadrinhos em que os trabalhos realmente foram editados, isto é, tiveram acompanhamento de alguém responsável em deixar as HQs melhores e em sintonia com a edição.

Entretanto, como quase toda experimentação, este é um trabalho mais voltado às pessoas interessadas na exploração da linguagem, por isso acho que dificilmente agradará aqueles leitores que apreciam histórias mais convencionais.

Parabéns ao pessoal pela ousadia e pela iniciativa de buscar um algo a mais dentro dos quadrinhos.

Desde já aguardo as próximas edições, que o grupo pretende mudar de formato e de temática a cada número.

JAM nº1
Autores: Daniel Esteves, Edu Mendes, Gil Tokio, Jozz, Marlon Tenório e Will.
Revista Independente
28 páginas
Data: Março de 2010
R$ 8,00

Alexandre Manoelresenha hqbDaniel Esteves,Edu Mendes,Gil Tokio,HQB,JAM,Jozz,Marlon Tenório,resenha,Revista Independente,WillA experimentação é um processo fundamental para a evolução de qualquer linguagem. É por meio dela que os autores desenvolvem e adicionam novos elementos a seu repertório, permitindo que o meio em que atuam mantenha-se constantemente em sintonia com seu tempo. A presença da experimentação indica que os criadores já...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe