Esses dias fuçando em um sebo encontrei um livro sobre piratas, uma edição inglesa de 1924, e logo lembrei de três desenhistas de quadrinhos: S. Clay Wilson, Laerte e Marcos Venceslau. O que eles três tem em comum? Eles desenharam diversas aventuras com esses personagens, os piratas, e que continuam na ativa até os dias atuais.

S. Clay Wilson e Laerte são mais conhecidos do grande público, por isso não se espante ao ver o nome Marcos Venceslau nas minhas comparações. Apesar de navegar em águas menos populares, Venceslau sempre foi um combatente do quadrinho nacional e já “combate” nas marés independentes há um bom tempo.

Em seu no seu novo projeto, Inquietude, temos uma pantomima em quadrinhos no “Enquadrado” uma figura de chapéu, camiseta e tênis que apronta um bocado de coisas, ora preso no espaço de um requadro ou quando ele desaba na sua cabeça.

Inquietude é uma revista com HQs mudas dedicadas aos que “valorizam o silêncio para desenhar e contar histórias”, como diz o Venceslau em seu texto de abertura. Nas páginas percebemos que o artista domina a nona arte e literalmente pinta e borda, e ao final, se apaixona quando parece o fim de tudo, uma surpresa.

Há alguns dias conversei com um editor de quadrinhos e falamos dos pioneiros da nona arte, e disse que gostaria de ver editado no Brasil uma história em quadrinhos de 1930, ”Ele Foi Mau Para Ela” de Milt Gross, uma novela gráfica contada somente com imagens. Na falta ainda de uma editora que se disponha, fico feliz em ler o trabalho de Marcão (como ele é conhecido nos eventos) que segue pelo mesmo caminho.

Inquietude vem justamente disso, da vontade de ir além. É o complexo velado pela simplicidade. São águas calmas que na verdade só estão por cima de oceanos turvos e perigosos. Percebam que o traço é simples e de linha fina, mas a expressão está lá, o movimento, à dinâmica e principalmente, a metalinguagem da linguagem das histórias em quadrinhos.

Nem preciso dizer o quanto é difícil ser simples, e mais ainda ser narrativo com poucas linhas. Para chegar à esse ponto é preciso conhecer e entender todas as regras, para conseguir manipular as regras, e no caso aqui, estou falando das regras da linguagem das HQs. Venceslau mostra que entende de toda a gramática dos quadrinhos, da sua sintaxe e morfologia.

Venceslau apresenta o claro para revelar o escuro, em uma revista com vários níveis de leitura. Uma HQ passada nas águas das marginais do rio Tietê ou Pinheiros, uma história aonde muita coisa acontece e passa longe dos nossos olhos, à margem dos rios desta grande cidade.

Inquietude é a prova que grandes tesouros podem ser encontrados em ilhas escondidas, também conhecidas entre os marujos mais experientes como mesas dos artistas independentes.

Inquietude
Edição Independente
Autor: Marcos Venceslau
Preto e Branco
24 páginas
17 x 23 cm
Contato: [email protected]

http://impulsohq.com/wp-content/uploads/2017/06/inquietude-4.jpghttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2017/06/inquietude-4-150x150.jpgFloreal Andraderesenha hqbInquietude,Marcos VenceslauEsses dias fuçando em um sebo encontrei um livro sobre piratas, uma edição inglesa de 1924, e logo lembrei de três desenhistas de quadrinhos: S. Clay Wilson, Laerte e Marcos Venceslau. O que eles três tem em comum? Eles desenharam diversas aventuras com esses personagens, os piratas, e que...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe