Graffiti – um conto urbano, narra a história de dois traficantes, Cigano e PR, em confronto pelo amor de uma garota, Dani.

Como forma de se vingar pela traição, Cigano arquiteta um plano para se livrar, de uma vez só, de Dani e PR, de quebra tenta “dar um jeito” também no Seu Matoso, um idoso amargo que fica enchendo o saco do pessoal na rua.

Além desse triângulo amoroso, a HQ aborda também outros personagens e questões urbanas como os moradores de rua e o abandono de animais.

A narrativa é competente por dar o devido espaço para uma apresentação correta dos personagens (nós sabemos exatamente quem é quem, o que cada um quer da vida e acompanhamos a mudança de postura pela qual passam os personagens num roteiro tradicional) e dosa muito bem os diálogos com cenas de ação, mas escorrega no uso excessivo de legendas. Em algumas passagens, sobretudo nos dois capítulos finais da obra (são três no total), as legendas são até interessantes por acrescentar certo lirismo à trama, apresentando-nos os sentimentos dos personagens carregados de grande sensibilidade. Mas no primeiro capítulo elas limitam-se a descrever o que os desenhos nos mostra – e isso trava um pouco a leitura nessa parte.

A arte, apesar de estar a cargo de três desenhistas, mantém certa homogeneidade, em grande parte graças aos tons escuros da colorização que vai prenunciando o conteúdo dramático da história.

A essa altura, o leitor mais atento deve estar se perguntando: E o que o graffiti do título tem a ver com tudo isso? Nada, ele serve apenas como pano de fundo para ambientar um conto urbano na figura de um grafiteiro que certo dia aparece na região e resolve fazer um grafite na rua onde se passa grande parte da trama – e demora mais de um mês para finalizar seu trabalho.

Verdade seja dita, o graffiti aparece também como cenário no último capítulo da edição, que representa o pós-vida dos personagens mortos. E essa passagem fantástica numa HQ sobre a dura realidade nos grandes centros urbanos chega a ser surpreendente.

No fim das contas, é uma HQ bem contada que, embora não se aprofunde muito, levanta várias questões pertinentes à vida nas grandes cidades.

Graffiti – um conto urbano
Autores: Leandro Luigi Del Manto (roteiro) & Benson Chin, Breno Ferreira e Thiago A.M.S.( arte)
Editora Devir
64 páginas
Data: Agosto de 2011
R$ 32,90

Alexandre Manoelresenha hqbBenson Chin,Breno Ferreira,editora Devir,HQB,Leandro Luigi Del Manto,resenha,Thiago A.M.S.Graffiti – um conto urbano, narra a história de dois traficantes, Cigano e PR, em confronto pelo amor de uma garota, Dani. Como forma de se vingar pela traição, Cigano arquiteta um plano para se livrar, de uma vez só, de Dani e PR, de quebra tenta “dar um jeito”...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe