Pegue todos os conceitos de uma novela policial, junte com um clima noir, adicione o trabalho de dois autores da nova geração, e leve tudo isso para uma das épocas mais negra do Brasil. O resultado? A excelente HQ Ditadura no Ar, de Raphael Fernandes e Abel.

Não leitor, você não está enganado, é o mesmo Raphael Fernandes que edita a MAD, tradicional revista em quadrinhos de paródias e humor escrachado, mas em Ditadura no Ar, o editor demonstra a sua habilidade como roteirista em uma HQ séria, envolvente e cheia de suspense.

Antes de falar mais sobre a versão impressa, vamos contextualizar: Ditadura no Ar nasceu dentro do blog Contraversão, administrado por Raphael Fernandes, em 2011 no formato de tiras semanais. A parceria com o desenhista Abel é resultado de uma amizade iniciada em 2009 durante o FIQ, e nada mais natural que a versão impressa tenha ganhado vida justamente no Festival Internacional de Quadrinhos seguinte.

Para quem não conhece o trabalho de Abel, o quadrinhista faz parte do grupo Café Nanquim, do Espírito Santo, que já publicaram títulos como o Almanaque Gótico e Capitu Magazine. Quem já conhece a sua arte sabe do seu imenso talento e quem não conhece está perdendo a oportunidade de ver o trabalho de um bom quadrinhista.

Abel soube caracterizar muito bem graficamente os personagens, portanto não importa a posição ou quão escura seja a cena, você consegue identificar Félix, o protagonista da série. O bom uso de texturas e retículas para a ambientação, aliado a escolha de coras opacas, garante o clima noir para a história do começo ao fim.

E por falar em clima noir, os autores acertaram em cheio em colocar a história durante a ditadura no Brasil. Esse período tem tantos elementos que podem ser usados e diversas situações que podem ser exploradas dentro do gênero suspense policial, que fica até a questão: como ninguém pensou nisso antes?

Ditadura no Ar consegue te envolver nos primeiros minutos e isso é muito bom. É o tipo de história sobre ditadura que não te desaponta. Ela não tem melindres ou hesitações, o que responde o motivo da frase logo na capa: “leitura recomendada para maiores. Chispa, pivete!”

O único incomodo da publicação é que ela acaba muito rápido. A edição impressa reúne apenas o primeiro arco da série, Sinuca de Bico, e o preço para as 20 páginas é justo, apenas R$ 4,00. A história é tão boa que você quer saber como ela seguirá adiante, e com altas expectativas.

Ditadura no Ar é uma excelente série e se continuar ganhando versões impressas, ou até mesmo, se for tudo reunido em um álbum, tem tudo para se tornas um clássico das HQBs.

Lembrando: se você não quer esperar pela próxima edição impressa de Ditadura no Ar, você pode conferir as tiras que são publicadas semanalmente no blog Contraversão.

Ditadura No Ar
Raphael Fernades e Abel
Publicação independente
Formato: A5
22 páginas coloridas
R$ 4,00
Contato: [email protected]

Renato Lebeauresenha hqbAbel,Ditadura No Ar,HQB,Raphael Fernades,resenhaPegue todos os conceitos de uma novela policial, junte com um clima noir, adicione o trabalho de dois autores da nova geração, e leve tudo isso para uma das épocas mais negra do Brasil. O resultado? A excelente HQ Ditadura no Ar, de Raphael Fernandes e Abel. Não leitor, você...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe