resenha_hqb_cogumelo

A Cogumelo é uma das últimas revistas de HQ vinculadas a alguma universidade, no caso a FAU/USP. Se no início dos quadrinhos undergrounds nacionais, algumas das publicações mais importantes estavam entrincheiradas nos centros acadêmicos (como a Balão, a Capa etc), hoje em dia isso já não ocorre mais.

Os motivos possíveis para essa dissociação entre quadrinhos e universidades renderiam um artigo interessante, mas fugiria ao propósito desta resenha.

Portanto, voltando à revista, o fato é que a Cogumelo resiste bravamente. Mesmo com um hiato de 3 anos desde sua última edição – que, curiosamente era a de número 8, a edição #9, que nunca chegou a ser impressa, era composta por trabalhos de autores que já não fazem parte do grupo, por isso os integrantes atuais decidiram concentrar suas forças na divulgação de seus trabalhos e, em respeito ao material já pronto, dar continuidade na numeração.

O resultado é aquilo que podemos esperar da produção universitária: um trabalho feito com muita vontade – lembre-se que eles estavam em meio às provas finais – descontraído, despretensioso e com espaço para experimentações.

Aqui, o mais importante é produzir e propagar o ato criativo e a linguagem dos quadrinhos, principalmente para os novos alunos que devem dar continuidade ao trabalho quando os autores aqui presentes se formarem.
A revista é composta por histórias que não primam tanto pelo desenho ou pelo roteiro bem construído – mesmo por questões de espaço, afinal, poucas histórias ocupam mais que 3 páginas – e sim pelo ato criativo, pelo ato de reunir a galera e incentivá-la a produzir – fato que fica evidente pela presença de uma HQ com roteiro de criação coletiva.

E esse espírito acaba diferenciando a revista das demais publicações independentes atuais.

Ainda assim, ou talvez justamente por isso, a edição apresenta bons momentos em trabalhos que dificilmente veríamos em outro lugar, como as ilustrações de Caio Yuzo, o traço interessante de Ale Sato e as HQs “Hortifruti” (aquela do roteiro coletivo e desenhos de Jaspion), “Thundercats” (de Bruno Kim), “Golf” (de Fabio Sayegh) e “Aquela Velha Fábula da Lebre e da Tartaruga” (de Ari e Jaspion).

Não poderia encerrar a resenha sem mencionar a capa feita manualmente em serigrafia, o que permite ao grupo mudar a cor conforte a necessidade ou ocasião (este exemplar em vermelho foi feito para a divulgação da revista no FIQ, já no lançamento em São Paulo, foi utilizada a cor verde) e acaba trazendo um agradável ar de produto artesanal.

Cogumelo nº10
Autores: Ale Sato, Ari, Artur Varandas, Bruno Kim, Caio Yuzo, Fabio Sayegh, Francesco Micieli, Gabriel Rodrigues, Giulia Calistro, Jaspion, Karina Gushiken, Krol, Otavio Limão, Victor Scopacasa e Victor Tchaba.
Revista Independente
Nº de páginas: 40
Data: Outubro de 2009
R$ 4,00
Contato: http://revistacogumelo.zip.net

Alexandre Manoelresenha hqbAle Sato,Ari,Artur Varandas,Bruno Kim,Caio Yuzo,Cogumelo,Fabio Sayegh,FIQ,Francesco Micieli,Gabriel Rodrigues,Giulia Calistro,Jaspion,Karina Gushiken,Krol,Otavio Limão,Revista Independente,Victor Scopacasa,Victor TchabaA Cogumelo é uma das últimas revistas de HQ vinculadas a alguma universidade, no caso a FAU/USP. Se no início dos quadrinhos undergrounds nacionais, algumas das publicações mais importantes estavam entrincheiradas nos centros acadêmicos (como a Balão, a Capa etc), hoje em dia isso já não ocorre mais. Os motivos...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe