balaiada_capa

A Balaiada foi uma revolta popular que ocorreu nas províncias do Maranhão e do Piauí em meados do sec. XIX. O movimento envolveu, em maior ou menor grau, índios, negros, mestiços e brancos pobres na busca por justiça e liberdade.

Durou cerca de 4 anos (de 1838 a 1842) e, de acordo com o texto da 4ª capa, “seus efeitos se fizeram sentir no Ceará, Pernambuco e até no Pará”.

Entretanto, infelizmente, é uma parte de nossa história pouco citada, lembrada ou sequer reconhecida (assim como a maioria das revoltas populares deste país, independentemente de sua época) por grande parte das camadas de nossa sociedade: alunos, autoridades, educadores, cidadãos etc.

Esta versão em quadrinhos – uma linguagem popular, como informa o texto de apresentação da obra – é uma forma de trazer às novas gerações um contato maior com a história de seu povo, que ainda batalha pelos mesmos direitos.
Penso que a leitura do trabalho pode ser focada em dois aspectos: roteiro e acontecimentos históricos.

O primeiro aspecto é onde a obra peca. Há personagens demais, muitos com participação breve, e todos eles pouco trabalhados em suas caracterizações físicas. Por isso, chega uma hora em que a gente nem sabe mais quem é quem na história; e a troca de desenhistas no meio da edição só piora as coisas, mesmo sendo eles desenhistas tecnicamente competentes.

Os personagens foram subestimados no roteiro – a cargo do também historiador Iramir Araújo que, ao eleger a revolta em si como elemento principal da trama, colocou seus protagonistas em posições secundárias.

Por isso a HQ não acompanha nenhum personagem especificamente e sim os fatos. Talvez tenha sido essa uma medida para tornar o trabalho mais objetivo, mas, ao distanciar os personagens da trama, também distancia o leitor, já que este não terá elementos com os quais se identificar na obra, nem terá a possibilidade de acompanhar e se emocionar com o drama, a vida e os ideais de nenhum dos lados envolvidos na história.

Cito como exemplo o personagem Raimundo Gomes, o líder da Balaiada. Não há um trabalho psicológico em cima dele; ninguém sabe sua história, seus medos, sonhos, qualidades, defeitos etc. Ele aparece em poucas cenas, a maioria delas dando ordens a seus comandados.

O mesmo vale para todos os outros envolvidos na revolta: políticos, soldados, escravos etc. Muito pouco para a gente sentir interesse em acompanhá-los na trama.

Mesmo usando uma linguagem teoricamente popular, é função do roteirista criar personagens interessantes para prender a atenção das pessoas e despertar o interesse delas pelo tema. Do contrário, somente os mais interessados no assunto continuarão a ler o trabalho – e se esse número fosse grande, certamente teriam toneladas de livros sobre o tema.

No aspecto histórico a HQ é perfeita. Baseado em suas minuciosas pesquisas, Iramir nós dá uma boa introdução sobre o que foi o movimento: a falta de um plano político mais sólido por parte dos revoltosos; a condição dos negros nas plantações de algodão; a movimentação dos políticos para manipular ou acabar com a revolta; as ações extremas do exército, a deserção de alguns soldados em prol do movimento etc.

A iniciativa de resgatar e tornar acessível parte tão importante de nossa história é louvável e a HQ certamente saciará o leitor já interessado nesse assunto. Entretanto, a falta de (mais) dedicação para criar personagens cativantes pode não despertar interesse nas pessoas que desconhecem o tema.

Balaiada – A guerra do Maranhão
Autores: Iramir Araújo (roteiro), Ronislon Freire e Beto Nicácio (desenhos)
Revista Independente
80 páginas
Data: Junho de 2009
R$ 25,00
Contato: http://www.balaiada-guerradomaranhao.blogspot.com/

Alexandre Manoelresenha hqbA guerra do Maranhão,Balaiada,Beto Nicácio,HQB,Iramir Araújo,resenha,Revista Independente,Ronislon FreireA Balaiada foi uma revolta popular que ocorreu nas províncias do Maranhão e do Piauí em meados do sec. XIX. O movimento envolveu, em maior ou menor grau, índios, negros, mestiços e brancos pobres na busca por justiça e liberdade. Durou cerca de 4 anos (de 1838 a 1842) e,...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe