o_major.jpg

Pela capa parece se tratar de uma HQ produzida por Frank Miller nos anos 1980. Tem até um soldado em seu uniforme com a bandeirinha dos EUA e uma chamada de alistamento das forças armadas.

A referência é boa, afinal Miller é um dos maiores autores de HQ de todos os tempos. O problema é que, com um visual desses, a HQ passa batida numa prateleira porque o leitor vai pensar ser esta uma revista antiga.

O que não é. Nem sua data de publicação e nem o tema abordado: Eddie é um major – o do título, com experiência na guerra do Iraque, convocado às pressas para resgatar um gerente de banco estadunidense sequestrado por traficantes de um morro carioca.

Enquanto isso, nos EUA, um atentado terrorista contra o exército levanta suspeitas quanto a presença de algum espião no alto escalão das tropas.

A HQ é repleta de ação – fato não muito comum em se tratando de HQs nacionais, com muitos tiros, pancadaria e mortes.

Os desenhos, a arte-final, os ângulos e a diagramação são muito bons e merecem o destaque na edição porque fazem a história fluir bem, inclusive nas partes mais tranqüilas como as conversas dos oficiais do exército.

O roteiro é bem estruturado, intercalando cenas da missão do major na favela com o ataque terrorista e a conseqüente procura pelos responsáveis. A HQ não perde ritmo em nenhum momento.

Interessante são as setas com os nomes e as explicações das armas utilizadas pelo major e o fato dele contabilizar seus ataques em pontos. Mas chega uma hora em que fica tudo muito parecido com Rambo, ou qualquer outro personagem militar dos filmes de Hollywood: um cara sozinho contra todo mundo, leva tiro, não morre e cumpre sua missão.

Focar unicamente na ação fez a HQ perder um pouco sua força porque não traz profundidade aos personagens; e o autor perdeu uma grande oportunidade de mostrar um lado mais “humano” tanto dos oficiais quanto dos traficantes ou retratar o dia-a-dia na comunidade.

A HQ não revela toda a trama na primeira edição. Não dá nem pra saber se continuará usando a cidade do Rio de Janeiro como cenário, mas, pelo final, parece que a história completa envolve hackers, motim no exército, corrupção e organizações que pregam o ódio racial.

Vamos aguardar o próximo número.

E que ele venha com uma capa mais… digamos… atualizada.

O Major
Autores: Hector Lima (roteiro) e Irapuan Luiz (arte)
Revista Independente
Nº de páginas: 28
Data: Dezembro de 2008
Preço: R$ 5,00
Contato: www.hectorlima.com

Alexandre Manoelresenha hqbHector Lima,Irapuan Luiz,O MajorPela capa parece se tratar de uma HQ produzida por Frank Miller nos anos 1980. Tem até um soldado em seu uniforme com a bandeirinha dos EUA e uma chamada de alistamento das forças armadas. A referência é boa, afinal Miller é um dos maiores autores de HQ de todos...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe