OProcessoPara desenhar uma página com minhas lembranças recorri a Kafka pela primeira vez. Foi em 1974 e me apoiei à uma edição de bolso de Metamorfose. Um mês depois comprei o Processo, e na mesma página falo da primeira adaptação do escritor para quadrinhos que saiu no Brasil. Lembro-me que fui ao bar Madame Satã em 1987 para o lançamento. O álbum era “Kafka em Quadrinhos” do fabuloso desenhista argentino Leo Durañona.

De lá até hoje foram muitos os quadrinhos que usaram os textos de Franz Kafka como matéria prima, e a editora Veneta traz uma excelente adaptação do romance do escritor tcheco, O Processo, executada pelas habilidosas mãos da talentosíssima Chantal Montellier.

Conhecia há muito tempo o trabalho da cartunista e quadrinista francesa Chantal Montellier, mas não sabia dessa sua recriação para os quadrinhos do livro de Kafka com roteiro de David Mairowitz, que havia feito uma versão do mesmo para o teatro.

3-DSC03359Acho que quase todo mundo, mesmo que nunca leu o romance, conhece as primeiras linhas “alguém deve ter difamado Joseph K, porque uma manhã, sem ter feito nada errado, ele foi subitamente preso…”

O Processo é um marco. Influenciou e pelo jeito influencia várias obras fora da literatura tradicional. No prólogo do filme de Orson Welles baseado no romance, é usado o apólogo “diante da lei” contado pelo padre Joseph K. Welles diz “essa história é contada em um romance chamado ‘O Processo’. Que significa? Não há mistério nem enigma a solucionar. Possivelmente, a lógica dessa história é a lógica de um sonho… ou de um pesadelo.”

Acho que essas palavras cabem também para falar do enredo da HQ. Nos posfácios o leitor vai saber que havia muito da vida de Kafka no texto, da opressão do pai ao noivado frustrado e o trabalho burocrático.

urlSim, a obra realmente “captura a atmosfera sombria da obra de Kafka e faz um retrato árido da burocracia autoritária” como diz o texto de divulgação da publicação, mas O Processo é mais. É uma obra que consegue ganhar uma interpretação própria diferente a cada leitura. No romance de Ricardo Piglia, “Respiração Artificial”, alguém compara James Joyce e Franz Kakfa:

“… Joyce? Procurava despertar do pesadelo da história para fazer belos jogos de malabarismo com as palavras. Kafka em compensação acordava, todos os dias, para entrar naquele pesadelo, e sobre ele procurava escrever.”

Sem dúvidas eu posso escrever aqui que O Processo em quadrinhos foi reinventado com o belo traço de Chantal e um texto precioso de Mairowitz. Mais um álbum papa fina da editora Veneta.

O Processo
Editora Veneta
Roteiro: David Mairowitz
Arte: Chantal Montellier
16,7 x 24,2 cm
128 páginas
R$ 34,90

http://impulsohq.com/wp-content/uploads/2014/09/OProcesso1.jpghttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2014/09/OProcesso1-300x300.jpgFloreal AndradeNas bancas / Nas livrariasChantal Montellier,David Mairowitz,Kafka,O Processo,VenetaPara desenhar uma página com minhas lembranças recorri a Kafka pela primeira vez. Foi em 1974 e me apoiei à uma edição de bolso de Metamorfose. Um mês depois comprei o Processo, e na mesma página falo da primeira adaptação do escritor para quadrinhos que saiu no Brasil. Lembro-me...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe