kurt-cobain-quando-eu-era-um-alienAntes de eu abrir as páginas deste álbum meu irmão me chamou a atenção: “que grande desenhista é esse Toni Bruno”. Foi assim que comecei a descobrir sobre a vida de Kurt Cobain, ícone do rock mundial para toda uma geração. Comecei com belos desenhos.

“Kurt Cobain – Quando Eu era um Alien” foi publicado aqui no Brasil em 2015 pela Conrad Editora e faz parte da série Clube dos 27, livros sobre o grupo de músicos que morreram aos 27 anos. Kurt morreu em 1994 e até hoje é lembrado como um ícone que morreu jovem demais.

Confesso que o meu conhecimento sobre inglês e bandas sempre foi superficial, o que eu sei, e o que possivelmente todos saibam, é que Kurt Cobain fundou o grupo Nirvana, no auge do movimento grunge e marcou uma geração sendo um dos “lideres” desse estilo musical. Tirou a própria vida de maneira triste e agressiva, assim como o seu som e letras.

kurt-cobain-2O que eu resumi acima é o que todos sabem, mas qual foi a trajetória de Kurt para se tornar um ícone? “Quando Eu Era Um Alien” traz uma visão do rockeiro que pouca gente conhece. Os italianos Danilo Deninotti e Toni Bruno contam a vida tumultuada de Kurt Cobain. É na vida desse adolescente que os autores se concentram.

Esta graphic novel biográfica traz relatos sobre a passagem da adolescência de Kurt para a vida adulta. Retrata desde as brigas do pai e da mãe ou da alegria de ganhar um compacto dos Monkees da sua tia Mari, as inúmeras mudanças de casa até finalmente encontrar amigos e formar sua banda de rock até o lançamento de Nevermind.

A dupla italiana faz um bom serviço. O álbum tem uma qualidade artística impecável. Os tons azuis acentuam a inquietude do jovem Kurt e da sua família instável. Um jovem que precisava dar vazão à sua criatividade e qualidades artísticas que usou a música como válvula de escape. Fica registrado nas páginas do álbum o título dessa graphic novel quando se tem a clareza que Kurt realmente achava que era mesmo um alien. Qual adolescente nunca se sentiu?

when-i-was-an-alien-p5Como comentei, meu conhecimento sobre Kurt, Nirvana e grunge são escassos e na época eu não tinha nenhum apego pelo movimento musical. Foi no trabalho que uma amiga falou que Kurt Cobain havia se matado. Tinha uma legião de fãs no jornal onde eu trabalhava na época, todos com menos de 25 anos e fissurados por rock. Eu já tinha 35 e naqueles tempos escutava muito Tom Waits e Zazz. Vi alguns clipes da banda na televisão nos programas sobre rock, e só.

Mas me lembro da imensa tristeza da amiga Micaela. Sentou na pequena sala onde ficava a mesa de luz e como não tinha nenhum trabalho falou se podia ficar um tempo por lá, no escuro, olhando pela janela de filtro vermelho. Essa imagem me passou o que muitos jovens estavam sentindo naquele momento. A perda de um ídolo.

Imperdível para os fãs de rock, Nirvana, Kurt Cobain, quadrinhos ou gente como eu que não sabia nada sobre esse ícone mundial.

Kurt Cobain – Quando eu era um alien
Conrad Editora
Roteiro: Danilo Deninoti
Arte: Toni Bruno
Lombada quadrada
Colorido
23 x 30 cm
96 páginas
R$ 39,90

http://impulsohq.com/wp-content/uploads/2016/04/kurt-cobain-quando-eu-era-um-alien-1.jpghttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2016/04/kurt-cobain-quando-eu-era-um-alien-1-300x300.jpgFloreal AndradeNas bancas / Nas livrariasconrad,Danilo Deninoti,Kurt Cobain,Nirvana,Quando Eu era um Alien,Toni BrunoAntes de eu abrir as páginas deste álbum meu irmão me chamou a atenção: “que grande desenhista é esse Toni Bruno”. Foi assim que comecei a descobrir sobre a vida de Kurt Cobain, ícone do rock mundial para toda uma geração. Comecei com belos desenhos. 'Kurt Cobain – Quando Eu...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe