Estou batucando essa resenha e ouvindo rádio. Um programa sobre o poeta e letrista Vinicius de Moraes. Quando o locutor fala do sul dos E.U.A, paro para escutar mais atentamente: no poema, Vinicius fala de um rapaz negro que foi linchado porque assoviou para uma garota branca. Os linchadores foram julgados e absolvidos. Isso aconteceu em 1960.

Citei esse poema porque ele remete muito ao clima e a época de Bouborn Street – Os Fantasmas de Cornelius, álbum de quadrinhos publicado em 2012 pela 8Inverso que conta o retorno a atividade sonora de Alvin, músico branco de jazz que procura os amigos Darrol e Oscar para tentar retornar a carreira depois de ler nos jornais sobre o sucesso dos músicos cubanos do “Buena Vista Social Club”.

Mas a pérola ou a alma da banda, e quem ele quer mais encontrar é Cornelius, um trompetista há muito desaparecido. Cornelius parou de tocar logo depois de um nebuloso fato que aconteceu com seu grande amor, Angelina Smith, cantora branca da Big Band onde os dois tocavam quando mais novos. A busca e o reencontro vai trazer alguns acontecimentos do passado.

Essas lembranças são representadas na HQ por meio de vários flashbacks sobre a vida de Cornelius, Alvin e Angelina e até um que mostra como o grande Louis Armstrong foi parar no reformatório, além disso, tem uma passagem que o próprio fantasma de Armstrong que conta a história.

Para os amantes de jazz fiquem atentos. Esse é o só o primeiro volume dessa dolorida história com “um enredo delicioso e um desenho irretocável” nas palavras de abertura do escritor e músico de jazz Luís Fernando Veríssimo. E é verdade. A dupla responsável por essa obra, Phillipe Charlot e Alexis Chabert, mantem um equilíbrio entre texto, arte e música que poucos autores conseguem expressar nos quadrinhos.

A história do jazz e dos seus músicos parece sempre transbordar de talento, improviso e muita dor. E é justamente isso é que o leitor vai encontrar nessas bonitas páginas. A edição da 8Inverso é bem caprichada, e no final do álbum ainda tem um caderno de rascunhos com os estudos dos personagens entre outras coisas. Não podemos deixar de citar aqui, que mais uma vez, a HQ chegou a redação do Impulso HQ graças aos nossos parceiros da Comicx Book Shop.

Aprendi a gostar de jazz assistindo desenhos animados na TV de Betty Boop e Cab Calloway, junto com as animações de Norman MClaren com as trilhas batutas de Oscar Peterson. E mais recentemente li o livro Buddy Bolden Blues, de Michael Ondaatje (mesmo autor do “Paciente Inglês”), que falava sobre o trompetista que com seu som mudou a história do jazz e depois enlouqueceu aos 31 anos de idades e passou o resto da vida internado. Uma personagem obscura e fascinante da história do jazz. Detalhe que sua música nunca foi gravada.

Para registro: o poema de Vinicius de Moraes citado no começo do texto é “Blues para Emmet Louis Till”. Natural de Chicago, EUA, Emmet Louis Till era um menino negro de 14 anos que foi brutalmente assassinado em agosto de 1955, no Mississippi. Alegou-se que ele teria assobiado para uma mulher branca. As fotos do corpo mutilado (encontrado nas águas do rio Tallahatchie) chocaram o mundo. No seu funeral, aproximadamente 50.000 pessoas estiveram presentes. Sua morte ajudou a acender a luta pelos direitos civis dos negros nos Estados Unidos.

Depois disso tudo, é inevitável não ficar aguçado para ler Bourbon Street – Os fantasmas de Cornelius. Obra que vale a pena ser conferida, principalmente se você é admirador de boa música. Agora é colocar seu disco de jazz favorito (eu colocaria um disco de Kid Ory e sua Criole Jazz Band) e caminhar pelas ruas de New Orleans. Boa leitura.

Bourbon Street – Os fantasmas de Cornelius
Editora 8Inverso
Autores: Phillipe Charlot e Alexis Chabert
Tradução: Paola Felts Amaro
Lombada quadrada
Colorido
28 x 21 cm
56 páginas
R$ 51,00

Floreal AndradeNas bancas / Nas livrarias8INVERSO,Alexis Chabert,Bourbon Street,jazz,Luis Fernando Verissimo,Os fantasmas de Cornelius,Paola Felts Amaro,Phillipe CharlotEstou batucando essa resenha e ouvindo rádio. Um programa sobre o poeta e letrista Vinicius de Moraes. Quando o locutor fala do sul dos E.U.A, paro para escutar mais atentamente: no poema, Vinicius fala de um rapaz negro que foi linchado porque assoviou para uma garota branca. Os linchadores...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe