Lembro-me de passar em frente ao Edifício Copan, era um dia de sol, um sábado de inverno de 2011. De uma mesa de um restaurante uma cliente(da HQMIX Livraria) me cumprimentou e disse que mais tarde passava na loja. Já ia embora quando escutei um amigo me chamando, ele encostado-se ao carro disse “a Amy Winehouse morreu”.

Sua morte inesperada em julho de 2011 chocou o mundo, não por ela ser um exemplo de boa saúde ou algo assim, mas sim, porque no geral todos sabiam o potencial de Amy Winehouse, que nos deixou aos 27, fazendo parte assim, de um sinistro e misterioso clube de ilustres astros da música mundial: o clube dos 27.

E é justamente esse o título da coleção que a editora Conrad trouxe ao Brasil no início deste ano. Originalmente publicada na França pela editora Jungle Thriller, a série O Clube dos 27 (Le Club des 27) apresenta na linguagem das HQs a trajetória de um grupo de artistas e músicos influentes que faleceram aos 27 anos em circunstâncias estranhas como Jim Morrison (1943–1971), Janis Joplin (1943–1970), Jimi Hendrix (1942–1970) e Kurt Cobain (1967–1994).

Não é de se espantar que a cantora britânica abrisse a série de biografias em forma de quadrinhos, afinal dos nomes listados ela é a mais recente, portanto seria a personagem que está mais presente na mente da nova geração que acompanhou a curta carreira da cantora, ou seja, é o nome mais comercial.

Claro que ela também encantou gerações anteriores. Acho que a primeira vez que ouvi ela cantando foi na TV, mas só passou um trecho do videoclip de “Back to Black”. Isso foi em 2009 e já fazia uns 4 anos que não comprava um CD. No dia seguinte fui a uma Lan House, escutei algumas músicas e fui até uma loja comprar o disco. Depois desse dia não comprei mais nenhum CD.

Mas enfim, relatos a parte, o álbum lançado pela Conrad trata-se mais de um esboço biográfico e não passa disso. Sim, a HQ retrata os altos e baixos de Amy e conta alguns momentos de sua agitada e curta vida, desde a separação dos pais, a paixão de criança por Frank Sinatra, a amizade com Juliette Ashby, o lançamento do álbum Frank e o casamento e as brigas com o marido Blake Fielder-Civil.

E é claro, a HQ retrata o sucesso e o problema com as drogas e até a sua morte aos 27anos. Curiosa é a presença de uma estranha figura de casaco que surge na foto com Robert Johnson e que é visto por Amy. Estaria aí o prenúncio de um fim trágico?

Produzido a 6 mãos (ou 8 se contarmos com o colorista Luca Merli), escrito pelo jornalista Patrick Eudeline com o também jornalista Goffette Christophe e desenhada por Javi Fernandez, a HQ não é sensacionalista, apesar de mostrar a luta contra vício e as suas crises de fúrias, o álbum não faz jus a uma das maiores cantoras do século XXI. Com uma pesquisa que nos parece rasa quando se comparada às outras que existem no mercado (eu sei que são livros, mas a HQ poderia se aprofundar bem mais) o álbum não é indicado para os fãs fervorosos da cantora cuja voz era inconfundível.

O livro seria perfeito se fosse obra de Hervê Bournis, autor do “Pequeno Livro do Rock” e outro livro sobre os Beatles, títulos também publicados pela Conrad. Sem ter dados novos ou visto de maneira diferente do que os já muitos explorados pela mídia sensacionalista britânica, como os relacionamentos difíceis, depressões repetitivas, vício em drogas, alcoolismo e temperamento explosivo, a publicação serve como uma boa introdução a vida e a obra de Amy Winehouse.

Vale lembrar que a Conrad pretende lançar um livro da coleção “Clube dos 27” por ano. O próximo volume será sobre o ex-vocalista da banda Nirvana, Kurt Cobain.

Para finalizar: lembro-me de um documentário chamado “Blues” que passou na extinta TV Manchete. O programa mostrava um álbum em vinil cujo subtítulo era “a dor feita para acabar com a dor”. O curioso é que num trecho dos quadrinhos Amy diz “sentir dor me faz bem”. Frase perfeita para definir a trajetória de Amy.

Amy Winehouse
Coleção: Clube dos 27
Editora Conrad
Roteiro: Patrick Eudeline e Goffette Christophe
Arte: Javi Fernandez
Colorido
23 x 30 cm
48 páginas
R$ 39,90

Floreal AndradeNas bancas / Nas livrariasAmy Winehouse,Clube dos 27,conrad,Goffette Christophe,Javi Fernandez,Patrick EudelineLembro-me de passar em frente ao Edifício Copan, era um dia de sol, um sábado de inverno de 2011. De uma mesa de um restaurante uma cliente(da HQMIX Livraria) me cumprimentou e disse que mais tarde passava na loja. Já ia embora quando escutei um amigo me chamando, ele...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe