1975. Nesse ano comprei um livro sobre cinema, desses vendidos em banca de jornal, numa página um fotograma de um desenho animado “Fritz, the cat”. Julho do mesmo ano. O número 5 da revista “O Bicho” editada pelo cartunista Fortuna, trazia na capa uma garota de fartas carnes carregando um magrelo de terno, chapéu e óculos. No balão o cara diz: Crumb entra em cena!

Na “O Bicho” tinha um texto escrito pelo Mauro Costa, uma introdução aos quadrinhos underground de Crumb, e finalmente fiquei sabendo quem era o autor de Fritz, the Cat. A edição trouxe duas HQs: “Vamos Levar um Papo”(HQ de uma página) e “Aline e Bob em Diversões Divertidas”, as duas em parceira com sua esposa Aline Kominsky.

Nessa mesma edição tinha uma HQ de 10 páginas que aparece o Dr. Timothy Leary, Papa do psicodelismo, e na última página um quadrinho com um texto por cima da ilustração deixa entrever Crumb e Aline na cama: muita saliva, gemidos e suor.

Acho que foi na casa do Marcatti nos anos 1980, que passei os olhos pela primeira vez nos álbuns importados e sem censura de Robert Crumb, depois disso todas as vezes que pude comprei as revistas ou álbuns com seus quadrinhos.

E eu disse tudo isso para você leitor entender que a obra do Crumb é concorrida e de um certo modo escassa aqui em terras tupiniquins. Sempre foi muito difícil achar boas edições nacionais desse grande autor norte-americano underground. Bem, até agora!

Para surpresa de muitos, a jovem editora Veneta publicou no Brasil um álbum super especial intitulado “A Mente Suja de Robert Crumb” que como você já pode ter sacado, traz as histórias que contam as obsessões sexuais de Crumb e todas as suas esquisitices.

A muito bonita edição da Veneta traz mais de 230 páginas com HQs, ilustrações, vinhetas, capas etc e tal. Destaque para o capricho de sempre com relação às letras. A pena nas mãos de Lilian Mitsunaga é brilhante.

Outro ponto que vale aqui ressaltar é o prefácio de Rogério de Campos, que inclusive já trouxe o Crumb em pessoa para o Brasil quando trabalhava em outra editora. Quando leio os seus textos lembro o que alguém disse dos prefácios do escritor George Bernard Shaw: ”eles as vezes eram muito melhores que suas peças”. Aqui os dois estão no mesmo patamar. Genial o trabalho de Crumb, genial o texto de Rogério.

A editora Veneta em sua primeira publicação sobre o Crumb já traz um material contestador e polêmico. Os trabalhos que estão no livro são uma reação à onda de autoritarismo e censura que se deu nos 1950 e que atingiu o mundo dos quadrinhos com o tão famoso Comics Code. Não é a toa que na revista Grilo nº 40(1973) um leitor chama Crumb de indigente intelectual e artístico.

O livro da editora Veneta mostra e comprova justamente o contrário. Aos 70 anos, hoje ele tem sua obra exposta nos grandes museus espalhados pelo mundo. Para finalizar, veio à mente um trecho do poema “A indecência pode ser saudável” do escritor D. H. Lawrence que foi traduzido pelo também poeta José Paulo Paes:

A indecência pode ser normal, saudável;
na verdade, um pouco de indecência é necessário em toda vida
para a manter normal, saudável.

E um pouco de putaria pode ser normal, saudável.
Na verdade, um pouco de putaria é necessário em toda vida
para a manter normal, saudável.

Para ter uma vida saudável leiam “A Mente Suja de Robert Crumb”.

A Mente Suja de Robert Crumb
Editora Veneta
Autor: Robert Crumb
Capa dura
21,5 x 27,5 cm
232 páginas
R$ 59,90

Floreal AndradeNas bancas / Nas livrariasA Mente Suja de Robert Crumb,Robert Crumb,Veneta1975. Nesse ano comprei um livro sobre cinema, desses vendidos em banca de jornal, numa página um fotograma de um desenho animado “Fritz, the cat”. Julho do mesmo ano. O número 5 da revista “O Bicho” editada pelo cartunista Fortuna, trazia na capa uma garota de fartas carnes carregando...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe