Até a terceira edição a revista da Nova Marvel não empolga nem um pouco!

Reboot, reformulação, jogada de marketing, seja lá o que for, Marvel Now prometia ser uma revolução, da mesma forma que os Novos 52 da DC Comics pretendiam também, mas nem tudo saiu como o planejado, pelo menos não no título Capitão América & Gavião Arqueiro.

Após ler os três primeiros números cheguei a conclusão de que relevante mesmo para a casa das ideias é o que acontece no cinema, e aquilo que tem potencial para ser adaptado, seja para a tela grande ou para a telinha.

A fase do Capitão América publicada aqui é no mínimo inusitada, mas não quer dizer que seja boa, agora o velho soldado é enviado para outra dimensão, na qual seu inimigo Armin Zola, faz experiências enquanto aterroriza os habitantes nativos do local. Para complicar a situação o herói ainda tem que cuidar de um garotinho que ele resgata do esconderijo de Zola.

Para os leitores mais novos isso pode parecer algo novo, mas na verdade essa saída já foi usada inúmeras vezes, tanto na Marvel, quanto na DC. O personagem é retirado de seu ambiente natural, colocado em um local onde seus poderes, ou habilidades não ajudam em nada. No caso do Capitão América o que se sobressai é lado do soldado que sobrevive a qualquer ambiente que dá tom da história, que é bem fraco, só guardando alguma surpresa, uma pequena reviravolta, no final do terceiro capítulo.

E ainda tem um adendo: se o texto de Rick Remender não é uma maravilha, a arte de John Romita Jr. e Klaus Janson também não ajuda, pois a equipe outrora brilhante produz agora uma obra sem nenhuma inspiração.

A segunda série da revista, Vingadores Secretos, tenta capitalizar o sucesso do filme/evento Os Vingadores para os quadrinhos, sem muito êxito. O agente Coulson, introduzido recentemente ao universo dos quadrinhos, juntamente com um novo Nick Fury, negro igual ao do cinema e filho do agente original, recrutam a Viúva Negra e o Gavião Arqueiro para uma equipe secreta da Shield.

O roteirista Nick Spencer tenta dar uma cara de Missão Impossível misturado com heróis para a história, que também não leva o leitor a grandes emoções, mas até que é divertida, não foge dos clichês que tomam conta dessa Nova Marvel, mas entretêm o leitor.

Por curiosidade o fato mais criativo dos três primeiros episódios foi o recrutamento de um vilão para ajudar a equipe, algo já feito pela DC há duas décadas, com muito mais competência, na extinta série Esquadrão Suicida, em que dois agentes do governo recrutavam vilões para missões secretas.

O brasileiro Luke Ross é o responsável pela arte, que é muito bem feita, num estilo clássico, bem acadêmico, sem ousar na caracterização dos personagens, nem na diagramação. O desenho é bom, mas para quem conhece o trabalho do Ross fica a impressão de que está faltando alguma coisa. Parece uma arte de um livro do tipo como desenhar super-heróis.

Para fechar a publicação há a nova série do Gavião Arqueiro, agora sem o uniforme espalhafatoso, com um visual saído do cinema. Essa é série mais interessante que as outras duas que a acompanham, mérito principalmente do artista David Aja, que é um genérico do David Mazuchelli, mas como copia o estilo de um grande desenhista, acaba produzindo um trabalho bem legal.

O enredo imaginado pelo escritor Matt Fraction também busca inspiração em outra mídia, pois lembra muito uma série de TV dos anos 1980, com tramas fechadas, mostrando o que o personagem faz quando não está salvando o mundo com os Vingadores.

Para ser sincero eu comecei a comprar essa revista pelos desenhos de David Aja, e apesar de continuar por mais duas edições, desisti de acompanhar a revista . Se todas as revistas da Nova Marvel são assim eu realmente não sei o o que tem de novo!

O que eu vi em Capitão América & Gavião Arqueiro foi muito barulho por nada, histórias cheias de clichês, artes que variam entre meramente boas e ruins e, sinceramente, não me entusiasmou nem um pouco para ler o resto.

Essa realmente não vale a pena, nem o seu dinheiro!

Capitão América & Gavião Arqueiro – nº 1 a 3
Editora Panini
Roteiro: Rick Remender, Nick Spencer e Matt Fraction
Arte: John Romita Jr., Luke Ross e David Aja
Formato Americano
68 páginas
R$ 6,50 (cada edição)

Fred TavaresNas bancas / Nas livrariasCapitão América,David Aja,Gavião Arqueiro,John Romita Jr,Luke Ross,Matt Fraction,Nick Spencer,Panini,Rick RemenderAté a terceira edição a revista da Nova Marvel não empolga nem um pouco! Reboot, reformulação, jogada de marketing, seja lá o que for, Marvel Now prometia ser uma revolução, da mesma forma que os Novos 52 da DC Comics pretendiam também, mas nem tudo saiu como o planejado, pelo...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe