A edição foi aguardada, foi esperada ansiosamente por fãs e cobiçada pelos amantes dos quadrinhos. Desde que foi confirmado o seu lançamento no início de 2012 pela Quadrinhos na Cia, o álbum “Toda Rê Bordosa” já tinha lugar certo na estante de muitos colecionadores.

Com os atrasos e indefinições, os leitores começaram até duvidar do lançamento da coletânea de todas as tiras de Rê Bordosa, uma das criações máximas de Angeli, que com certeza, dispensa apresentações. “Toda Rê Bordosa”, brincadeira proposital com o título do álbum “Toda Mafalda”, demorou a chegar às livrarias, mas a espera valeu a pena.

Já leio quadrinhos há muito tempo e em minha coleção constam as edições especiais “Rê Bordosa: a morte da porralouca” e “Rê Bordosa: memórias de uma porralouca”, mas o álbum da imortal criação do Angeli é de deixar babando qualquer um que goste de quadrinhos. E isso eu falo sem exageros, o impacto já começa logo na capa: um papel grosso e rústico com impressão em silk-screen. Trabalho de primeira.

Nascida em abril de 1984 e morta em dezembro de 1987, a junkie mais adorada da cidade de São Paulo e de outros distantes rincões, como na Itália aonde atende pelo nome de “Anna Barbera”. Aliás, chamo a personagem de imortal, apesar de ela estar morta, porque a história não se trata de nenhum filme de zumbi, mas ela sempre acaba retornando do além-túmulo, prá tomar uma “saidera” de fogo paulista com a gente.

Angeli é um dos mais conhecidos chargistas brasileiros e em 2012 recebeu várias homenagens como A Ocupação Angeli no Itaú Cultural, um espaço todo dedicado a sua obra que ficou em exposição até o mês de maio e foi a principal a atração principal da Virada Cultural do instituto Itaú Cultural, que contou com uma entrevista com o artista, em gravação aberta ao público.

Podemos dizer também que a Cia. das Letras, por meio do seu selo editorial de quadrinhos também fez a merecida homenagem a Angeli com a publicação de “Toda Rê Bordosa” que traz a reedição dois especiais que mencionei no começo do texto, e um destaque para “Memórias de uma porralouca” que ganhou uma versão a cores.

O álbum também vale muito a pena pelas ilustrações que separam os capítulos, a entrevista feita pelo jornalista Benevides Paixão em 1985, a reprodução da Folha Ilustrada de 1987 com a matéria “Angeli mata Rê Bordosa”, capas, rabiscos e as tiras “vodka”, publicadas em 2009 no jornal Folha de São Paulo que mostram um grupo de homens e mulheres, que vestem vestido preto, óculos escuros, peruca vermelha e botinha.

Resumindo, um “pusta” álbum para todos aqueles que queriam saber tudo sobre a Rê Bordosa, mas tinham medo de perguntar. Você conhecerá a fundo as intimidades de uma das personagens mais badaladas e baladeiras da história do quadrinho nacional. Com certeza é o livro de quadrinhos mais tesudos dos últimos tempos (graficamente falando)!

Toda Rê Bordosa
Quadrinhos na Cia.
Autor: Angeli
220 páginas
19,5 x 26,5 cm
R$ 64,00

Floreal Andradehq que aconteceAngeli,Quadrinhos na Cia,Toda Rê BordosaA edição foi aguardada, foi esperada ansiosamente por fãs e cobiçada pelos amantes dos quadrinhos. Desde que foi confirmado o seu lançamento no início de 2012 pela Quadrinhos na Cia, o álbum “Toda Rê Bordosa” já tinha lugar certo na estante de muitos colecionadores. Com os atrasos e indefinições, os...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe