Dez anos depois do seu capítulo final, a roda da fortuna gira e traz novamente, agora em uma edição completa, as tortuosas aventuras do detetive particular Diomedes, um antigo policial aposentado, com sua aparência de gnomo e bigodes de mestre de cerimônias de circo. Repare: seus bigodes no início da trama são retos e no final do álbum estão enrolados como a sua vida.

Mas posso estar sendo rápido demais devido a minha empolgação, e estou me esquecendo de fazer uma breve introdução sobre a saga de Diomedes, a criação que literalmente apresentou não só para os quadrinhos, e sim para as outras mídias, toda a genialidade do quadrinhista paulistano Lourenço Mutarelli.

Diomedes apareceu nas páginas pela primeira vez em 1999 e sua aventura foi dividida em três partes: O Dobro de Cinco (1999), O Rei do Ponto (2000) e a Soma de Tudo (essa em duas partes 2001 e 2002), e até por isso a saga é conhecida como uma “trilogia em quatro partes”.

Definitivamente não há como definir melhor Diomedes como foi feito no texto de divulgação da obra: delegado aposentado, gordo e sedentário, em busca de uns trocados para completar o orçamento e que nunca resolveu um caso.

Sendo uma obra de Mutarelli, a saga não poderia ser nada além de uma grande jornada: Diomedes recebe a missão de descobrir o paradeiro do mágico Enigmo. Em suas investigações encontra os antigos artistas do grande circo e quase perde a vida, depois é obrigado a caçar um assassino e serve como isca, por fim vai a Portugal no encalço de Pierino Verga Rija que fugiu com uma garota e vai parar no festival de quadrinhos de amadora.

Achou interessante? Então você não pode deixar de prestar atenção nos mínimos detalhes e nos diálogos de todos os personagens que sempre nos apresentam algo para refletir, como um personagem chamado Waldir que diz a Diomedes:

“… talvez os mágicos tenham a mesma vocação que os artistas, reinventar o mundo através da ilusão…”

Enfim, é isso que o genial Mutarelli faz. Em uma terna homenagem ao seu pai e aos amigos, que são transformados em personagens. Cito em seguida alguns só para você leitor ficar mais curioso: Gualberto Costa, dono da HQMIX Livraria é o Dr. Gouveia, o editor Douglas Quinta Reis virou Douglas Bimba Reis, o poodle Free way vira um Leão, e o próprio Lourenço Mutarelli se transforma em Zigmundo Muzzarella.

Com um trabalho espetacular de arte, de acordo com a editora os desenhos originais foram reescaneados e a fonte redesenhada pela não menos brilhante Lilian Mitsunaga a partir da caligrafia do autor, siga Diomedes pela cidade e vá a lugares que não existem mais como a antiga estação de trem Engenheiro Sebastião Gualberto ou esquecidos como a Praça José Moreno na Avenida Celso Garcia. Para completar as 424 páginas a edição traz esboços inéditos e tiras que não constavam na edição original.

O álbum Diomedes – A Trilogia do Acidente é um convite para você ser o companheiro do detetive nas suas bizarras aventuras, no lançamento mais esperado do ano.

Diomedes – A Trilogia do Acidente
Quadrinhos na Cia.
Lourenço Mutarelli
424 páginas
18,5 x 27,5 cm
R$ 59,00

Floreal Andradehq que aconteceDiomedes,Lourenço Mutarelli,Quadrinhos na CiaDez anos depois do seu capítulo final, a roda da fortuna gira e traz novamente, agora em uma edição completa, as tortuosas aventuras do detetive particular Diomedes, um antigo policial aposentado, com sua aparência de gnomo e bigodes de mestre de cerimônias de circo. Repare: seus bigodes no início...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe