Estatísticas da OMS (Organização Mundial da Saúde) apontam que 35% das mulheres em todo o mundo já tenham sofrido qualquer violência física e/ou sexual. No Brasil, 70% das vitimas de violência sexual estão entre a infância e a adolescência e 85% das mulheres brasileiras têm medo de sofrer violência sexual. E quem não conhece pessoas que acreditam na máxima “mulheres que se dão ao respeito não são estupradas”?

“Desconstruindo Una” é um álbum autobiográfico da autora britânica Una, que vem com a desafiadora e importante intenção de mudar essas estatísticas; o principal objetivo dessa graphic novel é justamente levantar a questão de que a origem da violência de gênero está enraizada na cultura da sociedade em que viemos. Para a autora:

“Esse pensamento nebuloso sobre violência de gênero faz com que nos distanciemos de potenciais soluções e tem há muito tempo nos impedido de entender, em escala global, o que essa violência causa em nossa sociedade. Eu não tenho respostas claras, mas tenho tentado apresentar um conjunto de perguntas interessantes neste livro, de várias formas.”

O livro segue um paralelo de duas historias ocorridas no período entre 1975 e 1981: Uma das histórias é da própria autora na sua transição entre a infância e a adolescência, a menina Una é vitima de violência sexual por um desconhecido, mas não consegue falar isso para mais ninguém.

Em meio a isso, a autora também conta a história de uma série de assassinatos que estão ocorrendo em sua West Yorkshire, região em que mora, onde o foco das vitimas desses acontecimentos são mulheres e os policiais não conseguem encontrar o suspeito.

Una cresce acompanhando as histórias do assassino de Yorkshire e os comentários da sociedade machista da época que culpavam a índole das vitimas por suas mortes; e assim a criança alimenta uma crença de que ela era a própria culpada pelas violências que sofria e com um constante medo de que algo ruim poderia acontecer a qualquer momento.

Concomitantemente uma polícia incompetente não conseguia prender o assassino – mesmo tendo interrogado o criminoso por diversas vezes, pois não levavam em consideração as palavras das vitimas e por outros preceitos da sociedade.

“Desconstruindo Una” alerta sobre um triste fato social que precisa ser mudado, os malefícios que crescer em meio a uma sociedade machista e misoginia podem acarretar a uma pessoa; uma cultura que não pune a violência masculina e nem a questiona.

E apesar da historia retratada se passar na década de 70, não precisamos dos números e estatísticas atuais que a autora aponta ao longo de suas páginas para ver que a realidade não ficou no passado e nem está tão distante de nós; basta olharmos para conversas que já ouvimos no transporte público, situações que já sofremos e os protestos sempre constantes.

A obra faz parte do projeto da editora Nemo que tem o intuito de dar espaço e voz a essas mulheres, além de apresentar uma coletânea de obras que tocam em assuntos relevantes para serem colocados em destaque, fatos que precisam ser falados e contestados e não podemos fechar nossos olhos e fingir que não existem.

O final de Una pode ter sido feliz, mas não são todas as vitimas que os têm, apesar de ninguém merecer sofrer qualquer tipo de violência.

Desconstruindo Una

Editora: Nemo
Autora: Una
Tradução: Carol Christo
Acabamento brochura
17 x 24 cm
208 páginas
R$ 49,80

http://impulsohq.com/wp-content/uploads/2017/02/Desconstruindo-Una-2.jpghttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2017/02/Desconstruindo-Una-2-150x150.jpgBarbara Heliodorahq que aconteceCarol Christo,Desconstruindo Una,NemoEstatísticas da OMS (Organização Mundial da Saúde) apontam que 35% das mulheres em todo o mundo já tenham sofrido qualquer violência física e/ou sexual. No Brasil, 70% das vitimas de violência sexual estão entre a infância e a adolescência e 85% das mulheres brasileiras têm medo de sofrer violência...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe