“Ele é claramente um homem com uma missão, mas não de vingança, Bruce não busca desforra pessoal, ele é muito maior, muito mais nobre que isso. Quer tornar o mundo um lugar melhor, onde o menino Wayne não seria uma vítima. Pode-se dizer que ele trabalha para se tornar desnecessário. Batman é um herói que gostaria de não precisar existir” (Frank Miller-1986).

Esse trecho pertence ao posfácio da bela edição que a editora Panini lançou de Batman: Ano Um, em agosto desse ano.

Na história clássica do homem-morcego você acompanha a construção de um herói em quase 11 meses e Frank Miller, autor do roteiro, deixa claro o significado de suas palavras sobre Batman quando nos apresenta o herói em sua primeira aparição, e apesar de levar muita porrada, não larga um ladrão que vai cair de uma escada de incêndio. É um Batman em começo de carreira, comete erros e tem dúvidas.

A Gotham City percorrida por Bruce Wayne lembra a Nova York de Travis no filme “Taxi Driver” com muita violência, prostitutas adolescentes e corrupção, mas ao contrário de Travis, ele não se torna um anjo vingador armado até os dentes, usando o que aprendeu em anos de treinamento de artes marciais e uma tecnologia bem longe dos filmes atuais.

Frank Miller conta no seu roteiro como algumas pessoas entraram na vida de Batman, por exemplo, Selina, a Mulher-gato, e seu aliado e amigo comissário (aqui ainda tenente) Gordon.

O desenhista desse grande clássico, David Mazzucchelli, diz ter uma lembrança que Batman entrou na sua vida em 1966, mas para mim ele entrou definitivamente na minha vida em 1967. Eu já tinha lido algumas histórias de Batman, mas com a estréia do seriado na TV Paulista nesse ano passei a ser um leitor constante de suas aventuras, além de assistir aos dois seriados dos anos 40 na TV.

Achei que depois do Batman desenhado por Neal Adams nunca mais veria o encapuçado com roteiros e desenhos tão geniais, pois eu estava enganado. O Batman de Frank Miller, David Mazzucchelli, com cores de Richmond Lewis é brilhante e humano.

Não posso esquecer de registrar aqui que além da excelente história, o álbum no padrão de edição de luxo da editora Panini tem ainda mais de 40 páginas de extras com estudos de personagens, páginas do roteiro original, esboços além do já citado posfácio de Frank Miller.

Sua leitura é essencial a todos os amantes de histórias em quadrinhos.

Batman Ano Um
Roteiro: Frank Miler
Desenhos: David Mazzuchelli
Editora Panini
Capa dura com reserva de verniz
Papel couchê
17 x 26 cm
148 páginas
R$ 37,00

Floreal Andradehq que aconteceBatman,David Mazzuchelli,Frank Miller,Richmond Lewis“Ele é claramente um homem com uma missão, mas não de vingança, Bruce não busca desforra pessoal, ele é muito maior, muito mais nobre que isso. Quer tornar o mundo um lugar melhor, onde o menino Wayne não seria uma vítima. Pode-se dizer que ele trabalha para se tornar...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe