BarbarellaQuando eu tinha uns dez anos vi uma tirinha ou artigo com um desenho num jornal (procurei o desenho e achei na página 7 da aventura) e algum tempo depois descobri que tinha um filme sobre essa HQ, proibido para menores de 18 anos. O nome do filme era Barbarella!

Lá pelos 15 anos, meus amigos mais velhos falsificaram minha carteirinha da escola e não tive problemas para entrar em nenhuma sessão, até que um dia reprisaram Barbarella no cinema do meu bairro. Era um dia qualquer da semana, cinema quase vazio, comprei meu ingresso e o porteiro me pediu a identidade. Inventei uma estória de que esqueci no carro (não sei dirigir até hoje) que colou e pude finalmente, depois de cinco anos, ver minha a paixão dos quadrinhos na tela grande.

Barbarella-4Barbarella me marcou de imediato, assim como marcou vários homens ao longo de suas histórias. Lembro-me que na época procurei comprar uma edição brasileira da HQ na livraria Muito Prazer em São Paulo, mas era muito cara. O bom é que agora, graças à Marsupial Editora e ao seu selo Jupati Books, é possível comprar as aventuras da heroína dos quadrinhos franceses, que mistura erotismo com ficção científica, em um único volume e com um preço bem acessível.

A publicação dessa edição brasileira marca o retorno ao Brasil da personagem criada por Jean-Claude Forest, após um período de mais de quarenta anos. Aqui nas terras brasilis, Barbarella teve seu único lançamento em 1969, em preto e branco, pela Linográfica Editora. A Marsupial lançou justamente a edição baseada em um especial de aniversário comemorativo, lançado na França e nos Estados Unidos pela Humanoids, que traz as páginas em tons de preto e azul, como na publicação original de Jean-Claude Forest.

A Marsupial acertou em cheio ao colocar no álbum uma bonita introdução do pesquisador Gonçalo Junior, onde ele conta sobre Barbarella e a sua história dentro e fora das HQs revelando o seu poder de influenciar uma geração nos quadrinhos, na contracultura e no feminismo, e até algumas curiosidades (você sabia que a tradução da edição Linográfica Editora é assinada por Jô Soares?).

Barbarella-3Barbarella causou um rompimento, e por isso chocou. Como uma personagem de quadrinhos dos anos 60, “Jane” Barbarella não perde uma oportunidade para tirar a roupa e durante as suas aventuras vai para a cama com um anjo cego, um robô e com a bela vilã de tapa olho. Ela vai por quer ir, não porque é obrigada. É uma mulher emancipada, uma mulher do futuro.

Com a sua personagem, Jean-Claude Forest, muda totalmente a imagem da mulher nos quadrinhos, que até então era representada como frágil, assexuada e sem importância no fio narrativo da história. Nas páginas de Barbarella somos apresentados a um quadrinho adulto e liberado, onde a personagem feminina é o fio condutor, que luta de igual para igual com homens, monstros e tudo que aparecer pela frente.

Barbarella-2Não foi por acaso que rapidamente a personagem se tornou um dos principais ícones feministas dos anos 1960. Polemizando desde a sua publicação original, a obra vanguardista das HQs adultas e de ficção científica foi vítima da censura e os traços sensuais e o erotismo exalado pela protagonista atraíram a atenção dos leitores. Porém, Barbarella não ficou reduzida a apenas ao sexo. A personagem representou a liberação feminina na época que gerou o clássico filme de mesmo nome (em 1968) estrelado por Jane Fonda, dirigido e produzido por Roger Vadin.

O visual, inspirado na atriz Brigitte Bardot, deve ter deixado marcas em muita gente, como deixou em mim, e exemplos não faltam. Agora me lembro de dois: a banda inglesa Duran Duran, que tira o nome de um vilão da HQ e aqui aparecem os terríveis tubarões voadores, transformados em quadrinhos e canção por Luiz Gê e Arrigo Barnabé.

Uma das mulheres de papel da minha vida. Imperdível essa edição, uma das melhores do ano de 2015.

Barbarella
Marsupial Editora – Jupati Books
Autor: Jean-Claude Forest
Tradução: Pedro Bouça
Acabamento Brochura
20,5 x 27,5 cm
72 páginas
R$ 42,00

http://impulsohq.com/wp-content/uploads/2016/03/Barbarella-1.jpghttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2016/03/Barbarella-1-300x290.jpgFloreal Andradehq que aconteceBarbarella,Jean Claude Forest,Jupati Books,Marsupial,Pedro BouçaQuando eu tinha uns dez anos vi uma tirinha ou artigo com um desenho num jornal (procurei o desenho e achei na página 7 da aventura) e algum tempo depois descobri que tinha um filme sobre essa HQ, proibido para menores de 18 anos. O nome do filme era...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe