“Obrigado, Hugo, procurarei sempre respostas, graças a ti, que me ensinaste a procurar.”

A frase acima é um trecho retirado do texto de Marco Steiner, que assina o prefácio do álbum As Helvéticas, recentemente lançado pela editora NEMO. Destaquei a frase, pois ela representa para muitos o significado que foi a passagem de Hugo Pratt nos quadrinhos. Não é a toa que Marco fez questão de citar a frase, que são as palavras escritas num bilhete colocado no túmulo de um dos principais quadrinhistas italianos, que infelizmente morreu em 1995.

Para os fãs de Pratt, e de boas histórias em quadrinhos, a editora NEMO está cumprindo o que prometeu e traz mais uma vez, em um álbum de excelente qualidade gráfica, uma aventura inédita do marujo britânico em uma aventura que nunca foi publicada no Brasil, e vale lembrar que ela prometeu mais um álbum de Corto Maltese ainda para 2012.

Mas vamos falar de “As Helvéticas”. A história conta a viagem de Corto Maltese e do professor Jeremiah Steiner, que apareceu na segunda aventura de Corto, “Sob o signo do capricórnio” e na terceira “Corto Maltese na Amazônia”. Os dois vão ao encontro do escritor Herman Hesse (autor do Lobo da Estepe). Esse é o começo de uma viagem, na qual Corto vai encontrar algumas figuras esotéricas.

Mágicos, alquimistas, gorilas e donzelas medievais, esses e outros personagens vão marcar o caminho do marinheiro. É interessante observar que sempre que se encontrou com magos, demônios e etc., Corto sempre foi irônico e aqui ele não muda sua postura, como no poema de Apollinaire “a propósito das profecias, não acredito, mas escuto e presto atenção…”

Na introdução de Marco Steiner você irá conhecer muito mais sobre Herman Hesse, Klingsor, Kundry, Parsifal e a Rosa Mística. Aliás, mais uma vez a NEMO dá um show quando o assunto é introdução. Toda a abertura conta com além do belo texto, com belas fotos que ambientam o leitor para os cenários em que se passa a narrativa. Uma excelente forma de começar essa incrível e mística aventura, que contou com a tradução de Reginaldo Francisco.

O marinheiro britânico de Hugo Pratt é tão significativo para os quadrinhos que a sua existência extrapola o universo das páginas impressas. Em 1982, a editora Norma, da Espanha, lançou alguns cadernos dedicados à quadrinhistas do mundo todo com entrevistas biografias, HQs, textos sobre os autores e etc. Na edição sobre o Hugo Pratt, o especialista em Corto Maltese, Juan Antonio de Blas, escreveu “Um tal…Corto Maltés”, que são 20 textos de ficção escritos como se fossem verídicos e por escritores reais, que iam desde cartas, documentos de serviços secretos como a CIA, ) que traçam um perfil desse nebuloso personagem. Quem ele era? Qual a sua origem? Quem são seus amigos? Quais as suas ideias político-filosoficas? Qual foi a última notícia sobre ele? Teria Corto desaparecido numa batalha na guerra civil espanhola?

No documento número 12 escrito, que é atribuído a Jorge Luis Borges, encontramos algo que serve para falar dessa maravilhosa aventura do Corto Maltese, em que ele se refere ao que é sonhado e do que é real, o que se encaixa perfeitamente com a história de As Helvéticas: “no sé si será cierto lo de que la vida imita Al arte. De lo que si estoy seguro es de que la vida imita àl sueño”.

Obrigado Hugo, Obrigado Corto.

As Helvéticas
Editora Nemo
Título original: Corto Maltese – Les Helvétiques
Autor: Hugo Pratt
21,5 x 28,5 cm
96 páginas
R$ 49,00

Floreal Andradehq que aconteceAs Helvéticas,Corto Maltese,Hugo Pratt,Nemo“Obrigado, Hugo, procurarei sempre respostas, graças a ti, que me ensinaste a procurar.” A frase acima é um trecho retirado do texto de Marco Steiner, que assina o prefácio do álbum As Helvéticas, recentemente lançado pela editora NEMO. Destaquei a frase, pois ela representa para muitos o significado que foi...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe