Um imigrante deixa seu país natal (ameaçado por uma estranha criatura tentacular), onde deixa mulher e filha. Viaja pelo mar, chega a outras terras, é colocado num estranho veículo como um balão e finalmente vai parar em outras terras estrangeiras. Lá se depara com costumes estranhos, comidas estranhas e animais estranhos.

Toda essa saga do emigrante está presente no álbum A Chegada, da editora Edições SM, e é contada em desenhos, sem nenhum texto, somente o curioso alfabeto criado pelo autor da graphic novel, Shaun Tan, filho de um imigrante malaio que foi para a Austrália.

Talvez o autor tenha usado muito das memórias de seu pai, mas é certo que todos que um dia tiveram que abandonar seus países e passaram dificuldades para se acostumar a novos hábitos vão se identificar com a obra.

Na narrativa o protagonista vai ouvir histórias de outras pessoas que por causa da guerra ou motivos obscuros tiveram que ir embora do seu rincão. Essa inspiração é também derivada de fatos reais. O autor teve todo um trabalho de pesquisa que envolveu consultas a biografias, fotos e quadros de imigrantes, filmes etc., durante um período quatro anos. Não é a toa que a história tem um toque de sensível, indo para um caminho muito pessoal.

Todos os desenhos são a lápis, monocromáticos e num tom sépia, como velhas fotografias. Alguns requadros são imagens de fotos amassadas e amareladas pelo tempo. Claro que em uma narrativa sem texto a imagem é fundamental, e as ilustrações de Shaun Tan são belíssimas e lembram obras surrealistas, principalmente em passagens quando é hora de comer ou dormir, o protagonista recorre a um caderno onde desenha um pedaço de pão ou uma cama.

Shaun Tan é um quadrinhista internacionalmente premiado, portanto não é a toa que o álbum A Chegada foi o premiado deste ano da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), entidade que condecora as obras de maior qualidade editorial lançadas no país, na categoria Imagem. A arte é fantástica.

Esse álbum bacana em capa dura me lembrou de um pintor argentino chamado Alejandro Xul Solar que compunha maravilhosos quadros com seus belos mundos oníricos. É uma verdadeira viagem visual acompanhar as páginas de Shaun Tan e ver como ele representou de maneira tão inusitada algumas passagens que vão além do que está se vendo, mas sim, remetem ao que o personagem está sentindo.

O leitor só tem a ganhar adquirindo obras como A Chegada.

A Chegada
Editora: Edições SM
Texto e arte: Shaun Tan
20,5 x 30,5 cm
128 páginas
R$ 48,00

Floreal Andradehq que aconteceA Chegada,Edições SM,Shaun TanUm imigrante deixa seu país natal (ameaçado por uma estranha criatura tentacular), onde deixa mulher e filha. Viaja pelo mar, chega a outras terras, é colocado num estranho veículo como um balão e finalmente vai parar em outras terras estrangeiras. Lá se depara com costumes estranhos, comidas estranhas e...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe