CAPA_VidasProvisorias_blogDevo confessar que só quis ler esse livro porque ele é muito bonito. Muito bonito mesmo. O azul predomina, um azul triste, melancólico, até mesmo nas laterais e por dentro. São ao todo dois cadernos alternados, um de páginas amarelas e letras negras, que é o caderno que conta a história do personagem Paulo, e o caderno azul, de letras azuis, da Bárbara.

Eu tenho um preconceito com qualquer pessoa que trabalhe na ou para a Rede Globo de manipulação. Silvestre é repórter, é jornalista da Globo. Mas a beleza do livro, e alguma outra coisa misteriosa, fez com que eu quisesse muito ler o livro, e graças a Deus eu segui meus instintos.

Ambientado na época da Ditadura no Brasil, o livro mostra a trajetória dos personagens Paulo e Bárbara, (que aparecem como personagens secundários em A felicidade é fácil, segundo romance do autor) que ignoram a existência um do outro. Ambos tiveram que se refugiar noutro país após serem perseguidos aqui no período da Ditadura.

Bárbara foi para Nova York, onde passou a levar a vida como faxineira em casa de brasileiro. A solidão da Bárbara perpassa pelas páginas como tentáculos gélidos e invisíveis. É bastante desconfortável, quando a gente se coloca no lugar dela. Por exemplo: ela nunca chega a aprender Inglês, de forma que liga a TV, mas não entende nada do que aquelas pessoas dizem… decora o caminho para o serviço, pois não consegue entender o que dizem as placas… e se sente muito sozinha, com muita saudade dos seus iguais, o tempo todo. Mas algo a prende naquele país, mesmo após tanto tempo.

Já Paulo, acaba sofrendo tortura no Brasil, e à beira da morte, consegue fugir, acaba se refugiando em Estocolmo. Sua história como refugiado não é tão triste como a de Bárbara, a pior parte é quando ele ainda estava por aqui.

Os nomes falsos, as falsas identidades, o medo constante de ser considerado um inimigo em seu próprio país sem nunca ter feito nada para merecer estar naquela situação… a solidão de estar em algum lugar do mundo, e não conseguir se fazer ouvir… tudo isso veio da minuciosa pesquisa e entrevistas que Silvestre fez durante alguns anos, e que culminou no segundo melhor romance que li em 2013.

13228562Vidas provisórias te oferece a possibilidade de conhecer profundamente a vida de um sobrevivente, de mergulhar na profundidade de suas particularidades. É profundo, arrebatador.

As vezes julgar um livro pela capa ajuda, ao invés de atrapalhar. O que eu sei com certeza, é que ele é um dos exemplares mais preciosos da minha coleção, e que muito provavelmente eu o lerei mais vezes.

Também devo acrescentar que esse livro e Sal, da Letícia Wierzkiwiski, mudaram um pouco a minha concepção sobre a Editora Intrínseca. Existe uma literatura brasileira muito boa mesmo, em que eles decidiram apostar agora, e me pergunto o motivo. Pois sinceramente, esses livros não são o perfil da editora. Vendi todos os exemplares que tinham chegado assim que os li, mas não são o tipo do resto do catálogo, sabe? Nem o tipo que livrarias costumam apostar.

Estranho. Mas fiquei realmente feliz com essa mudança, espero que eles não desanimem! E que publiquem novos autores brasileiros bons!

Ah, quase me esqueci de mencionar: em Vidas Provisórias, existe um parágrafo em que o autor desce a lenha no Brasil. Trata-se de uma bela crítica, que eu li três vezes antes de prosseguir com a leitura… achei maravilhosa a sentença. Não vou colocar aqui, pois quero que vocês leiam o romance, encontrem e comentem! Eu uso a frase para convencer as pessoas a comprarem o livro, mas vocês não são meus clientes, não terão esse tipo de refresco!

Vidas Provisórias
Editora Intrínseca
Autor: Edney Silvestre
Gênero: Romance
Ano 2013 – número (edição): 1
237 páginas
R$ 39,90

http://impulsohq.com/wp-content/uploads/2014/11/VidasProvisorias_blog.jpghttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2014/11/VidasProvisorias_blog-300x252.jpgSue Lobofora das HQsEdney Silvestre,Intrínseca,Vidas ProvisóriasDevo confessar que só quis ler esse livro porque ele é muito bonito. Muito bonito mesmo. O azul predomina, um azul triste, melancólico, até mesmo nas laterais e por dentro. São ao todo dois cadernos alternados, um de páginas amarelas e letras negras, que é o caderno que conta...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe