marina

Neste romance do escritor espanhol Carlos Ruiz Zafón, a envolvente Barcelona de 1980 é a cidade-personagem, por onde o estudante de internato Óscar Drai, de 15 anos, passa todo o seu tempo livre, andando pelas ruas e se encantando com a arquitetura de seus casarões.

Em um desses passeios, Óscar se depara com um casarão, lá dentro, se encanta com o som de uma belíssima voz e por um relógio de bolso quebrado e muito antigo que leva consigo após uma fuga. Dias depois decide devolver o objeto ao dono da casa e assim conhece Marina, a jovem de olhos cinzentos que o leva até o proprietário da antiguidade, seu pai, o grande Germán.

Nasce então entre Oscar e Marina uma linda amizade, e baseada na vontade que os dois tinham de se aventurarem, os jovens vão até o cemitério, onde uma mulher coberta por um manto negro visita uma sepultura sem nome, sempre à mesma data, à mesma hora. Os dois passam então a tentar desvendar o mistério que ronda a mulher do cemitério, vivendo então sua tão esperada aventura.

butterfly2Com enredo interessante e ótimas descrições, Marina, Óscar e Germán constroem um lindo laço. A história passa por palacetes e estufas abandonadas. Há lutas contra manequins vivos e tantas outras surpresas que opto por não dizer, mas ambos vivem se deparando com um mesmo símbolo – uma mariposa negra.

Toda a ação é narrada pelos olhos de Óscar, o menino solitário e doce que se apaixona por Marina e tudo o que a envolve, passando a conviver dia e noite com a falta de eletricidade do casarão, o amigável e doente pai da garota, Germán, o gato Kafka, e a coleção de pinturas espectrais da sala de retratos.

Em Marina, o leitor é tragado para dentro de uma investigação cheia de mistérios, conhecendo, a cada capítulo, novas pistas e personagens de uma intrincada história sobre um imigrante de Praga que fez fama e fortuna em Barcelona e teve com sua bela esposa um fim trágico, ou pelo menos, é o que todos imaginam que tenha acontecido. Óscar e Marina correm em busca da verdade, antes de saber que é ela que vai ao encontro deles, como declara um dos complexos personagens do livro.

barca-6Marina é, sem sombra de dúvidas, o mais macabro dos livros de Zafón. A tensão e o perigo de morte que rondam Óscar e Marina deixam o livro ainda mais interessante, e a cada resposta encontrada, o mistério vai ganhando contornos sobrenaturais. É possível ir tentando montar o quebra cabeça, mas é praticamente impossível conseguir desvendar todos os segredos e todas as intenções que permeiam o livro, sem a explicação que nos é transmitida pela própria narrativa.

Nos apaixonamos por Marina com seus olhos cinzentos, nos apegamos à Germán, sentimos afeição pelo querido Óscar e uma simpatia e empatia gigantesca inclusive aos personagens não tão amáveis, ou ao que podemos chamar de “vilões”, mas ao desenrolar da trama vemos que as coisas não são tão simples quanto parecem, fazendo com que nós, meros leitores, admirássemos tamanha beleza de sentimentos e retomemos a pergunta sobre o que é realmente a vida.

E no momento em que as histórias se cruzam e os segredos são finalmente revelados, os questionamentos que pairam sobre a nossa cabeça são longos e pesados. As motivações de Zafón na tentativa de explicar o conceito de morte são de uma beleza estonteante, poucas vezes vista em qualquer que seja o gênero.

A descrição de Zafón dá luz e vida à Barcelona gótica que ele nos traz. As paisagens formam-se perfeitamente em nossas mentes graças à sua maestria. As promessas e possibilidades elencadas durante a leitura dão o toque final que o livro precisa para ser perfeito e apaixonante.

imgCarlos Ruiz Zafón3Assim, Zafón constrói mais um livro espetacular, que mostra o porquê de sua ascensão como escritor e a causa de seu sucesso, e que não deixa nada a desejar se comparado com as suas obras mais famosas como “A Sombra do Vento”, “O Jogo do Anjo” e não menos perfeitas.

Um romance (infelizmente) breve e envolvente. Marina é a personagem feminina mais singela dos livros de Zafón. Nos apaixonamos por essa garota tão loucamente como Óscar o fez. Marina representa para Oscar uma chance de colorir a vida de uma forma doce. Em seu relacionamento com Germán, ele vê a presença dos pais distantes inclusive em feriados, como Natal.

Para os leitores, Marina pode lembrar as paixões que tivemos quando novos ou até as paixões que em que colocamos alguém em um pedestal e depois não nos imaginamos capaz escalá-lo; mas uma coisa é certa, todos já tivemos uma ‘Marina’ em nossas vidas.
Um livro que fica vivo dentro de nossas lembranças, assim como Oscar Drai, que sempre saberemos onde encontrar.

Marina
Editora Suma de Letras
Autor: Carlos Ruiz Zafon
Tradução: Eliana Aguiar
Brochura
190 páginas
Ano (1999) – 1ª edição
R$ 26,90

http://impulsohq.com/wp-content/uploads/2015/05/marina1-1024x629.jpghttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2015/05/marina1-300x300.jpgMarina Ciconelifora das HQsCarlos Ruiz Zafon,Eliana Aguiar,Marina,Suma de LetrasNeste romance do escritor espanhol Carlos Ruiz Zafón, a envolvente Barcelona de 1980 é a cidade-personagem, por onde o estudante de internato Óscar Drai, de 15 anos, passa todo o seu tempo livre, andando pelas ruas e se encantando com a arquitetura de seus casarões. Em um desses passeios, Óscar...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe