Logo no primeiro dia da Comic Fair aconteceu a palestra de Manoel de Souza, editor da Revista Mundo dos Super-Heróis, revista especializada em histórias quadrinhos e bicampeã do Troféu HQMIX.

Disposto a revelar todos as etapas de criação da revista, Manoel não escondeu nada sobre o processo de elaboração de pautas, apuração, redação, edição e finalização da publicação, dando a oportunidade ao público presente entender como funciona a produção de uma revista, e é claro deixando todos por dentro da Mundo dos Super-heróis.

Manoel falou rapidamente de sua trajetória dentro da editora Europa e como surgiu o primeiro projeto da revista. O editor comentou que insistiu com os seus diretores para conseguir lançar a primeira publicação da Mundo dos Super-heróis que foi em 2006.

Sendo objetivo em sua palestra, Manoel de Souza mostrou exemplos práticos do dia a dia dentro da editora e quais os recursos que ele e sua equipe trabalham para se organizar, entre eles o chamado “espelho”, uma planilha com todas as páginas da revistas, incluindo capas, que mostram a localização das matérias e quantas páginas elas terão.

Espelho da Revista Mundo dos Super-heróis

Depois Manoel explicou sobre a tarefa do editor: “Sou aquele que analisa se o texto está com foco na pauta, vejo o número de caracteres, faço a edição, ou seja, se precisar corto texto, e é claro fico também com a parte chata de cobrar os prazos”, explica o editor.

Outra ferramenta que o editor usa é a “planilha de pautas”, aonde durante as reuniões com a equipe são anotadas as sugestões de matérias para a publicação.

Depois das pautas definidas o próximo passo é a apuração, ou seja, é a hora de correr atrás das informações sobre a pauta.

O editor comentou que esse tipo de pesquisa é feito através de fontes fidedignas, e entre as principais estão HQs originais, falar com os próprios autores, buscar artigos e reportagens impressos porque geralmente são mais confiáveis, scans de revistas, sites oficiais de editoras e autores. Manoel avisa que o wikipedia não entra como fonte e ela não é consultada.

O processo seguinte é fazer uma busca de imagens para ilustrar a matéria. E os cuidados com as fontes são os mesmos. Primeiro HQs impressas originais, livros, arquivos pessoais dos autores, fotos in loco (quando se trata de um evento), scans de quadrinhos e arquivos em DVD. O editor revela que possui um arquivo digital com várias imagens, todas catalogadas e de fácil localização.

Em seguida Manoel de Souza revela a sua função na fase da edição: “O texto do colaborador é como um diamante bruto. Minha função é lapidar esse diamante e deixar o texto mais claro possível, sempre em busca no foco da pauta”.

Depois da edição o processo continua com a diagramação, que é tornar o texto mais convidativo. Manoel revelou como tem uma participação ativa nessa fase: “Sempre faço um esboço da pré-diagramação. E sempre tento favorecer a arte”, e ainda comenta sobre o estilo gráfico de diagramação da Mundo dos Super-heróis, “a diagramação tem que ser a mais informativa possível. Para cada texto, a respectiva imagem do fato. Nenhuma imagem deve ficar sobrando”, revelou o editor.

Manoel também comentou alguns dados técnicos como o software que é usado para diagramar a revista, no caso, QuarkXpress. O editor também não deixou de falar da qualidade das imagens que devem sempre estar em alta resolução e em CMYK (perfil de cor).

Continuando com o trabalho a tarefa agora é o acabamento que seria editar o texto, mas com ênfase em eliminação de palavras repetidas e de olho nas legendas das imagens.

Depois dessa fase são feitas a revisão e o fechamento de arquivo. A revisão trata-se de uma leitura para corrigir algum possível erro de português e algumas checagens técnicas, e o editor avisa: “A atenção aos detalhes fazem toda a diferença essa hora tão importante. A idéia é que a leitura fique de fácil compreensão. Queremos que todos consigam ler e não somente o nerd nível 10”.

Manoel de Souza levou dos modelos de plotters para o público poder ver ao vivo e manusear

Depois de tudo chegado o arquivo é fechado, ou seja, gera-se um arquivo em formato .pdf para enviar para a gráfica. Manoel não deixou de comentar outros conceitos mais técnicos como a sangria (espaço de 5mm que se coloca a mais nas imagens que ficam nas bordas das páginas) e registro (marcação aonde se determina a posição da folha na hora da impressão) e detalhou mais como é feito o envio para a gráfica, no caso através do site da própria empresa que faz a impressão.

Depois de ir o arquivo para a gráfica ainda não está acabado. Vem a fase da fase da aprovação final. A gráfica envia uma plotter, ou seja, uma cópia teste da revista para o editor analisar o material impresso. “Em geral cerca de 50% da revista muda após a plotter”, dia Manoel de Souza.

Depois de enviada para a gráfica novamente com as correções e feita a impressão e a distribuição setorizada. O editor comentou que a Mundo dos Super-heróis atinge cerca de 5 mil bancas no Brasil e informou que a publicação vende mais no site do que nos pontos de venda.

Depois de ter explicado todo o processo de produção da revista, perguntas foram abertas para o público que estava muito curioso para saber se a revista se sustentava, tiragem e relacionamento com os leitores.

Manoel explicou que a Mundo dos Super-heróis passou a se sustentar a partir da quinta edição e comentou que para uma revista de super-heróis isso é algo muito bom e lembrou que há casos em que a publicação demorou 7 anos para se autossustentar, que é o caso da revista Veja.

Sobre a tiragem e o número das vendas, o editor explicou que não poderia entrar muito nesse assunto, mas deixou claro que a revista vende o suficiente para se manter. “Até hoje só tivemos duas edições que não se mantiveram, que foi a do dossiê Titãs e Demolidor. Fizemos algo interessante, diminuímos a tiragem e conseguimos aumentar as vendas”, revelou e completa “A venda é estável. O público gosta da revista pelas colunas e matérias. Com isso o grupo cresce, por isso estamos lançando mais livros”.

O editor finalizou dizendo: “Meu relacionamento é o melhor possível com os leitores da Mundo. Hoje alguns leitores viraram colaboradores da revista. Tento ficar o máximo atento ao que os leitores estão dizendo. Atualmente quase 80% das pautas são baseadas ba opiniões deles”.


Depois de uma hora de palestra Manoel de Souza agradeceu a todos os presentes que ficaram muito agradecidos com a quantidade de informação que o editor levou e que com certeza na próxima vez que comprarem a Revista Mundo dos Super-heróis vão analisar antes todo o trabalho que deu para a edição ficar pronta.

O que já foi publicado sobre a Comic Fair:

Entrevista: Will – Quarto Mundo

Rod Reis na Comic Fair: Como foi

Palestra Emílio Baraçal na Comic Fair: Como foi – Parte 2

Palestra Quarto Mundo na Comic Fair: Como foi

Um gaijin no universo otaku

Fanzine Expo na Comic Fair

Exposição de HQs Raras e Comic Lounge na Comic Fair – Entrevista com Alexandre Callari

Palestra Fabrízio Yamai na Comic Fair: Como foi

Entrevista: Logan Barros – Modelismo e Molde

Palestra Emílio Baraçal na Comic Fair: Como foi

Comic Fair 2010: Como foi – primeira parte

Renato LebeauquadrinhosComic Fair,Manoel de Souza,Mundo dos Super-HeróisLogo no primeiro dia da Comic Fair aconteceu a palestra de Manoel de Souza, editor da Revista Mundo dos Super-Heróis, revista especializada em histórias quadrinhos e bicampeã do Troféu HQMIX. Disposto a revelar todos as etapas de criação da revista, Manoel não escondeu nada sobre o processo de elaboração de...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe