Procurando novos lançamentos de Hq achei essa notícia.

Retirado do site + SOMA.

É tão comum nos dirigirmos a outros gêneros artísticos para atribuir valor a uma história em quadrinhos que o mais chocante nos dois álbuns nacionais de O Epiléptico, de David B (Conrad Editora) é justamente sua singularidade em constituir-se como grande obra e ser eminentemente uma HQ sem maiores requisitos – a história se basta em um dialogo lancinante entre texto e desenho, quadro a quadro, sem maiores ornamentos.
A história autobiográfica do francês David B., obviamente o insere numa tradição riquíssima dentro das HQs onde podemos elencar autores como Will Eisner, Joe Sacco, Alison Bechdel, Daniel Clowes dentre muitos outros grandes artistas e pode-se resumir na busca de uma cura para a epilepsia do irmão mais velho do autor, Jean-Christophe.

A vida dele era normal até a chegada do “haut mal”, como a epilepsia é conhecida coloquialmente na França. A fragilidade, sobretudo emocional de seu irmão, faz com que a doença tenha um efeito devastador na vida de todos na família.

Enquanto a saúde do irmão mais velho começa a deteriorar, os pais arrastam toda a família Europa afora, por uma década, em busca de uma cura para a doença.

Decepcionados com as saídas da medicina normal, decidem procurar saídas alternativas, das dietas macrobióticas aos templos Rosacruz. Seria uma experiência dolorosa para os leitores, se o autor não soubesse mostrar o lado tragicômico disso tudo em um tom prosaico, mas que não pode ser tido como banal ou estéril.

Afinal, o que retrata é o despedaçar de uma família. Há uma quantidade quase infinita de metáforas visuais próprias de delírio criativo de crianças para retratar sentimentos adultos difíceis de lidar, seja lá qual a linguagem adotada. Aliás, é na narrativa visual que ele separa o joio do trigo, ou como gostaria alguns, mostra onde reside a linha tênue que separa os homens das crianças.

David B não facilita a vida dos leitores. Ele não abre mal de sequer um recurso que busque a emoção fácil ou a catarse. De certa forma, o tom do álbum, ditado pelo desfecho da crise (de epilepsia? De valores? Da trama? Da família? Dos temores do autor?) não encontra fim – mesmo apos a última página.

A obra é extremamente cerebral, mas por trabalhar tão bem com expedientes intrinsecamente quadrinísticos, agrada a qualquer um em busca de uma boa história, independente de gênero.

O jogo visual, onde o autor exterioriza seus anseios e temores através de batalhas entre povos bárbaros (trabalhando eminentemente com a epicidade atribuída comumente ao maior filão das HQs e com o estéreotipo de luta do bem contra o mal) é o termômetro perfeito para expor ao leitor seus inimigos íntimos, suas fraquezas.

E vale ressaltar que aqui fraqueza é sinônimo de franqueza. É especialmente belo o momento que o autor consegue racionalizar o por quê de tantas lutas épicas em seus desenhos infantis e, de certa forma, definir a relação mesquinha e complicada entre ele e seu irmão.

Arriscaria dizer que é um dos maiores momentos de todo o quadrinho ocidental do século XXI, ainda que soe estúpido e arrogante. Num jogo lancinante entre sonho e realidade, o quadrinista francês criou um verdadeiro romance de formação, que não deve nada a um Maus de Art Spielgeman, por exemplo, tido como ícone máximo de HQ autoral e adulta.

Um dos pontos altos do trabalho em O Epiléptico são as metáforas visuais. A própria epilepsia, por exemplo, é retratada, inicialmente, como uma espécie de dragão chinês com o corpo infinito.

Por fim, o monstro já é um aspecto do próprio irmão do autor. O peso de apenas este aspecto dos dois álbuns que compões essa história particular tão difícil, é sintomático do que o leitor pode esperar desse trabalho.

Renato Lebeauquadrinhos+ SOMA,David B,O EpilépticoProcurando novos lançamentos de Hq achei essa notícia. Retirado do site + SOMA. É tão comum nos dirigirmos a outros gêneros artísticos para atribuir valor a uma história em quadrinhos que o mais chocante nos dois álbuns nacionais de O Epiléptico, de David B (Conrad Editora) é justamente sua singularidade em...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe