Arte: JJ Marreiro
Arte: JJ Marreiro

Neste dia 23 de julho, a DC Comics propôs celebrar o Dia do Batman – este personagem quase unânime na preferência das pessoas – em comemoração ao 75º aniversário do personagem, e fez uma parceria com milhares de comics shops e livrarias dos Estados Unidos para celebrar com os fãs.

Nós aqui do Impulso HQ também resolvemos homenagear esse personagem que nos é tão querido que convidamos desenhistas brasileiros para marcar a data e prestarem sua homenagem ao Cavaleiro das Trevas, colaborando com as ilustrações para esta postagem.

Batman e sua trajetória

Arte: Daniel Brandão
Arte: Daniel Brandão

Imagine alguém da elite que por um motivo traumático na infância deixou de seguir rumo aos pedestais da etiqueta, dos confortos e do ócio para abraçar uma atitude animalesca, e que se tornou um ser que vive numa caverna, mas com a força para responder ao mal em sua cidade sempre que necessário. Teriam sido esses conceitos empregados na criação do Batman, em 1939? Pois, durante o dia, Batman é Bruce Wayne, um playboy milionário – À noite, Bruce Wayne é Batman, com traje de morcego e toda disposição para o combate.

Dos vampiros, Batman herdou o visual de morcego, Dom Diego de la Veja (o Zorro) ditou o tom e o gosto pela justiça de Bruce Wayne. Mas o herói passou por inúmeras outras influências nos últimos 75 anos. Ele viveu aventuras espaciais ao lado de duendes morcegos, dançou ao som psicodélico dos anos 1960 com um spray repelente de tubarões no cinto de utilidades, alucinou e depois amargurou-se novamente em sua vingativa busca de justiça, ficou meio punk meio hardcore, e sobreviveu com vigor porque sempre manteve sua identidade essencial.

Arte: Will
Arte: Will

Então, por tudo isso, enraizou-se no coração da própria cultura pop para alçar um vôo ainda mais alto e audacioso: rumo à eternidade! E, neste dia 23 de julho, a DC Comics propôs celebrar o Dia do Batman – este personagem quase unânime na preferência das pessoas, e que nos é tão caro que convidamos desenhistas brasileiros para marcar a data e prestarem sua homenagem ao Cavaleiro das Trevas, colaborando com as ilustrações para esta postagem.

Criado por Bob Kane e Bill Finger para a edição 27 de Detetive Comics, publicada em maio de 1939, Batman nasceu quando Bruce Wayne presenciou o assassinato de seus pais. O sinal para tornar-se um morcego veio da visão do único mamífero voador depois de uma prece direcionada ao falecido pai – após 15 anos de auto-imposto treinamento físico e mental. No princípio, o personagem usava luvas roxas, uma pistola, e matava sem pestanejar. Batman logo mudou seus métodos, porque no ano seguinte, no número 38 da mesma revista, ganhou a companhia de órfão adolescente Dick Grayson, que também havia sido marcado por uma tragédia criminosa. Treinado pelo Homem-Morcego, o garoto acrobata se tornou Robin, o Menino Prodígio.

Arte: Laudo
Arte: Laudo

O clima noir dos anos 1940 desapareceu por influência do sucesso dos westerns e, depois, da ficção científica, mas o mais perigoso inimigo do personagem foi Fredric Wertham e seu livro A Sedução do Inocente – que por meio de uma pesquisa fraudada colocou em dúvida o destino espada do vigilante de Gotham. Em resposta surgiram novos parceiros para o Cavaleiro das Trevas, como a Batwoman, Batgirl, Ás o cão-morcego. Veio o seriado em 1966, bateu recordes de audiência e lançou sobre a carreira de Adam West e Burt Ward a sombra do manto do morcego. Batman foi um herói multimídia, ganhou fama, boa e ruim novamente.

A série, de gosto duvidoso, morreu em dois anos, mas ainda repercute – está de volta em quadrinhos, por exemplo. No final dos anos 1970, os roteiros de Denny O’Neil e desenhos de Neal Adams levaram Bruce Wayne de volta para o posto de herói viril, atormentado e feroz. Uma criatura das trevas de novo! E Frank Miller imortalizou a lenda com a publicação do clássico Batman O Cavaleiro das Trevas, em 1986 – ano cabalístico para os quadrinhos.

A influência da visão de Miller reverberou por anos a fio nas HQs. Dick Grayson cresceu “titanicamente” como personagem, virou Asa Noturna. Jason Todd se tornou Robin e em Detetive Comics número 428 foi assassinado pelo Coringa após uma pesquisa telefônica ao modo “você decide” cuja diferença de opiniões entre a favor e contra foi de apenas 72 votos. Tim Drake se tornou um Robin melhor, querido pelos leitores. Batman foi do triunfo à queda. E um anjo vingador chamado Jean-Paul Valley foi Batman.

Arte: Daniel Brandão
Arte: Daniel Brandão

Nas últimas décadas, Batman também foi ano cinema e encantou multidões. Logo, viveu na telona sua era mais negra e depois cor de rosa. Nos desenhos animados, felizmente o personagem emplacou um sucesso atrás do outro e, como ponto alto podemos destacar tudo que leva o nome de Bruce Timm e sua equipe.

Em 2005, O Cavaleiro das Trevas foi revitalizado para a Sétima Arte pelo diretor Christopher Nolan, esteve no auge em 2008 (mesmo que o Coringa tenha roubado o filme, como de costume) e encerrou epicamente em 2012 (num filme grandioso, mas de enredo e técnica questionáveis perante a lógica imbatível dos dois anteriores). E em 2016, vai voltar à telona para acertar as contas com o Homem de Aço e depois, quiçá, liderar a Liga da Justiça.

Nos quadrinhos, O Batman/Bruce Wayne lutou ao lado da Liga, fundou os Renegados, enfrentou sua notável galeria de vilões inúmeras vezes, reagiu a epidemias, terremotos e então viu sua amada cidade transformada numa terra de ninguém. Mas venceu a tudo isso até ser “morto” por Darkseid e seu poderoso raio ocular chamado Feixe Ômega. Ele voltou da “morte” (ou de uma aventura no tempo, escolha) e reassumiu o manto que havia sido honrado por Dick Grayson.

Veio o “recomeço”, uma bagunça cronológica de proporções gigantes, mas veio também um roteirista chamado Scott Snyder (Vampiro Americano) que está fazendo um trabalho simplesmente fantástico – digno de um personagem que comemora 75 anos com fôlego para seguir pela imortalidade.

Batman, o zênite da vontade humana, imortal como mostrado na saga Gerações, de John Byrne – uma boa leitura sobre o personagem como tantas outras. Neste Dia do Batman, nos parece uma boa e apropriada pedida ler uma de suas aventuras. Faça isso você também para comemorar.

GALERIA DE ARTISTAS:

Chagas Lima – http://icfirehq.blogspot.com.br/

Cris Bolson – http://crisbolson.deviantart.com/

Daniel Brandão – http://estudiodanielbrandao.com/

Danielle Barros – https://www.facebook.com/danyotima

Dennis Oliveira – http://artedennis.deviantart.com/gallery/

Diêgo Silveira – https://www.facebook.com/diego.silveiramaia

Fernando Lima – http://www.armagem.com

Gutto Paixão – http://www.fogonolapis.com.br/

Hugo Nanni – www.hugonanni.com.br

J.J.Marreiro – http://www.armagem.com

Laudo Ferreira – www.estudiobandadesenhada.com.br

Marcos Fabiano Lopes – http://mfabianolopes.blogspot.com.br/

Mario Cau – http://mariocau.com/

Omar Viñole – http://coelhonero.blogspot.com/

Rodney Buchemi – http://buchemi.deviantart.com/

Thiago Silva Mota – http://www.projetochroma.net.br/

Wellington Santos – http://www.clubedeautores.com.br/book/133216–VULTO

Will – http://sideralman.blogspot.com.br/

http://impulsohq.com/wp-content/uploads/2014/07/batman_75_years_logo_a_l.jpghttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2014/07/batman_75_years_logo_a_l-300x300.jpgDennis RodrigonotíciasBatman,Bill Finger,Bob Kane,DC,Detetive ComicsNeste dia 23 de julho, a DC Comics propôs celebrar o Dia do Batman – este personagem quase unânime na preferência das pessoas - em comemoração ao 75º aniversário do personagem, e fez uma parceria com milhares de comics shops e livrarias dos Estados Unidos para celebrar com os...IMPULSO HQ é um site que se propõe a discutir histórias em quadrinhos e assuntos derivados como cinema, games e cultura pop em geral.