Editora que tem como slogan “um mergulho na história da pornografia, da imprensa, do humor e dos quadrinhos” faz seu primeiro lançamento com 448 páginas históricas de “Quadrinhos Sacanas”

Com distribuição pela Comix Book Shop, a editora Peixe Grande inicia seu mergulho na história editorial com uma caixa com quatro livros com uma antologia de Quadrinhos Sacanas, que resgata 12 histórias em quadrinhos pornográficas marcantes e que “não” foram criadas pelo genial e famigerado Carlos Zéfiro. O mais conhecido autor do gênero.

Toninho Mendes, organizador da publicação e que, com alguns parceiros, inaugura a editora Peixe Grande que tem como slogan “um mergulho na história da pornografia, da imprensa, do humor e dos quadrinhos” chega com o projeto de publicar obras históricas e inovadoras, ligadas à pornografia, à imprensa, aos quadrinhos e ao humor. Sua proposta é a valorização cultural do jornalismo e da arte popular pouco ou nada valorizadas nos meios acadêmicos e oficiais.

A Peixe Grande chega com uma coleção que faz o Brasil lembrar-se que sua educação sexual se deu através dos clandestinos catecismos. Os livrinhos de bolso que faziam os alunos formarem rodinhas nos cantos das escolas.

Edições impressas com a mesma estrutura gráfica da literatura de cordel, desde a época do Império, e que adquiriu popularidade a partir da década de 1950, quando passaram a ser produzidas em escala industrial.

Com esta Caixa, a Peixe Grande inicia um importante trabalho de resgate cultural de obras significativas que muitos insistem em ignorar.

Quadrinhos Sacanas tem organização de Toninho Mendes, e é uma coleção de histórias sempre lembradas e reverenciadas, mas que só ocasionalmente foram reunidas em livro.

Originalmente, essas HQs foram produzidas de forma artesanal, impressas precariamente e lançadas em formatinho de bolso por artistas anônimos que, aliás, sempre permaneceram anônimos e circulavam por debaixo do pano em bancas de jornais e em outros pontos de venda.

Os trabalhos aqui publicados possuem traços conhecidos de artistas das revistas profissionais dos anos 50 e 60. Com cópias de desenhos de Alex Raymond, de séries românticas mexicanas e fotonovelas italianas. São reconhecíveis os traços de artistas brasileiros de gibis de terror. Mas aqui eles assinam com pseudônimos maliciosos e jocosos ou simplesmente não se deixam creditar.

Confira abaixo o resumo de cada volume:

Volume 1 - Sexo Espacial – Seleciona histórias com temas muito em voga no Brasil no inicio dos anos 60, a corrida espacial, os discos voadores, Brigite Bardot e Super-Homem. São três historietas constituídas de um anedotário muito particular. Imperdível para quem gosta destes temas. Absolutamente hilárias e safadas. Histórias “Ivo, o marciano”, “Super homem x Brigite Bardot” e “Valdir, o astronauta”.

Volume 2 - Defloramento – Reúne obras que primam pela malícia da sedução de típicos amantes latinos no momento da perda da virgindade. Histórias criadas com diferenças de décadas, uma da outra, mas que possuem em comum todo um linguajar próprio do ritual da sacanagem.Onde o termo catecismo revela-se o mais apropriado para rotular estas peças. Pois é totalmente doutrinador. Também aqui temos uma unidade no grafismo. Todas as obras foram realizas a pincel. E encontramos “cenas clones” das tiras Nick Holmes, Jim das Selvas e Flash Gordon. Histórias “Índio quer apito”, “A primeira noite” e “Denise uma garota especial”.

Volume 3 - Sexo com Animais – Coleciona três histórias que tratam de um tema real para o homem, desde tempos bíblicos. Parodiando clichês de clássicos da aventura, como náufragos, piratas e cangaceiros. São três pérolas gráficas repletas de detalhes legitimamente satíricos (do grego sathê, “pênis”). Todas criadas por artistas gráficos profissionais que se mantiveram anônimos. A maturidade dos traços denuncia. Este volume contém a impagável “As 3 Cabras e Lampião”, que é uma das melhores histórias em quadrinhos cômicas de sexo do Brasil de todos os tempos. Incrivelmente desenhada imitando os desenhos do conceituado pintor Aldemir Martins. Histórias “O marinheiro”, “Morgon, o pirata” e as “As 3 cabras de lampião”.

Volume 4 – Terceiro Sexo – É do escritor Millor Fernandes a frase: “Bons tempos quando só existia três sexos”. Este é o mais politicamente incorreto tomo da coleção. Mas é uma delícia de brega. Se bem que, para sua época, os anos 60, estas histórias discutem temas como a liberdade feminina, opção sexual, críticas aos bons costumes familiares, a corrupção, a hipocrisia da alta sociedade. Discute e a luta por “grana e poder”, como em nenhum lugar na imprensa de então. E tudo embalado com a mais doce das putarias. Este volume revela ainda uma mudança no foco das referências gráficas dos seus artistas. Obras européias como Barbarella e revistas de fotonovelas pornográficas suecas são as novas influencias. Histórias “Confissões de uma moça livre”, “Marlene arranja um homem” e “A gang”.

Quadrinhos Sacanas – O Catecismo Brasileiro no traço dos herdeiros de Carlos Zéfiro
Editora Peixe Grande
10 x 13,5cm
112 páginas
Caixa com 4 livros contendo 3 histórias em cada
R$ 69,00
Distribuição: Comix Book Shop
Al. Jaú, 1998 – Jardins
São Paulo – SP
(11) 3951-5037 / 3951-5029
*venda Proibida para menores de 18 anos