Sei que muitos lugares já deram a notícia, mas mesmo assim vamos lá!!…

O que me chama atenção é a iniciativa e a alternativa de exploração de um tema e a abordagem gráfica.

Quando fiquei sabendo que iriam ser produzidos Hqs baseadas em letras de música, eu pensei, mas isso já não foi feito?

Lembrei de uma antiga revista que tinha,a extinta Heavy Metal, e lá tinha uma história que era a música Stairway to Heaven do Led Zeppelin.

Lembro que na época eu adorei, a arte era meio sombria, com um estilo mais realista, era algo que eu realmente imaginava para a letra.

Eu espera que saísse mais produções nesse estilo, e não encontrei.

Agora com a linha Mojo Comix, da Mojo Books, essa esperança retorna!

Não vejo a hora de, quem sabe, ler Faroeste Cabloco, ou Tribunal de rua do Rappa.

Essa atitude da editora é brilhante, acho que do ponto de vista comercial, essa linha pode alcançar grandes números, e se analisarmos o lado dos artistas, será um grande desafio, traduzir em traços e cores, todo um sentimento que a música pode passar, sem contar todo o lado pessoal emocional envolvido, por exemplo, para mim eu Faria Faroeste Cabloco, com traços mais realísticos, não tanto como Alex Ross, mas tentaria aproximar ao máximo, e deixaria tudo sem muita cor, só nos momentos de euforia da música, onde acho que imagens distorcidas se encaixariam muito bem, isso porque pra mim a música passa isso… agora para outro artista.. quem sabe??

Com esse tipo de atitude o mercado editorial de quadrinhos só tem a ganhar, e quem sabe, não poderemos ver essas publicações impressas nas bancas, concorrendo com os super-heróis de sempre!!

Abaixo segue algumas informações que achei na net sobre a Mojo Comix e sua produção.

A editora virtual Mojo Books, que é uma iniciativa que se propõe a adaptar clássicos da música pop para a literatura, lançou sua linha de quadrinhos, a Mojo Comix.

O álbum que abre a coleção é a releitura de Bela Lugosi’s Dead, da banda gótica inglesa Bauhaus, feita pelos quadrinhistas Raphael Salimena e Leo Martinelli.

Em 1978, a banda pós-punk inglesa Bauhaus criou o que seria considerado mais tarde o precursor do rock gótico, a música “Bela Lugosi’s Dead”. Obcecados por ícones do Expressionismo, a idéia era satirizar filmes como Drácula e Nosferatu. A piada acabou gerando um culto que dura até hoje.

Os quadrinhistas captaram o espírito jocoso da obra máxima do Bauhaus e criaram uma adaptação em quadrinhos, eles criaram em apenas 20 páginas, uma historieta de humor afiado e mórbido, a qualidade dos desenhos e texto impressionam.

Com periodicidade bimestral, os próximos Mojo Comix a sair são:

Like cockatoos – The Cure – roteiro e arte de Fabio Cobiaco.

Homem primata – Titãs – roteiro de Ricardo Giassetti e arte de Juarez Ricci.

Rock’n roll all nite – Kiss – roteiro de Pablo Casado e arte de Felipe Cunha.

Foxy lady – Jimi Hendrix – roteiro de Delfin e arte de Terra Arnes.

Strangelove – Depeche Mode – roteiro de Danilo Corci, artista não-confirmado.

A participação nos Mojo Comix está aberta para novos candidatos. Roteiristas e artistas podem participar até mesmo se não tiverem um parceiro – a Mojo está disposta a intermediar a formação de times criativos.

Como na linha Mojo Books, são privilegiadas as histórias curtas, com até 16 páginas. O formato também é o mesmo.

BELA LUGOSI’S DEAD
Raphael Salimena (arte)
Leo Martinelli (texto)
Mojo Books
20 págs
Download gratuito no site.

Renato LebeauquadrinhosBELA LUGOSI’S DEAD,Leo Martinelli,Mojo Books,Mojo Comics,Raphael SalimenaSei que muitos lugares já deram a notícia, mas mesmo assim vamos lá!!... O que me chama atenção é a iniciativa e a alternativa de exploração de um tema e a abordagem gráfica. Quando fiquei sabendo que iriam ser produzidos Hqs baseadas em letras de música, eu pensei, mas isso já...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe