Após dois meses e uma cerimônia linda que envolveu a atual Mulher-Maravilha, Gal Gadot e Linda Carter, que interpretava a personagem em 1960; a ONU decidiu tirar o presente que havia dado para comemorar os 75 anos da personagem. Mulher-Maravilha não é mais Embaixadora do Empoderamento Feminino.

Ao que parece desde que o posto foi anunciado para a heroína da DC Comics, vários protestos, até mesmo do pessoal de dentro da Organização das Nações Unidas, foram iniciados. O fato é que a petição levantada via Internet por um grupo de feministas consegui reunir quase 45 mil assinaturas de pessoas que concordam que “uma mulher branca com peitos de proporções impossíveis, seminua em um pequeno e justo macacão com uma bandeira americana” não é uma porta-voz apropriada para a igualdade de gênero.

Outro fato levantado é que a personagem é fictícia enquanto na vida real, mulheres de verdade enfrentam a exploração sexual e o abuso, e diversas situações humilhantes. Segundo alguns, esse papel era muito importante para ser dado a um mascote; alguns chegaram a questionar se o empoderamento feminino seria algo tão irreal que levava a colocar uma personagem de mentira como embaixadora honorária dele.

O fato é que a ONU anunciou oficialmente que a Princesa Diana não terá mais o cargo, a Organização não entrou em mais detalhes, mas o porta-voz Jeffrey Brez disse que campanhas que usam personagens de ficção muitas vezes não duram mais do que alguns meses, segundo ele:

“Está terminando porque foi previsto para terminar. O objetivo era alcançar os fãs da Mulher-Maravilha e acho que fizemos um ótimo trabalho com isso”.

Já a DC Comics, em nota, por sua porta-voz Courtney Simmons, afirmou estar muito feliz com o alerta que a parceria promoveu para incitar discussões a respeito das realizações das mulheres.

“A Mulher Maravilha é a favor da paz, justiça e igualdade, e por 75 anos ela vem motivando força para muitos e vai continuar sendo mesmo depois da conclusão de seu posto como embaixadora honorária”.

Simmons afirma ainda que será lançada uma HQ dedicada ao empoderamento do sexo feminino nos próximos meses.

Devemos lembrar que a Mulher-Maravilha foi criada nos anos 1940 por uma mensagem muito clara sobre igualdade de gênero. Foi a primeira heroína mulher a ganhar sua própria HQ, será a primeira a ter seu filme solo; e apesar de ser um personagem fictício, em inúmeras vezes ela pode ser apontada como inspiração para muita mulheres por aí. Com titulo de embaixadora ou não, a princesa Diana nasceu para ser ícone e não há petição que negue esse fato.

http://impulsohq.com/wp-content/uploads/2016/12/wonder-woman-onu.jpghttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2016/12/wonder-woman-onu-150x150.jpgBarbara HeliodoraquadrinhosCourtney Simmons,DC Comics,Gal Gadot,Jeffrey Brez,Linda Carter,mulher maravilha,ONUApós dois meses e uma cerimônia linda que envolveu a atual Mulher-Maravilha, Gal Gadot e Linda Carter, que interpretava a personagem em 1960; a ONU decidiu tirar o presente que havia dado para comemorar os 75 anos da personagem. Mulher-Maravilha não é mais Embaixadora do Empoderamento Feminino. Ao que parece...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe