morre_moliterni

Visto no Gibiteca

Claude Moliterni é considerado um dos maiores quadrinhistas da atualidade. Ele morreu no dia 21 de janeiro de 2009. Veja o que foi publicado sobre ele:

Claude Moliterni – a melhor combinação de quadrinhista e enciclopedista da Nona Arte, em todos os tempos – é um velho amigo do Brasil. Em 1979, Moliterni esteve no Brasil, visitando o Salão de Humor de Piracicaba.

A empatia com a cidade e com o festival foi tão grande que Moliterni deixou sua passagem registrada em álbum, ao ambientar uma das aventuras do personagem Harry Chase na cidade. Trata-se de Piracicaba, Mon Amour, de 1980, ilustrado por Fahrer, em que temos um fato insólito e bem humorado: o vilão da história é ninguém mais ninguém menos do que o pesquisador brasileiro de quadrinhos Álvaro de Moya.

Agora, com o Ano do Brasil na França, o autor voltou a saudar a história dos quadrinhos no Brasil, resgatando (até com direito a surpresas de cronistas menos avisados), num artigo publicado no início do mês, que seu “personagem” Álvaro de Moya, juntamente com Reinaldo de Oliveira, Jayme Cortez Martins, Syllas Roberg e Miguel Penteado foram, sim, os protagonistas da primeira exposição internacional de quadrinhos do mundo, em 1951.

Moliterni também brindou os leitores com um pequeno porém muito bem desenhado roteiro histórico dos quadrinhos no Brasil. Mais um “‘favor” que o Brasil deve a Piracicaba. Claude Moliterni também é o responsável pela Larousse dos Quadrinhos (Larousse de la BD), e pelo guia anual de referência BD Guide. (Fonte: AJDARIC, Marko. Claude Moliterni e o Brasil. Disponível em: http://www.bigorna.net/index.php?secao=noticias&id=1124454363)

Faleceu ontem (21 de janeiro de 2009), o crítico, historiador e quadrinista francês Claude Moliterni. Foi um dos idealizadores do famoso Festival Internacional de Quadrinhos de Angoulême. Por aqui, o primeiro a dar a notícia foi Bira Dantas, em seu blog Caricas do Bira.

Com um currículo invejável, fez de tudo um pouco dentro do ambiente da “Banda Desenhada” – sua paixão maior –, como a produção da primeira Enciclopédia Larousse dos Quadrinhos, e a idealização do “ICON” (International Comic Organization), o 1º Congresso Internacional de Quadrinhos, que ocorreu em abril de 1972, em Nova York. Na ocasião, Moliterni reuniu a nata das HQs mundiais, como Hergé, Druilet, Emílio Freixas, Harvey Kurtzman, Neal Adams, Stan Lee, Jayme Cortez e Mauricio de Sousa, entre tantos outros.

Criador do personagem Harry Chase, ambientou uma de suas histórias no Brasil, com direito a colocar o amigo – e também lenda dos Quadrinhos – Álvaro de Moya como o vilão da trama (fonte: GUEDES, Roberto. Au revoir Moliterni!. Disponível em: http://guedes-manifesto.blogspot.com/2009/01/au-revoir-moliterni.html)

O Cartunista Bita Dantas prestou homenagem a Morliterni com a ilustração abaixo:

homehagem_bira_moliterni
Fonte: DANTAS, Bira. Minha homenagem a Moliterni.
Disponível em: http://caricasdobira.blogspot.com/2009/01/minha-homenagem-claude-moliterni.html

Mais sobre Moliterni, vá ao site oficial do autor, clicando aqui.

Visto no Gibiteca

Renato LebeauquadrinhosClaude MoliterniVisto no Gibiteca Claude Moliterni é considerado um dos maiores quadrinhistas da atualidade. Ele morreu no dia 21 de janeiro de 2009. Veja o que foi publicado sobre ele: Claude Moliterni - a melhor combinação de quadrinhista e enciclopedista da Nona Arte, em todos os tempos - é um velho amigo...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe