Dando uma procurada na net achei duas postagens sobre os irmãos Bá e Moon que merecem ser divulgadas.

Primeiramente por se tratar de grandes artistas que estão cada vez mais em destaque no mercado nacional e internacional.

E é claro considero Bá e Moon grandes defensores dos quadrinhos nacionais, tenho essa conclusão desde o debate que presenciei no Ilustra Brasil desse ano, que se tratava das adaptações de grandes clássicos da literatura para as HQs. (veja aqui o post).

O primeiro post trata-se de uma entrevista para a revista Época São Paulo, com os irmãos que mais uma vez defendem a disseminação da cultura de HQ no Brasil e como nós brasileiros ainda desconhecemos a arte seqüencial.

O segundo post trata-se de um texto do jornalista Paulo Ramos (ganhador de melhor articulista sobre quadrinhos no HQ MIX 2008), que analisa a posição da mídia depois que os irmãos ganharam um prêmio internacional, o Eisner desse ano na categoria melhor antologia.

Obs: O post foi corrigido porque a imagem ilustrativa era de Rafael Grampá.

Visto no Universo Fantástico:

“Nós queremos mudar a cara que os quadrinhos têm no Brasil”, declaram irmãos Bá e Moon.

Responsáveis pela nova seção de Histórias em Quadrinhos da revista Época São Paulo, os irmãos gêmeos Fábio Moon e Gabriel Bá não cansam de contar a trajetória de suas vidas que os levou a assumir, juntos, o risco de se aventurar no mercado das HQs.

Apesar de terem ganhado grande reconhecimento entre o público internacional, eles esperam que seus trabalhos possam, finalmente, atingir os brasileiros que, segundo Gabriel, ainda desconhecem a arte.

Começando com uma obra em que retrataram suas próprias vidas, os artistas, que também embarcam no mundo da ficção, garantem que a inspiração vem de todos e qualquer lugares. “Depois que temos alguma idéia – que pode surgir a qualquer momento, inspirada por algo que vemos na rua, ouvimos numa conversa, lemos num livro, qualquer coisa – e desenvolvemos a história, decidimos quem vai desenhar dependendo do tipo da história e qual estilo combina mais com ela. Ou também quem está mais livre pra fazer aquela história.”, explica Gabriel, sobre quem faz o que na hora de colocar as mãos na massa.

O que é divertido e interessante ao ser lido, exige a grande dedicação dos irmãos, que abriram mão do descanso e sossego para se manterem firmes no que fazem. “Nós queremos mudar a cara que os Quadrinhos têm no Brasil, mudar a cara do quadrinhista e, pra isso, nós levamos muito a sério e colocamos o trabalho em primeiro lugar, sacrificando horas de sono, finais de semana, férias. Não vamos ficar esperando as coisas mudarem, vamos mudá-las”, explica Bá.

O maior reconhecimento de suas carreira veio neste ano com a conquista de “Melhor Antologia”, do Eisner Awards, nos Estados Unidos, considerado o Oscar dos quadrinhos. Na ocasião, a obra “5″, produzido com mais três artistas, foi o destaque, além de outras duas vitórias – de “Melhor Série Limitada”, com “The Umbrella Academy”, por Gerard Way e Gabriel Ba; e de “Melhor Quadrinho Digital”, com “Sugarshock”, por Joss Whedon e Fábio Moon.

Trabalhando com o que sempre quiseram fazer, acumulam um total de 13 prêmios, conquistados no decorrer dos últimos 11 anos, começando em 1999, com o de “Melhor Fanzine”, do HQ Mix, com o título “10 Pãezinhos”, o primeiro lançamento oficial de suas carreiras.

A dupla, que produzia e produz seus desenhos em conjunto, considera que, a partir desse material, originalmente feito em 1997, é que começou a vida de quadrinhistas. “Acho que nossa carreira começou com ele, pois estávamos contando nossas próprias histórias, fazendo o que sempre quisemos fazer e foi quando o mundo nos descobriu e nós descobrimos nosso caminho”, disse Gabriel.

Sobre a inédita publicação na revista Época São Paulo, os irmãos a encararam como uma oportunidade única de divulgar o trabalho primeiro no Brasil, “para dialogar com o público nacional e atingir um público maior do que o que temos com os nossos livros”. Essa, segundo Gabriel, seria a “chance de fazer histórias mais específicas, mais regionais, para um público que não costuma ler quadrinhos, e que talvez ainda nem leiam e pulem nossa página”.

Eles, que mantêm um blog direcionado para o público brasileiro, deixam todos a par das novidades que envolvem seus trabalhos. Atualmente, Gabriel supervisiona a produção de bonecos, em PVC, de personagens dos quadrinhos “The Umbrella Academy”.

Isso, para ele, é “reflexo de um trabalho que atinge as pessoas e é muito gratificante”. Eles agora esperam que seus títulos cheguem, todos, em breve, no Brasil. O problema, frisado por Gabriel, é que tudo depende das negociações entre as editoras.

“Gostaria que os Quadrinhos estourassem a “bolha” e atingissem um público mais amplo, pois é uma linguagem maravilhosa onde podemos ter histórias belíssimas e interessantes contadas e só o que falta são mais pessoas descobrirem isso.”, finaliza Bá.

Portal Imprensa – por Adriana Douglas

———————————————————

Visto no Blog dos Quadrinhos

Gabriel Bá e Fábio Moon são destaque em mais uma revista.

Uma foto com os desenhistas Gabriel Bá e Fábio Moon toma toda a última página da edição deste fim de semana da revista “Carta Capital”.

Os irmãos gêmeos aparecem em primeiro plano. Ilustrações deles são mostradas ao fundo.

Abaixo da fotografia, uma legenda explicava a inclusão da dupla na publicação: “É deles o Eisner, o maior prêmio da HQ”.

Eisner Awards é a principal premiação da indústria norte-americana de quadrinhos (e não necessariamente “dos” quadrinhos, como leva a crer a “Carta Capital”).

É a segunda vez no espaço de uma semana que os desenhistas paulistas ganham destaque em revistas jornalísticas.

Na semana passada, uma história em quadrinhos deles ocupou a última página da “Época São Paulo”.

Foi o segundo trabalho da dupla para a publicação paulista.

O editorial da revista também destacava a vitória deles no Eisner.

Eles venceram na categoria melhor antologia (com outro brasileiro, Rafael Grampá) e dois títulos -um desenhado por Bá e outro por Moon- foram premiados.

O destaque é merecido, tanto pela qualidade do trabalho quanto pelo esforço pessoal dos dois irmãos, criadores das histórias de “10 Pãezinhos”.

O fato de o assunto ser levado a outros públicos, que tradicionalmente não acompanham quadrinhos, também é positivo.

Mas há um aspecto curioso nisso: por que parte dos veículos dá destaque a eles somente quando ganham um prêmio internacional?

Justiça seja feita: a “Carta Capital” é uma das poucas revistas que têm dado destaque à área de quadrinhos. E Bá e Moon já foram alvo de reportagens em outras mídias.

Mesmo assim, a maior parte da grande mídia silenciou quando os mesmos desenhistas foram destaque em 2007 no Troféu HQMix, o principal do país.

Bá e Moon ganharam, na ocasião, em quatro categorias.

Foi necessário o reconhecimento internacional para que alguns dos “formadores de opinião” dessem uma espécie de chancela ao trabalho deles, que já apresentava qualidade antes.

O mesmo processo ocorre com o cinema e com muitas das demais artes brasileiras.

Destaque de brasileiros no exterior soa como argumento de autoridade para pautas da mídia jornalística cultural.

Isso evidencia um profundo desconhecimento de jornalistas e críticos -não todos, é verdade- no tocante à área de quadrinhos.

Parece não haver um discernimento sobre o que é relevante na produção de quadrinhos.

Bá e Moon -não custa reforçar- têm méritos e fizeram jus a esse destaque todo.

Mas foi necessário um prêmio internacional para que fossem efetivamente descobertos pelos chamados “formadores de opinião”.

A adaptação deles de “O Alienista” é uma das finalistas do Prêmio Jabuti de literatura deste ano. O assunto -que também é notícia- não foi noticiado para leitores da grande mídia.

Mais de 500 anos depois, continuamos sendo colonizados.

Renato LebeauquadrinhosFábio Moon,Gabriel Bá,Paulo RamosDando uma procurada na net achei duas postagens sobre os irmãos Bá e Moon que merecem ser divulgadas. Primeiramente por se tratar de grandes artistas que estão cada vez mais em destaque no mercado nacional e internacional. E é claro considero Bá e Moon grandes defensores dos quadrinhos nacionais, tenho essa...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe