o_sonhador

Capa de “O Sonhador”, um dos livros recolhidos; obra foi levada pelo governo federal a escolas de todo o país

Visto no Blog dos Quadrinhos – por Paulo Ramos

O governo do Rio Grande do Sul orientou nesta semana que as escolas estaduais do Estado retirem do acervo três obras em quadrinhos do norte-americano Will Eisner.
Os álbuns são “Um Contrato com Deus e Outras Histórias de Cortiço” – que já causou polêmica em São Paulo e no Paraná” -, “O Sonhador” e “O Nome do Jogo”.

Na avaliação da Secretaria Estadual da Educação, os títulos apresentam conteúdo inadequado aos estudantes do ensino médio, público a que foram destinados.
“É uma biografia adulta que deve ser comprada na banca de revistas para quem quiser ler. O problema é a adequação do material a ser usado na escola pública junto a adolescentes”, disse a secretária da pasta, Mariza Abreu, ao jornal “Correio do Povo”.

Os três livros não são vendidos em bancas. São comercializados em livrarias e lojas especializadas em quadrinhos. Mas chegaram às escolas via governo federal.
As obras integraram a lista de mais de 20 títulos em quadrinhos que compuseram a lista deste ano do PNBE (Programa Nacional Biblioteca da Escola).

Os álbuns – e outros livros selecionados – são enviados diretamente a escolas de todo o país para criar acervos de bibliotecas. Os títulos de Eisner são para o ensino médio.
A secretária, de um governo do PSDB, estuda entrar na Justiça contra o MEC, do PT. “Estudamos a possibilidade de ingresso de ação judicial. Afinal, trata-se de dinheiro público”, disse, em depoimento reproduzido uma vez mais do “Correio do Povo”.

O assunto repercutiu no fim desta semana não só no jornal “Correio do Povo”, mas também no “Zero Hora”, também de Porto Alegre.

Às duas publicações a secretária disse acreditar que o ministro da Educação, Fernando Haddad, desconhece o conteúdo dos álbuns de Will Eisner. Ela iria tentar contato com ele.

Casos como esse têm se tornado frequentes desde que o governo de São Paulo selecionou a alunos de nove anos um álbum direcionado a adultos.

Após isso, o foco tem sido direcionado aos trabalhos de Eisner, em particular “Um Contrato com Deus”. O trabalho é um dos pioneiros das “graphic novels” nos Estados Unidos.

Os críticos da obra resumem o conteúdo a duas cenas. Numa, uma menina de dez anos levanta o vestido e mostra a calcinha ao zelador do prédio onde mora.
Noutra, um pai bêbado agride a esposa e o filho, um bebê. Os outros álbuns trazem uma cena de sexo, sutil, em cada um. E situações de briga, a contar nos dedos da mão.

“O Sonhador” é autobiográfica. Mostra a luta de um aspirante a desenhista em seguir carreira nos Estados Unidos da década de 1930, época em que Eisner começou.
“O Nome do Jogo” apresenta como arranjos familiares podem ajudar famílias a enriquecer. A trama percorre três gerações de diferentes famílias.

Visto no Blog dos Quadrinhos – por Paulo Ramos

Renato LebeauquadrinhosMariza Abreu,PNBE,Rio Grande do Sul,Will EisnerCapa de 'O Sonhador', um dos livros recolhidos; obra foi levada pelo governo federal a escolas de todo o país Visto no Blog dos Quadrinhos – por Paulo Ramos O governo do Rio Grande do Sul orientou nesta semana que as escolas estaduais do Estado retirem do acervo três obras em...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe