Com uma agenda de lançamentos em praticamente em todo o País, a editora Zarabatana Books está investindo alto na divulgação de um dos seus álbuns mais recentes, a versão nacional da tradicional revista Argentina Fierro.

Esse estreitamento com as HQs dos hermanos parece um processo que ainda esse ano será intensificado. Como noticiado aqui no Impulso HQ semana passada, foi anunciada a vinda do editor argentino da publicação, Juan Sasturain, para o Jornadas Internacionais de Histórias em Quadrinhos em agosto.

Há cerca de um mês, mais precisamente no dia 15 de abril, aconteceu o lançamento da Fierro nº1 em São Paulo, e é claro que o Impulso HQ esteve lá para conferir e trazer para você leitor entrevistas com o editor da Zarabatana, Cláudio Martini, Paulo Ramos, jornalista e autor de Bienvenido, que traz um panorama das HQs argentinas, e é claro com alguns dos desenhistas nacionais que participam dessa edição, Gustavo Duarte, Danilo Beyruth e Elloar Guazzelli.

Iniciando pela escolha do local do lançamento. A Livraria Cultura do Conjunto Nacional é um local agradável e já é ponto conhecido para quem deseja encontrar as mais diversas publicações. O que foi diferente é que o lançamento aconteceu no anexo voltado para as publicações de arte, e não na parte de quadrinhos. Obviamente isso não interfere em nada, e foi curioso presenciar o lançamento da HQ em meio aos livros de Umberto Eco, Ernst Gombrich e Giulio Carlo Argan, especialistas em obras que estudam o que é arte.

O público compareceu, e era composto por todas as idades. O traço de Gustavo Duarte fez sucesso com as crianças que com certeza foram levadas pelos pais que também queria participar desse momento das HQs nacionais. Entre os presentes era possível encontrar quadrinhistas já conhecidos como André Diniz, Laudo Ferreira, Jozz, Rogério Vilela e outros.

Cláudio Martini, Laudo Ferreira, André Diniz e Paulo Ramos

A mesa de autógrafos era o centro das atenções e o trio de desenhistas cada um com o seu traço bem diferenciado, não pararam a noite toda. Guazzelli sempre com o bom humor que é conhecido, entre um autógrafo e outro contava histórias engraçadas, que deixava os fãs entretidos e sem vontade de sair da fila.

Entre uma conversa e outra o Impulso HQ conversou com Cláudio Martini, editora da Zarabatana Books, que fala sobre as perspectivas sobre a Fierro, que será semestral e a próxima já está programada para meados do segundo semestre. O editor que nos revelou que os autores argentinos gostaram de saber que a Fierro estaria sendo publicada no Brasil, fala um pouco mais sobre essa ação de trazer as HQs argentinas ao Brasil. Confira:

Cláudio Martini, editor da Zarabatana Books

Impulso HQ: Fierro é um ícone dos quadrinhos argentinos e agora a Zarabatana traz para o Brasil. O que isso representa no mercado nacional de quadrinhos?
Cláudio Martini:
É um bom momento para o público conhecer esse trabalho que está sendo feito há muito tempo na Argentina. É um time excelente de quadrinhistas e não era conhecido no Brasil. É uma oportunidade para os leitores e autores conhecerem uma introdução desse trabalho.

IHQ: A Zarabatana pretende manter esse formato na publicação em misturar autores brasileiros com argentinos, ou no futuro veremos uma Fierro só com autores nacionais?
C.M.:
Não. A Fierro é basicamente de autores argentinos. É certo que de 85 a 90% da edição será ocupada com autores argentinos. Mas sempre teremos a participação de autores brasileiros.

IHQ: Como é feita a escolha dos autores brasileiros?
C.M.:
Geralmente são quadrinhistas que eu convido ou o conselho editorial sugere os autores para participar da revista.

IHQ: A Zarabatana publica Fierro e Noturno. A intenção de trazer esses quadrinhos argentinos para o Brasil é criar uma nova demanda ao mercado nacional?
C.M.:
O que pretendemos é mostrar a produção argentina desconhecida porque temos acesso a autores americanos e europeus em menos escala, mas quase nenhum acesso aos argentinos, com exceção a linha de humor que é representada pelo Quino e Liniers e Maitena. Queremos trazer esse outro lado da produção argentina para o Brasil que ficou muito tempo sem conhecer. Temos que quebrar essa barreira.

IHQ: Em nossa ultima entrevista, você comentou que a ideia era lançar Fierro e Noturno em um pacote único. Por que isso não foi feito?
C.M.:
Estamos lançando ao mesmo tempo Fierro e Noturno, mas não em um pacote junto. Isso foi uma decisão de logística, para administrar a questão de ter a revista Fierro e Noturmo. Lançar as duas juntas seria um terceiro produto. E para distribuir isso e colocar nas livrarias seria mais complicado.

IHQ: A ideia então seria quando lançar a Fierro nº2 lançar outro álbum especial como Noturno?
C.M.:
Sim. Com a Fierro nº2 irá sair um outro livro de outro autor que já foi previamente publicado na Fierro. O livro chama Dora e o autor será Ignacio Minaverry.

IHQ: A Zarabatana tem se destacado com o seu trabalho com os autores nacionais. Esse trabalho continua para o segundo semestre?
C.M.:
Sim, a intenção é continuar com os autores nacionais e já publicamos esse ano a edição Ocre, do Gilmar e mais recentemente temos o Vigor Mortis Comics, de José Aguiar, DW e do Paulo Biscaia, e para o segundo semestre veremos ainda.
____________________________________________________

Continuando a nossa série de entrevistas, é claro que não poderíamos deixar de conversar com Paulo Ramos, jornalista e autor de livros sobre HQs, entre eles Bienvenido, que segundo o roteirista André Diniz, é a publicação responsável por esse “boom” das HQs argentinas no Brasil. Confira:

Impulso HQ: O lançamento da Fierro e Noturno traz uma nova cara para o mercado de quadrinhos nacional?
Paulo Ramos:
Eu acho que sim. Há uma tendência de um movimento das editoras brasileiras publicarem quadrinhos argentinos com um certo atraso. Parece que em 2011 já podemos dizer que é o ano que teremos o maior número de publicações argentinas no Brasil. Temos esses lançamentos que estão acontecendo agora, Fierro e Noturno que já têm a segunda edição programada, teremos uma segunda edição de Macanudo, e teremos o Eternauta pela editora Martins Fontes, que é principal obra em quadrinhos na Argentina há mais de 50 anos e jamais publicada no Brasil. Tivemos uma surpresa com a editora Marca de Fantasia que publicou um álbum bem pequeno chamado La Produtora, que é de autores independentes da Argentina, na virada do século. Com tudo isso já dá pra dizer que neste ano já temos o maior número de obras argentinas no Brasil. A curiosidade é saber como será em 2012, quer dizer, como em 2011 o público dará o retorno e se isso irá faltar para o próximo ano. Essa é uma equação a se resolver hoje.

IHQ: Mas então você mão encara como um amadurecimento do mercado? Seria uma consequência de todo esse processo que o mercado está passando?
P.R.:
É a entrada dos quadrinhos nas livrarias, é o fato das editoras descobrirem o quadrinho em formato livro, o fato de o governo comprar quadrinhos, então é uma série de fatores que se somam, e ter quadrinhos argentinos ao meu entender é um desses fatores. Se não tivéssemos os quadrinhos voltados para a livraria com certeza não teríamos as publicações argentinas por que não teríamos onde vender a não ser em lojas nas especializadas. Então é uma série de processos que tem colocado quadrinho em formato livro nas livrarias, que permite trazer autores de outros países, inclusive da Argentina.

IHQ: Você considera que Bienvenido abriu as portas para os quadrinhos argentinos no Brasil?
P.R.:
Não sei dizer. Eu acho que algum impacto ele teve, porque não se falava tanto de quadrinhos argentinos tanto no Brasil como agora. Não sei dizer se o livro seja a chave disso, talvez seria apenas mais uma das coincidências.

IHQ: Teremos outro livro sobre as HQs argentinas, ou você está pensando em outros quadrinhos como os franceses, por exemplo?
P.R.:
Quadrinhos franceses seriam uma boa. Eu tenho mais uma coisa sobre os quadrinhos argentinos que eu descobri que eu não escrevi, e pretendo viabilizá-lo para os próximos dois anos. Mas é aquela coisa de sempre, prefiro falar com o texto pronto e o contrato com a editora assinado.

IHQ: Para 2011 teremos algum lançamento seu?
P.R.:
Para esse ano tem. Uma coisa que dá para falar e outra que não dá. Uma não tenho o contrato assinado então não posso falar, mas seria mais um livro. O outro, já tenho contrato assinado, já está em edição, e é uma coletânea de matérias do Blog dos Quadrinhos, que sai pela editora Devir, com previsão para o mês de maio. É uma seleção que pega desde 2006 até março desde ano. A diferença é que foi dividido em capítulos e mantendo a data das postagens. Acho isso interessante porque isso pode se transformar em um documento de tudo isso que aconteceu nos quadrinhos, essa soma de fatores.

_____________________________________________________________________

Ainda nesta semana no Impulso HQ, você confere o bate-papo com Gustavo Duarte, Danilo Beyruth e Elloar Guazelli. Não percam.

Galeria de Imagens:

Renato LebeauentrevistasClaudio Martini,Danilo Beyruth,Elloar Guazzelli,Fierro,Gustavo Duarte,Juan Sasturain,Livraria Cultura,Paulo Ramos,ZarabatanaCom uma agenda de lançamentos em praticamente em todo o País, a editora Zarabatana Books está investindo alto na divulgação de um dos seus álbuns mais recentes, a versão nacional da tradicional revista Argentina Fierro. Esse estreitamento com as HQs dos hermanos parece um processo que ainda esse ano será...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe